Feed

Já é assinante?

Entrar

Terramicina

Terramicina - Bula do remédio

Terramicina com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Terramicina têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Terramicina devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Obs.: A MedicinaNET não vende nenhum tipo de medicamento.

Laboratório

Pfizer

Apresentação de Terramicina

Cápsulas

Terramicina® cápsulas de 500 mg em embalagem contendo 8 cápsulas.

VIA DE ADMINISTRAÇÃO: USO ORAL
USO ADULTO

COMPOSIÇÃO
Cada cápsula de Terramicina® contém cloridrato de oxitetraciclina equivalente a 500 mg de oxitetraciclina base.
Excipientes: croscarmelose sódica, dióxido de silício e estearato de magnésio.
____________________________________________________________________________

Solução injetável

Terramicina® solução intramuscular de 100 mg em embalagem contendo 5 ampolas de 2 mL.

VIA DE ADMINISTRAÇÃO: USO INJETÁVEL POR VIA INTRAMUSCULAR USO ADULTO EUSO PEDIÁTRICO ACIMA DE 8 ANOS DE IDADE

COMPOSIÇÃO
Cada mL de Terramicina® solução intramuscular contém oxitetraciclina diidratada equivalente a 50 mg de oxitetraciclina base e 20 mg de lidocaína.
Excipientes: cloreto de magnésio hexaidratado, formaldeído sulfoxilato de sódio, monoetanolamina, propilenoglicol e água para injeção.

Terramicina - Indicações

Terramicina® (cloridrato de oxitetraciclina) cápsulas é indicada nas infecções causadas pelos seguintes micro-organismos:
•Febre maculosa das montanhas rochosas, febre tifoide e grupo tifoide, febre Q, varíola por riquétsia, febre transmitida por carrapato, causadas por Rickettsiae;
•Infecção respiratória causada por Mycoplasma pneumoniae;
•Psitacose causada por Chlamydia psittaci;
•Tracoma causado por Chlamydia trachomatis embora o agente infeccioso não seja sempre eliminado, conforme avaliado por imunofluorescência;
•Conjuntivite de inclusão causada por Chlamydia trachomatis; pode ser tratada com tetraciclinas via oral ou com uma combinação de agentes tópicos e orais;
•Febre recorrente transmitida pelo piolho causada por Borrelia recurrentis.

Terramicina® também é indicada para o tratamento de infecções causadas pelos seguintes micro-organismos Gram-negativos:
•Bartonelose causada por Bartonella bacilliformis;
•Bacteroides spp.;
•Cólera causada por Vibrio cholerae (anteriormente Vibrio comma);
•Campylobacter fetus (anteriormente Vibrio fetus);
Brucelose causada por Brucella spp. (em associação com estreptomicina) - Devido a muitas cepas dos grupos de micro-organismos a seguir terem demonstrado resistência às tetraciclinas, são recomendados testes de suscetibilidade e cultura.

Terramicina® é indicada para o tratamento de infecções causadas pelos seguintes micro-organismos Gram--negativos, quando os testes bacteriológicos indicarem suscetibilidade apropriada ao medicamento:
•Escherichia coli;
•Enterobacter aerogenes (anteriormente Aerobacter aerogenes);
•Shigella spp.;
•Acinetobacter spp. (anteriormente Mima spp. e Herellea spp.);
•Infecções respiratórias causadas por Haemophilus influenzae;
•Infecções do trato respiratório e urinário causadas por Klebsiella spp.

Terramicina® é indicada para o tratamento de infecções causadas pelos seguintes micro-organismos Gram--positivos quando os testes bacteriológicos indicarem suscetibilidade adequada ao medicamento:
• Infecções da pele e tecidos moles causadas por Staphylococcus aureus.

Quando a penicilina é contraindicada, as tetraciclinas são a alternativa no tratamento das seguintes infecções:
•Sífilis causada por Treponema pallidum e framboesiomas causadas por Treponema pertenue;
•Listeriose envolvendo infecção focal apenas causada por Listeria monocytogenes;
•Clostridium spp.;
•Antraz causado por Bacillus anthracis;
•Actinomicose causada por Actinomyces spp.

Tratamento Adjuvante
Em amebíase intestinal aguda, as tetraciclinas podem ser úteis como um adjunto para os amebicidas.

Contra-indicações de Terramicina

Terramicina® é contraindicada a pessoas com conhecida hipersensibilidade a qualquer tetraciclina ou a qualquer outro componente da fórmula.

Advertências

Caso haja insuficiência renal, mesmo as doses oral ou parenteral usuais podem conduzir ao acúmulo sistêmico excessivo do medicamento, levando a uma possível toxicidade hepática. Sob tais circunstâncias, doses totais menores que as habituais são indicadas e, caso o tratamento seja prolongado, são aconselháveis determinações dos níveis séricos do medicamento.
A ação antianabólica das tetraciclinas pode causar aumento do nitrogênio ureico sérico (BUN). Enquanto isto não representa um problema naqueles com a função renal normal, nos pacientes com insuficiência renal significativa, níveis séricos mais elevados de tetraciclina podem conduzir à azotemia, hiperfosfatemia e acidose.
Caso o médico considere que a necessidade de tratamento intensivo supera os possíveis riscos (principalmente durante a gravidez ou em indivíduos com insuficiência renal ou hepática conhecida ou suspeita), é aconselhável realizar testes de função renal e hepática antes e durante a terapia.
Fotossensibilidade manifestada por reação de queimadura solar exagerada, foi observada em alguns indivíduos que receberam tetraciclinas incluindo oxitetraciclina. Pessoas que comumente se expõem diretamente à luz solar ou à luz ultravioleta devem ser alertadas quanto a esta possível reação ao uso do medicamento e o tratamento deve ser descontinuado à primeira evidência de eritema na pele.
Raros casos de esofagite e ulcerações esofágicas foram relatados em pacientes recebendo cápsulas e comprimidos de fármacos da classe das tetraciclinas, incluindo a oxitetraciclina. A maioria destes pacientes utilizou o medicamento imediatamente antes de se deitarem. Os pacientes devem ser alertados a utilizarem o medicamento com uma quantidade adequada de líquidos e não se deitarem por pelo menos 30 minutos após ter tomado o medicamento.
Fontanelas abauladas em lactentes e hipertensão intracraniana benigna em adultos foram relatadas em indivíduos recebendo doses terapêuticas máximas. Estas condições desapareceram rapidamente quando o fármaco foi descontinuado.
Assim como ocorre com outros antibióticos, a utilização da oxitetraciclina pode resultar em um supercrescimento de organismos não suscetíveis, incluindo fungos. Caso ocorra superinfecção, deve-se interromper o tratamento com o antibiótico e instituir uma terapia apropriada.
Diarreia associada à Clostridium difficile (CDAD) foi relatada com o uso de quase todos os agentes antibacterianos, inclusive oxitetraciclina, podendo variar em gravidade de diarreia leve a colite fatal. O tratamento com antibacterianos altera a flora normal do cólon resultando em um crescimento excessivo de cepas de C. difficile.
As toxinas A e B produzidas por C. difficile contribuem para o desenvolvimento de CDAD. Hipertoxina produzida por cepas de C. difficile resultam em aumento da morbidade e mortalidade, uma vez que estas infecções podem ser refratárias a terapias antimicrobianas e podem requerer colectomia. CDAD deve ser considerada para todos os pacientes que apresentam diarreia após uso de antibióticos. É necessário cuidado na tomada do histórico médico uma vez que relatou-se que CDAD pode ocorrer em até dois meses após a administração de agentes antibacterianos. Em doenças venéreas, quando hásuspeita da coexistência de sífilis, devem ser realizados exame de campo escuro antes do início do tratamento, e testes de sorologia mensalmente por pelo menos 4 meses.
Em tratamentos prolongados, devem ser realizadas avaliações laboratoriais periódicas dos sistemas, incluindo hematopoiético, renal e hepático.
Todas as infecções causadas por estreptococos beta-hemolíticos do grupo A devem ser tratadas por pelo menos 10 dias.

Efeitos na Capacidade de Dirigir e Operar Máquinas
O efeito da oxitetraciclina na capacidade de dirigir ou operar máquinas pesadas não foi estudado. Não há evidências sugerindo que a oxitetraciclina possa afetar estas habilidades.

Uso na gravidez de Terramicina

Uso Durante a Gravidez
A oxitetraciclina não foi estudada em pacientes grávidas. Terramicina® não deve ser utilizada em mulheres grávidas exceto se no julgamento do médico o potencial benefício superar o risco.
Os resultados de estudos em animais com antibióticos da família das tetraciclinas indicam que as tetraciclinas atravessam a placenta, são encontradas nos tecidos fetais, e podem ter efeitos tóxicos no desenvolvimento do feto (comumente relacionados a retardo no desenvolvimento do esqueleto). Detectou-se evidência de embriotoxicidade em animais tratados com tetraciclinas no início da gravidez.
Tem sido relatada, em estudos de base populacional e revisões retrospectivas, uma possível associação entre o uso de tetraciclina oral durante a gravidez com: fissura labial (com ou sem fissura palatal), defeitos do tubo neural e defeitos cardiovasculares.

Terramicina® está classificada na categoria D de risco de gravidez. Portanto, este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica. Informe imediatamente seu médico em caso de suspeita de gravidez.

Uso Durante a Lactação
As tetraciclinas são excretadas no leite materno. Devido ao seu potencial de causar reações adversas graves em lactentes, a oxitetraciclina somente deve ser utilizada quando na opinião do médico, os benefícios potenciais superarem os riscos potenciais.
Todas as tetraciclinas, incluindo a oxitetraciclina, formam um complexo estável com cálcio em qualquer tecido ósseo em formação. Uma redução na taxa de crescimento da fíbula foi observada em recém-nascidos prematuros tratados com tetraciclina oral em doses de 25 mg/kg a cada 6 horas. Esta reação mostrou ser reversível quando o medicamento foi descontinuado.

Uso em Recém-Nascidos, Lactentes e Crianças
O uso de fármacos da classe das tetraciclinas, incluindo a oxitetraciclina durante o desenvolvimento dos dentes (metade final da gravidez, lactação e até os 8 anos de idade) pode provocar descoloração permanente dos dentes (amarelo-cinza-marrom). Esta reação adversa é mais comum com o uso prolongado desses fármacos, mas também foi observada depois de repetidos tratamentos de curta duração. Hipoplasia do esmalte dos dentes também foi relatada (vide item 9. Reações Adversas). Portanto, a oxitetraciclina não deve ser utilizada neste grupo etário, a não ser que outros medicamentos não se mostrem eficazes, ou seja, contraindicados.

Interações medicamentosas de Terramicina

Em virtude das tetraciclinas demonstrarem deprimir a atividade plasmática da protrombina, pacientes que estiverem em tratamento com anticoagulantes podem necessitar de redução na dose dos mesmos.
Uma vez que os antibióticos bacteriostáticos podem interferir com a ação bactericida da penicilina, aconselha- se evitar o uso concomitante de tetraciclinas e penicilinas.
Foi relatado que o uso concomitante de tetraciclinas e metoxiflurano pode resultar em toxicidade renal fatal. A absorção das tetraciclinas é prejudicada por compostos contendo bismuto, antiácidos contendo alumínio, cálcio ou magnésio, ou outros medicamentos contendo esses cátions e preparações contendo ferro.
O uso concomitante de tetraciclina e contraceptivos orais pode resultar em uma menor eficácia do contraceptivo oral.
Os alimentos e alguns laticínios também interferem na absorção. Assim, as formas orais de oxitetraciclina devem ser administradas 1 hora antes ou 2 horas após as refeições (vide item 8. Posologia e Modo de Usar). Interações com Testes Laboratoriais: Podem ocorrer falsas elevações nos níveis da catecolamina urinária devido à interferência com teste de fluorescência.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Terramicina

Cápsulas

Sistema sanguíneo e linfático: anemia hemolítica, trombocitopenia, neutropenia, eosinofilia.

Sistema imune: hipersensibilidade, reação anafilática.

Metabolismo e nutrição: redução do apetite.

Sistema nervoso: fontanelas abauladas, hipertensão intracraniana benigna.

Cardíaco: pericardite.

Gastrintestinal: úlcera esofágica, diarreia, glossite, diafagia, enterocolite, esofagite, náusea, vômito, inflamação anal, coloração dos dentes.

Pele e tecido subcutâneo: púrpura Henoch-Schonlein, angioedema, urticária, rash maculopapular, rash eritematoso, dermatite esfoliativa, reação de fotossensibilidade.

Musculoesquelético e tecido conjuntivo: lúpus eritematoso sistêmico.

Congênito, familiar/genético: hipoplasia dos dentes.

Laboratorial: aumento de ureia sanguínea.

Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária - NOTIVISA, disponível em http://www.anvisa.gov.br/hotsite/notivisa/index.htm, ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.
_______________________________________________________________________

Solução injetável

As reações adversas mais frequentemente relatadas após tratamento com Terramicina® foram dor no local da injeção (menos que 7% dos pacientes) e eritema (menos que 3% dos pacientes). A aplicação intramuscular deve ser profunda, com muito cuidado para não prejudicar o nervo ciático e não injetar o medicamento intravascularmente.

Distúrbio do Sistema Linfático e Hematopoiético: anemia hemolítica, trombocitopenia, neutropenia e eosinofilia.

Distúrbio do Sistema Imune: hipersensibilidade, reação anafilática.

Distúrbio do Metabolismo e Nutrição: diminuição do apetite.

Distúrbio do Sistema Nervoso Central e Periférico: fontanelas abauladas, hipertensão intracraniana benigna.

Distúrbio do Sistema Cardíaco: pericardite.

Distúrbio do Sistema Gastrintestinal: náusea, vômito, diarreia, glossite, disfagia, enterocolite e inflamação anal, e descoloração dos dentes.

Distúrbio da Pele e Tecidos Subcutâneos: eritema, urticária, angioedema, púrpura de Henoch-Schonlein, rash eritematoso, rash maculopapular, dermatite esfoliativa, fotossensibilidade.

Distúrbio do Sistema Músculoesquelético e Tecidos Conjutivos: lúpus eritomatoso sistêmico.

Desordens Genéticas, Congênitas e Familiares: hipoplasia dos dentes.

Distúrbio das Reações Gerais e no Local de Administração: dor e irritação no local da injeção.

Interações Laboratoriais: aumento da ureia sanguínea.

Interações Laboratoriais: aumento da ureia sanguínea.

Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária - NOTIVISA, disponível em http://www.anvisa.gov.br/hotsite/notivisa/index.htm, ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

Terramicina - Posologia

Cápsulas

A dose total diária de Terramicina® deve ser administrada em doses igualmente divididas, a cada 6 horas. O tratamento deve ser mantido por no mínimo 24-48 horas após o desaparecimento dos sintomas e febre.

Uso em Adultos
A dose diária usual de Terramicina® é de 1-2 g dividida em 4 doses iguais, dependendo da gravidade da infecção. Em adultos com infecções de gravidade moderada é possível a administração da dose normal de 1 g/dia, dividida em 500 mg 2 vezes ao dia.
Em pacientes com insuficiência renal, a dose total deve ser diminuída pela redução da dose individual recomendada e/ou pelo aumento do intervalo de tempo entre as doses (vide item 5. Advertências e Precauções).
Para o tratamento de brucelose a administração de Terramicina® 500 mg, 4 vezes/dia por 3 semanas, deve ser acompanhada de 1 g de estreptomicina via intramuscular 2 vezes ao dia na primeira semana e 1 vez ao dia na segunda semana.
Para o tratamento de sífilis primária e secundária em pacientes não grávidas e alérgicas à penicilina, recomenda-se Terramicina® 500 mg via oral, 4 vezes ao dia por 2 semanas.
Para o tratamento de sífilis latente ou terciária em pacientes não grávidas e alérgicas à penicilina, recomenda- se Terramicina® 500 mg via oral, 4 vezes ao dia por 2 semanas, desde que a duração da infecção seja conhecida como sendo menos que 1 ano, caso contrário, a Terramicina® deve ser administrada por 4 semanas.

Uso em Pacientes Idosos
As mesmas orientações dadas aos adultos devem ser seguidas para os pacientes idosos.

Cuidados na Administração
A administração de quantidades adequadas de líquido com a Terramicina® cápsulas é recomendada para facilitar a diluição do fármaco e reduzir o risco de irritação e ulceração esofágica (vide item 9. Reações Adversas). Os pacientes devem também ser alertados a não se deitar por pelo menos 30 minutos depois de utilizarem o medicamento.
Os alimentos e alguns laticínios também interferem na absorção. Assim, a forma oral de Terramicina® deve ser administrada uma hora antes ou duas horas após as refeições (vide item 6. Interações Medicamentosas).
Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

Dose Omitida
Caso o paciente esqueça-se de administrar Terramicina® no horário estabelecido, deve fazê-lo assim que lembrar. Entretanto, se já estiver perto do horário de administrar a próxima dose, deve desconsiderar a dose esquecida e utilizar a próxima. Neste caso, o paciente não deve utilizar a dose duplicada para compensar doses esquecidas. O esquecimento da dose pode comprometer a eficácia do tratamento.
________________________________________________________________________

Solução injetável

Terramicina® pode ser utilizada no início do tratamento, quando for necessária a garantia de níveis terapêuticos estáveis, ou em pacientes nos quais a administração oral não é possível n, devido a disfagia, náusea, intolerância gastrintestinal, perda da consciência, falta de cooperação, feridas traumáticas ou cirúrgicas do trato gastrintestinal ou obstrução intestinal.
A administração intramuscular de oxitetraciclina produz níveis sanguíneos menores quando comparada com a administração oral nas doses recomendadas. Os pacientes que estejam recebendo oxitetraciclina intramuscular devem passar para administração oral assim que possível.

Uso em Adultos
Para infecções de grau leve a moderado, devem ser administrados 200 ou 300 mg diariamente, em doses únicas de 100 mg a cada 8 ou 12 horas ou em dose única diária de 250 mg. Em infecções graves, devem ser administrados 300 a 500 mg diariamente, em doses únicas de 100 mg a cada 6 a 8 horas ou em dose única de 250 mg a cada 12 horas.

Uso em Crianças com Idade Acima de 8 Anos
Terramicina® deve ser administrada em doses de 15 a 25 mg/kg/dia de peso corporal, não excedendo a dose máxima de adulto. As doses podem ser divididas e administradas a cada 8 a 12 horas.

Uso em Pacientes Idosos
As mesmas orientações dadas aos adultos podem ser seguidas para os pacientes idosos.

Cuidados na administração
Assim como todas as preparações intramusculares, a Terramicina® solução intramuscular deve ser administrada profundamente em região de grande musculatura, tal como o quadrante superior da região glútea ou a lateral da coxa. Deve-se sempre ter cuidado ao selecionar o local da administração para evitar a injeção em um nervo importante. Para evitar a possibilidade de lesão no nervo radial, as injeções não devem ser aplicadas nos terços médio e inferior do braço. Deve-se utilizar agulha estéril sem material depositado externamente. Depois de inserida a agulha, recomenda-se aspirar a seringa antes da injeção para evitar a administração intravenosa acidental. Aconselha-se alternar os locais das injeções para cada tratamento subsequente.

Dose Omitida
Caso o paciente esqueça de administrar Terramicina® no horário estabelecido, deve fazê-lo assim que lembrar. Entretanto, se já estiver perto do horário de administrar a próxima dose, deve desconsiderar a dose esquecida e utilizar a próxima. Neste caso, o paciente não deve utilizar a dose duplicada para compensar doses esquecidas. O esquecimento da dose pode comprometer a eficácia do tratamento.

Superdosagem

Não há casos relatados de superdosagem com o uso de oxitetraciclina oral. Caso ocorra superdosagem, medidas gerais sintomáticas e de suporte são indicadas conforme a necessidade.
Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Características farmacológicas

A oxitetraciclina é um produto do metabolismo de Streptomyces rimosus, sendo um membro da família de antibióticos das tetraciclinas.

Propriedades Farmacodinâmicas
A oxitetraciclina é principalmente bacteriostática e acredita-se que seu efeito antimicrobiano seja devido à inibição da síntese proteica. A oxitetraciclina é ativa contra um grande número de micro-organismos Gram-negativos e Gram-positivos.
Os medicamentos da classe das tetraciclinas possuem espectro antimicrobiano muito similar, sendo comum a existência da resistência cruzada entre eles.

Propriedades Farmacocinéticas
A oxitetraciclina e seus sais são facilmente absorvidos por via oral e uma porcentagem de 10 a 40% liga-se às proteínas plasmáticas. Entre 40 e 70% é excretada inalterada na urina via filtração glomerular. Foi relatada uma meia-vida sérica de 6 a 10 horas para a oxitetraciclina em pacientes com função renal normal.
A oxitetraciclina difunde-se facilmente através da placenta à circulação fetal, ao líquido pleural e, sob certas circunstâncias, ao líquido cerebroespinhal. Acredita-se que a oxitetraciclina seja concentrada no sistema hepático e excretada na bile, de modo que aparece tanto nas fezes como na urina sob forma biologicamente ativa.

Resultados de eficácia

A oxitetraciclina é um antibiótico de grande espectro que apresenta eficácia no tratamento de diversas infecções, tais como: febre maculosa, febre tifoide e grupo tifoide, febre Q, ricketsioses, infecção respiratória causada por Mycoplasma pneumoniae, psitacose causada por Chlamydia psittaci; tracoma causado por Chlamydia trachomatis (Chopra et al,1992; Smilack, 1999; Voils et al,2005; Shlaes, 2006; Sapadin et al, 2006).

Armazenagem

Terramicina® cápsulas deve ser conservada em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C), protegida da luz e da umidade.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem. Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.
Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Características físicas e organolépticas: cápsulas de gelatina laranja contendo pó amarelo.

Características físicas e organolépticas: solução amarelo-âmbar clara

Dizeres legais

MS – 1.0216.0025
Farmacêutico Responsável: José Cláudio Bumerad – CRF-SP n° 43746

Registrado e fabricado por:
LABORATÓRIOS PFIZER LTDA.
Av. Presidente Tancredo de Almeida Neves, 1555
CEP 07112-070 - Guarulhos – SP
CNPJ nº 46.070.868/0001-69
Indústria Brasileira.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
SÓ PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DA RECEITA.

Terramicina - Bula para o Paciente

Cápsulas

1.PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?
Terramicina® (cloridrato de oxitetraciclina) cápsulas é indicada no tratamento de infecções por bactérias suscetíveis à oxitetraciclina, quando os testes de laboratório feitos com as bactérias causadoras da infecção demonstrarem que essa bactéria é suscetível a oxitetraciclina.

2. COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?
Terramicina® contém o antibiótico (medicamento que age no combate à infecção) oxitetraciclina que impede que as bactérias produzam proteínas - base do crescimento e reprodução das bactérias – impedindo-as de crescer e se multiplicar.

3. QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO? Leia também as respostas 4 e 8
Terramicina® não deve ser usada se você já apresentou hipersensibilidade (reação alérgica) à oxitetraciclina, a algum antibiótico da classe das tetraciclinas ou a qualquer componente da fórmula.

4. O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO? Leia também as respostas 3 e 8
Terramicina® não foi estudada em pacientes grávidas. Terramicina® não deve ser utilizada por mulheres grávidas sem orientação médica. Informe ao seu médico se estiver grávida, ou se engravidar durante ou após o tratamento.
Tem sido relatada uma possível associação entre o uso de tetraciclina oral durante a gravidez com fissura labial (com ou sem fissura palatal), defeitos do tubo neural e defeitos cardiovasculares.
Durante o desenvolvimento dos dentes (da metade da gestação até os 8 anos de idade da criança) não se recomenda o uso de antibióticos da classe das tetraciclinas, como Terramicina®, porque isso pode levar a alteração permanente da cor dos dentes, tornando-os amarelo-cinza-marrons.
Terramicina® é excretada no leite materno. Como a criança em aleitamento está na idade de formação dos dentes, não se recomenda o uso de Terramicina® para mulheres que estejam amamentando, exceto se os benefícios superam os riscos. Informe ao seu médico se estiver amamentando.
Portadores de insuficiência renal (alteração da função dos rins) devem receber doses reduzidas de Terramicina® para evitar toxicidade. Informe ao seu médico se você tiver qualquer problema de função dos rins.
Terramicina® pode aumentar a sensibilidade da pele à exposição solar. Se você se expõe diretamente à luz solar na sua vida diária, informe ao seu médico. Recomenda-se que à primeira evidência de eritema (vermelhidão na pele) a medicação seja descontinuada.
O tratamento com antibacterianos altera a flora normal do intestino resultando em um crescimento excessivo de colônias de bactérias o que pode levar à diarreia. Quando a bactéria que cresce em excesso é a Clostridium difficile a gravidade pode variar de leve a colite fatal (infecção do cólon, parte do intestino). A diarreia associada a C. difficile pode ocorrer em até dois meses após a administração de antibióticos.
Sempre informe ao seu médico sobre todas as medicações que você toma quando ele for prescrever uma medicação nova. O médico precisa avaliar se as medicações reagem entre si alterando a sua ação, ou da outra; isso se chama interação medicamentosa.
Avise ao seu médico se você usa: (1) anticoagulantes (a Terramicina® interfere na atividade de coagulação e as doses dos medicamentos podem necessitar de ajustes); (2) penicilinas (alteração da função antibacteriana);
(3) metoxiflurano (toxicidade renal); (3) anticoncepcionais (redução da eficácia contraceptiva); (4) medicamentos com bismuto, antiácidos contendo alumínio, cálcio ou magnésio (podem alterar absorção da Terramicina®).
Pacientes em uso de Terramicina® podem ter alteração de exames urinários, por exemplo, falso positivo nos níveis de catecolamina urinária que determina o diagnóstico e acompanhamento de Feocromocitoma. Se você for colher qualquer tipo de exame laboratorial, avise no laboratório que está usando Terramicina®.
A duração do tratamento varia de acordo com o tipo de infecção. Portanto, o tratamento não deve ser interrompido antes do tempo orientado pelo seu médico, mesmo que já tenha sido obtida uma resposta (melhora dos sintomas) inicial

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

5. ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?
Terramicina® cápsulas deve ser conservada em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C), protegida da luz e da umidade.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem. Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.
Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças

Características do produto: cápsulas de gelatina laranja contendo pó amarelo.

6. COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?
Terramicina® não deve ser administrada com leite ou com o estômago cheio, porque os alimentos e alguns laticínios interferem na absorção. Terramicina® deve ser administrada 1 hora antes ou 2 horas após as refeições.
Para evitar irritações e ulcerações (lesões na mucosa) esofágicas (no esôfago), recomenda-se: (1) uso com quantidades adequadas de líquido e (2) não se deitar por pelo menos 30 minutos após a ingestão da medicação.
A duração do tratamento varia de acordo com o tipo de infecção. Portanto, o tratamento não deve ser interrompido antes do tempo orientado pelo seu médico, mesmo que já tenha sido obtida uma resposta (melhora dos sintomas) inicial.
A dose total diária de Terramicina® deve ser administrada em doses igualmente divididas, a cada 6 horas. O tratamento deve ser mantido por no mínimo 24-48 horas após o desaparecimento dos sintomas e febre.

Uso em Adultos: a dose diária usual de Terramicina® é de 1-2 g dividida em 4 doses iguais, dependendo da gravidade da infecção. Em adultos com infecções de gravidade moderada é possível a administração da dose normal de 1 g/dia, dividida em 500 mg 2 vezes ao dia.
Em pacientes com insuficiência renal, a dose total deve ser diminuída pela redução da dose individual recomendada e/ou pelo aumento do intervalo de tempo entre as doses.
Para o tratamento de brucelose a administração de Terramicina® 500 mg, 4 vezes/dia por 3 semanas, deve ser acompanhada de 1 g de estreptomicina via intramuscular 2 vezes ao dia na primeira semana e 1 vez ao dia na segunda semana.
Para o tratamento de sífilis primária e secundária em pacientes não grávidas e alérgicas à penicilina, recomenda-se Terramicina® 500 mg via oral, 4 vezes ao dia por 2 semanas.
Para o tratamento de sífilis latente ou terciária em pacientes não grávidas e alérgicas à penicilina, recomenda- se Terramicina® 500 mg via oral, 4 vezes ao dia por 2 semanas, desde que a duração da infecção seja conhecida como sendo menos que 1 ano, caso contrário, a Terramicina® deve ser administrada por 4 semanas.
Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

7. O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?
O esquecimento da dose pode comprometer a eficácia do tratamento.
Se você esquecer-se de tomar a Terramicina® no horário estabelecido pelo seu médico, tome-a assim que lembrar. Entretanto, se já estiver perto do horário da próxima dose, pule a dose esquecida e tome a próxima, continuando normalmente o esquema de doses recomendado pelo seu médico . Neste caso, não tome o medicamento 2 vezes para compensar doses esquecidas. Se você esquecer uma dose você pode comprometer a eficácia do tratamento.
Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

8. QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR? Leia também as respostas 3 e 4
Sistema sanguíneo e linfático:
anemia hemolítica (redução das células brancas do sangue por destruição das mesmas), trombocitopenia (destruição das células sanguíneas chamadas plaquetas, responsáveis pela coagulação) , neutropenia (redução de um tipo de célula branca do sangue) e eosinofilia (redução de um tipo de célula branca do sangue).

Sistema imune:
hipersensibilidade, reação anafilática (reação alérgica intensa que pode levar a risco de morte).

Metabolismo e nutrição: redução do apetite.

Sistema nervoso:
fontanelas abauladas (“moleiras” altas), hipertensão intracraniana benigna (pressão alta dentro do crânio)

Cardíaco:
pericardite (inflamação da membrana que recobre o coração).

Gastrintestinal: úlcera esofágica (ferida no esôfago), diarreia, glossite (inflamação da língua), disfagia (dificuldade para engolir), enterocolite (inflamação da parte do intestino chamada de “grosso”) esofagite (inflamação no esôfago), náusea, vômito, inflamação anal, descoloração dos dentes.

Pele e tecido subcutâneo: púrpura de Henoch-Schonlein (tipo de doença em que aparecem manchas causadas por extravasamento de sangue na pele), angioedema (inchaço das partes mais profundas da pele ou da mucosa, geralmente de origem alérgica), urticária (alergia da pele), rash maculopapular (vermelhidão de pele com lesões altas), rash eritematoso (vermelhidões de pele), dermatite esfoliativa (reações de pele com descamação), fotossensibilidade (reação da pele a luz).

Musculoesquelético e tecido conjuntivo:
lúpus eritomatoso sistêmico (doença autoimune –em que o sistema de defesa agride o próprio corpo – que pode atingir todos os órgãos do corpo)


Congênito, familiar/genético: hipoplasia dentária (dentes mal formados)

Laboratorial: aumento da ureia sanguínea (aumento da substância resultante da metabolização das proteínas no sangue).
O tratamento com agentes antibacterianos, incluindo oxitetraciclina, altera a flora normal do cólon (intestino), resultando em um supercrescimento da bactéria Clostridium difficile. Diarreia associada a C. difficile (CDAD) deve ser considerada em todos os pacientes que apresentam diarreia após o uso de antibióticos. É necessário um cuidadoso histórico médico e acompanhamento.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento.
Informe também à empresa, através de seu serviço de Atendimento.

9. O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?
Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível.
Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações .
________________________________________________________________________________

Solução injetável

1.PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?
Terramicina® (oxitetraciclina diidratada/lidocaína) solução intramuscular é indicada no tratamento de infecções por bactérias sucetíveis à oxitetraciclina, antibiótico presente na Terramicina®, quando os testes de laboratório feitos com as bactérias causadoras da infeção demonstrarem que essa bactéria é sensível à oxitetraciclina.

2. COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?
Terramicina® contém o antibiótico oxitetraciclina, que impede que as bactérias produzam proteínas – base do crescimento e reprodução das bactérias – impedindo-as de crescer e se multiplicar.

3. QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?
Terramicina® não deve ser usada se você já apresentou hipersensibilidade (reação alérgica) à oxitetraciclina, à algum antibiótico da classe das tetraciclinas ou a qualquer componente da fórmula.

4. O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?
Terramicina® não foi estudada em pacientes grávidas. Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica. Informe imediatamente a seu médico em caso de suspeita de gravidez. Informe ao seu médico se estiver grávida, ou se engravidar durante ou após o tratamento.
Durante o desenvolvimento dos dentes (da metade da gestação até os 8 anos de idade da criança) não se recomenda o uso de antibióticos da classe das tetraciclinas, como Terramicina®, porque isso pode levar a alteração permanente da cor dos dentes, tornando-os amarelo-cinza-marrons..
Terramicina® é excretada no leite materno. Como a criança em aleitamento está na idade de formação dos dentes, não se recomenda o uso de Terramicina® para mulheres que estejam amamentando; exceto se os benefícios superam os riscos. Informe ao seu médico se estiver amamentando.
Portadores de insuficiência renal (alteração da função dos rins) devem receber doses reduzidas de Terramicina® para evitar toxicidade. Informe ao seu médico se você tiver qualquer problema de função dos rins.
Terramicina® pode aumentar a sensibilidade da pele à exposição solar. Se você se expõe diretamente à luz solar na sua vida diária, informe ao seu médico. Recomenda-se que à primeira evidência de eritema (vermelhidão na pele) a medicação seja descontinuada.
O tratamento com antibacterianos altera a flora normal do intestino resultando em um crescimento excessivo de colônias de bactérias, o que pode levar à diarreia. Quando a bactéria que cresce em excesso é a Clostridium difficile a gravidade pode variar de leve a colite fatal (infecção do cólon, parte do intestino). A diarreia associada a C. difficile pode ocorrer em até dois meses após a administração de antibióticos.
Sempre informe ao seu médico sobre todas as medicações que você toma quando ele for prescrever uma medicação nova. O médico precisa avaliar se as medicações reagem entre si alterando a sua ação, ou da outra; isso se chama interação medicamentosa.
Avise seu médico se você usa: (1) anticoagulantes (a Terramicina® interfere na atividade de coagulação e as doses dos medicamentos podem necessitar de ajustes), (2) penicilinas (alteração da função antibacteriana); (3) metoxiflurano (toxicidade renal); (3) anticoncepcionais (redução da eficácia contraceptiva); (4) medicamentos com bismunto, antiácidos contendo alumínio, cálcio ou magnésio (podem alterar absorção da Terramicina®).
Pacientes em uso de Terramicina® podem ter alteração de exames urinários, por exemplo, falso positivo nos níveis de catecolamina urinária que determina o diagnóstico e acompanhamento de Feocromocitoma. Se você for colher qualquer tipo de exame laboratorial, avise no laboratório que está usando Terramicina®.
A duração do tratamento varia de acordo com o tipo de infecção. Portanto, o o tratamento não deve ser interrompido antes do tempo orientado pelo seu médico, mesmo que já tenha sido obtida uma resposta (melhora dos sintomas) inicial.
Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

5. ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?
Terramicina® solução intramuscular deve ser conservada em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C), protegido da luz.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem. Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.
Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças

Características do produto: solução amarelo-âmbar clara.

6. COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?
A duração do tratamento varia de acordo com o tipo de infecção. Portanto, o tratamento não deve ser interrompido antes do tempo orientado pelo seu médico, mesmo que já tenha sido obtida uma resposta (melhora dos sintomas) inicial.
Uso em Adultos: Para infecções de grau leve a moderado, devem ser administrados 200 ou 300 mg diariamente, em doses únicas de 100 mg a cada 8 ou 12 horas ou em dose única diária de 250 mg. Em infecções graves, devem ser administrados 300 a 500 mg diariamente, em doses únicas de 100 mg a cada 6 a 8 horas ou em dose única de 250 mg a cada 12 horas.

Uso em Crianças com Idade Acima de 8 Anos: Terramicina® deve ser administrada em doses de 15 a 25 mg/kg/dia de peso corporal, não excedendo a dose máxima de adulto. As doses podem ser divididas e administradas a cada 8 a 12 horas.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento de seu médico.

7. O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?
Caso você esqueça de usar Terramicina® no horário estabelecido pelo seu médico, use-o assim que lembrar. Entretanto, se já estiver perto do horário de usar a próxima dose, pule a dose esquecida e use a próxima, continuando normalmente o esquema de doses recomendado pelo seu médico. Neste caso, não use o medicamento 2 vezes para compensar doses esquecidas. Se você esquecer uma dose você pode comprometer a eficácia do tratamento.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

8. QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?
Distúrbio do Sistema Linfático e Hematopoiético: anemia hemolítica (redução das células brancas do sangue por destruição das mesmas), trombocitopenia (destruição das células sanguíneas chamadas plaquetas, responsáveis pela coagulação), neutropenia (redução de um tipo de célula branca do sangue) e eosinofilia (redução de um tipo de célula branca do sangue).

Distúrbio do Sistema Imune: hipersensibilidade, reação anafilática (reação alérgica intensa que pode levar a risco de morte).

Distúrbio do Metabolismo e Nutrição: diminuição do apetite.

Distúrbio do Sistema Nervoso Central e Periférico: fontanelas abauladas (“moleiras” altas), hipertensão intracraniana benigna (pressão alta dentro do crânio).

Distúrbio do Sistema Cardíaco: pericardite (inflamação da membrana que recobre o coração).

Distúrbio do Sistema Gastrintestinal: náusea, vômito, diarreia, glossite (inflamação da língua), disfagia (dificuldade para engolir), enterocolite (inflamação da parte do intestino chamada de “grosso”) e inflamação anal, e descoloração dos dentes.

Distúrbio da Pele e Tecidos Subcutâneos: eritema (pele vermelha), urticária (alergia da pele), angioedema (inchaço das partes mais profundas da pele ou da mucosa, geralmente de origem alérgica), púrpura de Henoch-Schonlein (tipo de doença em que aparecem manchas causadas por extravasamento de sangue na pele), rash eritematoso (vermelhidões de pele), rash maculopapular (vermelhidão de pele com lesões altas), dermatite esfoliativa (reações de pele com descamação), fotossensibilidade (reação da pele a luz).

Distúrbio do Sistema Musculoesquelético e Tecidos Conjutivos: lúpus eritomatoso sistêmico (doença autoimune–em que o sistema de defesa agride o próprio corpo – que pode atingir todos os órgãos do corpo).

Desordens Genéticas, Congênitas e Familiares: hipoplasia dos dentes (dentes mal formados).

Distúrbio do Reações Gerais e no Local de Administração: dor e irritação no local da injeção.

Interações Laboratoriais: aumento da ureia sanguínea (aumento da substância resultante da metabolização das proteínas no sangue).
O tratamento com agentes antibacterianos, incluindo oxitetraciclina, altera a flora normal do cólon (intestino), resultando em um supercrescimento da bactéria Clostridium difficile. Diarreia associada a C. difficile (CDAD) deve ser considerada em todos os pacientes que apresentam diarreia após o uso de antibióticos. É necessário um cuidadoso histórico médico e acompanhamento.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento.
Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

9. O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?
Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível.
Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Data da bula

27/08/2014

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal