Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Noretisterona 0,5mg e Estradiol 1mg

Noretisterona 0,5mg e Estradiol 1mg - Bula do remédio

Noretisterona 0,5mg e Estradiol 1mg com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Noretisterona 0,5mg e Estradiol 1mg têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Noretisterona 0,5mg e Estradiol 1mg devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Obs.: A MedicinaNET não vende nenhum tipo de medicamento.

Referência

Activelle (Medley)

Apresentação de Noretisterona 0,5mg e Estradiol 1mg

Comprimidos. Embalagens contendo 1 ou 3 estojo(s) calendário(s) com 28 comprimidos. Cada comprimido de Activelle contém: Estradiol (na forma de hemiidrato) ...1,0 mg Acetato de noretisterona....0,5 mg Excipientes q.s.p ... 1 comprimido Excipientes: lactose monoidratada, amido de milho, copolividona, talco, estearato de magnésio, hidroxipropilmetilcelulose, triacetato de glicerol.

Noretisterona 0,5mg e Estradiol 1mg - Indicações

Terapia de Reposição Hormonal para os sintomas de deficiência estrogênica, em mulheres na menopausa há mais de um ano. Prevenção da osteoporose em mulheres na pós-menopausa. A experiência no tratamento de mulheres com mais de 65 anos é limitada.

Contra-indicações de Noretisterona 0,5mg e Estradiol 1mg

- Gravidez ou suspeita de gravidez - Lactação - Conhecimento, suspeita ou histórico anterior de câncer de mama - Conhecimento ou suspeita de tumores dependentes de estrógeno - Sangramento vaginal não diagnosticado - Processos tromboembólicos ativos ou recentes - Doença hepática aguda ou crônica ou histórico de doença hepática, desde que os testes de função hepática não tenham retornado ao normal - Hipersensibilidade conhecida a qualquer componente do produto

Advertências

Antes de iniciar ou reinstituir a Terapia de Reposição Hormonal (TRH), deve-se realizar um histórico médico pessoal e familiar completo, juntamente com um exame geral e ginecológico orientado de acordo com as contra-indicações e precauções quanto ao uso. Durante o tratamento são recomendados exames periódicos, cuja freqüência e natureza dependem de cada mulher. Com o tempo, deve-se realizar uma avaliação cuidadosa da relação risco/benefício em mulheres sob terapia com estrógeno/progesterona. Caso qualquer uma das seguintes condições esteja presente, tenha ocorrido anteriormente, e/ou tenha sido agravada em decorrência de uma gravidez ou de um tratamento hormonal prévio, os benefícios do tratamento devem ser avaliados em relação aos possíveis riscos. Nesses casos, as pacientes devem ser cuidadosamente supervisionadas. Deve-se levar em consideração que essas condições podem, em raros casos, ocorrer novamente ou se agravar durante o tratamento com Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona): - histórico de tumores dependentes de estrógeno; - leiomioma, endometriose, hiperplasia do endométrio; - doença fibrocística de mama; - histórico de distúrbios tromboembólicos ou presença de fatores de risco (vide abaixo); - hipertensão; - diabetes mellitus com comprometimento vascular; - distúrbios hepáticos (por exemplo: porfiria, adenoma hepático); - colelitíase; - otosclerose; - enxaqueca ou dor de cabeça (grave). Os estrógenos podem causar retenção de fluidos e, portanto, pacientes com disfunção cardíaca ou renal devem ser cautelosamente observadas. Pacientes com doença renal em estágio terminal devem ser cuidadosamente monitoradas, pois espera-se um aumento dos níveis circulantes dos componentes ativos de Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona). No caso de agravamento da asma, da epilepsia ou do diabetes mellitus, a TRH deve ser reconsiderada. Estudos epidemiológicos sugerem que a TRH está associada a um risco relativamente alto de desenvolvimento de tromboembolismo venoso (TEV), ou seja, trombose venosa profunda ou embolia pulmonar. Os estudos relataram um risco 2 a 3 vezes maior para mulheres sob TRH comparadas àquelas que não estão sob TRH, o que para mulheres sadias representa 1 caso extra de TEV para cada 5000 pacientes sob TRH. Os fatores de risco geralmente reconhecidos para o TEV incluem um histórico pessoal ou familiar, obesidade grave (Índice de Massa Corporal > 30 kg/m2) e lúpus eritematoso sistêmico. Em mulheres que apresentam fatores de risco, os benefícios do tratamento com TRH devem ser cuidadosamente avaliados contra os riscos. Não existe um consenso com relação ao possível papel das veias varicosas no TEV. O risco de TEV pode aumentar temporariamente com a imobilização prolongada, traumas maiores ou cirurgia maior. Assim como em todos os pacientes de pós-operatório, deve-se dar uma atenção especial às medidas profiláticas, a fim de se evitar um TEV pós-cirúrgico. Quando a imobilização prolongada for passível de ocorrer após uma cirurgia eletiva, especialmente no caso de cirurgia abdominal ou ortopédica dos membros inferiores, deve-se considerar, se possível, a interrupção temporária da TRH por quatro a seis semanas antes da cirurgia. Se ocorrer TEV após o início da terapia, deve-se interromper a administração do medicamento. A utilização da TRH por mais de cinco anos está associada ao aumento do risco de câncer de mama. O risco aumenta com o tempo de tratamento e diminui após a interrupção, de modo que o risco de câncer de mama está no mesmo nível de mulheres não tratadas cinco anos após a interrupção. Os cânceres de mama que ocorrem em mulheres sob TRH tendem a ser mais limitados do que aqueles que ocorrem em mulheres que não estão sob TRH. Os achados podem ser devidos a um diagnóstico precoce, efeitos biológicos da TRH ou uma combinação de ambos. O aumento absoluto no risco é de pequeno a moderado. Entre os 50 e 70 anos de idade, aproximadamente 45 mulheres em cada 1000 irão apresentar um diagnóstico de câncer de mama. Dentre as que utilizam a TRH por 5 anos, 2 casos extra de câncer de mama em cada 1000 serão detectados para a mesma faixa etária. Para aquelas mulheres que utilizam a TRH por 10 a 15 anos, haverá 6 e 12 casos extra de câncer de mama, respectivamente, em cada 1000 mulheres. O exame regular da mama e quando necessária, a mamografia, devem ser realizados em mulheres sob TRH. A condição da mama também deve ser cuidadosamente monitorada em mulheres com histórico ou conhecimento de nódulos mamários, doença fibrocística ou com histórico familiar de câncer de mama. Tem sido relatado que há um aumento no risco de doença da vesícula biliar confirmada cirurgicamente, em mulheres na pós-menopausa que estejam recebendo estrógenos. Tem sido relatado um aumento no risco de desenvolvimento de lúpus eritematoso sistêmico durante a TRH. A utilização de estrógeno pode influenciar os resultados de determinados testes de função endócrina e hepática. Freqüentemente ocorre sangramento de privação e manchas durante os meses iniciais de tratamento. Se em qualquer momento o sangramento ou mancha for inaceitável, deve-se suspender a administração de Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona). Se houver recidiva do sangramento após um período de amenorréia ou se persistir após o tratamento ter sido suspenso, deve-se investigar a etiologia do sangramento. Isso inclui uma biópsia endometrial. Contraceptivo Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona) não apresenta efeito contraceptivo.

Uso na gravidez de Noretisterona 0,5mg e Estradiol 1mg

Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona) é contra-indicado durante a gravidez e lactação.

Interações medicamentosas de Noretisterona 0,5mg e Estradiol 1mg

Drogas indutoras de enzimas microssomais hepáticas, como barbitúricos, fenitoína, rifampicina e carbamazepina podem aumentar o metabolismo das substâncias ativas de Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona), promovendo redução do efeito das mesmas. Drogas que inibem a atividade das enzimas microssomais hepáticas, como cetoconazol, podem aumentar os níveis circulantes das substâncias ativas de Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona). A alimentação retarda a absorção da noretisterona e diminui a Cmáx, entretanto, a extensão da absorção não é diminuída. Não há relevância clínica para este achado.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Noretisterona 0,5mg e Estradiol 1mg

O evento adverso mais freqüentemente relatado durante o tratamento em ensaios clínicos foi a sensibilidade na mama, que foi relatada principalmente durante os meses iniciais do tratamento. Outros eventos adversos associados ao tratamento com estrógeno-progesterona foram relatados com Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona) em ensaios clínicos: dor de cabeça, sangramento vaginal, dor abdominal, náusea, flatulência, aumento da mama, aumento do tamanho dos fibróides uterinos, erupção cutânea e prurido, insônia, depressão, tromboembolismo venoso e edema. Eventos adversos adicionais associados ao tratamento com estrógeno-progesterona: gastrointestinal: dispepsia, vômito, gases, doença da vesícula biliar, pedras na vesícula; pele: queda de cabelo, hirsutismo; Sistema Nervoso Central: cefaléia, vertigem; urogenital: candidíase vaginal; cardiovascular: aumento da pressão sangüínea; diversos: aumento ou diminuição de peso, alterações na libido, cãibras nas pernas. Casos excepcionais de cloasma, eritema multiforme, eritema nodoso e erupção hemorrágica têm sido relatados em mulheres sob Terapia de Reposição Hormonal (TRH).

Noretisterona 0,5mg e Estradiol 1mg - Posologia

Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona) é um medicamento de administração contínua, que contém estrogênio e progestogênio combinados, para ser administrado à mulheres com útero intacto. Deve-se ingerir um comprimido de Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona) ao dia, sem interrupções, preferivelmente no mesmo horário do dia. A Terapia de Reposição Hormonal (TRH) para a prevenção de osteoporose da pós-menopausa deve levar em consideração os efeitos esperados sobre a massa óssea, que são dose-relacionados, e a tolerabilidade individual ao tratamento. Uma mudança para um produto de combinação com dose maior pode ser indicada se a resposta após três meses para o alívio satisfatório dos sintomas for insuficiente. Em mulheres com amenorréia e que não estejam sob TRH ou em mulheres que estejam se transferindo de um outro produto de TRH combinado de uso contínuo, o tratamento com Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona) pode ser iniciado no dia em que for mais conveniente. Em mulheres que estejam se transferindo de regimes seqüenciais de TRH, o tratamento deve ser iniciado logo após o término do sangramento.

Superdosagem

Em caso de superdosagem, poderá ocorrer náusea e vômito. Não existe antídoto específico e o tratamento deverá ser sintomático.

Características farmacológicas

O componente estrogênio de Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona) é o 17 b-estradiol, idêntico ao 17 b-estradiol endógeno humano e classificado como um estrogênio natural. O componente acetato de noretisterona é um progestogênio sintético. O componente estrogênio de Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona) repõe a produção diminuída de estrogênio em mulheres na menopausa e alivia os sintomas da mesma. O componente progestogênio fornece proteção ao risco aumentado de hiperplasia endometrial e carcinoma estrogênio-induzidos e contra alterações proliferativas estrogênio-induzidas no endométrio, como demonstrado em estudos de um ano com Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona). Em estudos clínicos com Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona), a adição de acetato de noretisterona melhorou o sintoma vasomotor aliviando o efeito do 17 b- estradiol. A atividade biológica de Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona) sobre o eixo pituitário-hipotalâmico pode ser observada pela redução nos níveis séricos de FSH na menopausa. Adicionalmente, observou-se um efeito na citologia vaginal, como demonstrado pelo aumento das células epiteliais superficiais da vagina durante o tratamento com Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona). O alívio dos sintomas da menopausa é obtido durante as primeiras semanas de tratamento. A deficiência estrogênica na menopausa está associada com o rápido declínio da massa óssea e com um aumento da reabsorção óssea. A alta reabsorção óssea acentua a perda óssea em mulheres na pós-menopausa. Vários fatores de risco estão associados com a perda óssea da pós-menopausa incluindo: menopausa precoce, histórico familiar de osteoporose, histórico pessoal de fraturas na fase adulta, exposição prolongada à terapia com corticosteróides, baixo peso corpóreo e fumantes. O efeito do estrogênio sobre a densidade mineral óssea é dose-dependente e portanto, o efeito de Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona) pode ser menor que o observado com altas doses de estradiol. Em um estudo conduzido em mulheres na pós-menopausa com média de 58 anos de idade, o tratamento com Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona) por 2 anos aumentou a densidade mineral óssea na espinha lombar em 5,9 + 0,9%, no quadril total em 4,2 + 1,0%, no rádio distal em 2,1 + 0,6% e no corpo todo em 3,7% + 0,6%. Nestas mulheres, Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona) diminuiu a reabsorção óssea e os marcadores da formação óssea em valores médios dentro dos limites de pré-menopausa. Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona) é uma Terapia de Reposição Hormonal (TRH) combinada e contínua destinada a evitar o sangramento regular de interrupção associado à TRH cíclica ou seqüencial. Durante os primeiros meses de tratamento, sangramento de privação e manchas são comuns de aparecerem, mas tendem a diminuir com o tempo. Após 9 a 12 meses de tratamento, cerca de 80% das mulheres tornam-se amenorréicas. Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona) tem influência sobre processos metabólicos. Em estudos clínicos placebo-controlados, Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona) reduziu o colesterol total, o LDL-colesterol e a lipoproteína(a). Uma diminuição no HDL-colesterol ao longo do tempo foi observada sem qualquer alteração na proporção LDL/HDL. Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona) não aumentou os níveis de triglicérides. Além disso, Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona) não alterou a tolerância à glicose ou a sensibilidade à insulina.

Resultados de eficácia

-

Modo de usar

1. Gire o disco interno (onde estão marcados os dias da semana), ajustando a posição da pequena lingüeta plástica ao dia da semana desejado. 2. Para retirar o primeiro comprimido, quebre a lingüeta plástica e retire o comprimido. 3. Diariamente, mova um espaço do disco plástico transparente, em sentido horário como indicado pela seta, retire o próximo comprimido e ingira-o. O disco plástico transparente só pode ser movido após o comprimido ser retirado da abertura.

Uso em idosos, crianças e em outros grupos de risco

-

Armazenagem

Activelle (Estradiol - Acetato de noretisterona) deve ser conservado em temperatura ambiente, em local seco e ao abrigo da luz.

Dizeres legais

Fabricado por: NOVO NORDISK A/S Novo Allé DK-2880 Bagsvaerd Dinamarca Distribuído por: MEDLEY S. A. Indústria Farmacêutica Rua Macedo Costa, 55 – Campinas – SP C.N.P.J.: 50.929.710/0001-79 Indústria Brasileira

Data da bula

Sep 9 2008 12:00AM

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal