FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Antidepressivos para Fibromialgia

Autor:

Rodrigo Díaz Olmos

Doutor em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de são Paulo (FMUSP). Diretor da Divisão de Clínica Médica do Hospital Universitário da USP. Docente da FMUSP.

Última revisão: 01/02/2009

Comentários de assinantes: 0

Tratamento da fibromialgia com antidepressivos: uma metanálise

Treatment of fibromyalgia syndrome with antidepressants: A meta-analysis. JAMA 2009 Jan 14; 301:198 [Link para Abstract].

 

Fator de Impacto da Revista (JAMA): 25,547.

 

Contexto Clínico

A síndrome da fibromialgia é um transtorno de dor crônica associado com múltiplos sintomas debilitantes e altos custos relacionados à condição. Tratamentos efetivos são absolutamente necessários. Os antidepressivos, particularmente os tricíclicos, são as drogas mais comumente utilizadas no tratamento da fibromialgia, mas nenhuma metanálise sobre o uso de antidepressivos na fibromialgia foi publicada desde 2000.

 

O Estudo

Metanálise de ensaios clínicos randomizados placebo-controlados com tricíclicos e tetracíclicos, inibidores seletivos de recaptação da serotonina, inibidores da recaptação da serotonina e da noradrenalina e inibidores da monoaminoxidase. Os estudos foram pesquisados utilizando-se o Medline, PsycINFO, Scopus e a Cochrane Library até agosto de 2008. Dois autores avaliaram os dados de forma independente. Os efeitos de tratamento foram sumarizados utilizando-se as diferenças médias estandardizadas (SMD – standard mean difference) através do modelo de efeito randômico.

 

Resultados

Foram incluídos 18 ensaios clínicos randomizados, com duração média de 8 semanas, envolvendo 1427 participantes. De uma forma geral, houve uma forte evidência de associação entre uso de antidepressivo e redução da dor (SMD -0,43 IC95% -0,55 a -0,30), redução da fadiga (SMD -0,13 IC95% -0,26 a -0,01), melhora no humor deprimido (SMD -0,26 IC95% -0,39 a -0,12) e melhora nas alterações do sono (SMD -0,32 IC95% -0,46 a -0,18). Houve uma forte evidência de associação entre uso de antidepressivos e melhora da qualidade de vida relacionada à saúde (SMD -0.31 IC95% -0,42 a -0,20). O tamanho do efeito relacionado à redução da dor foi maior para os antidepressivos tricíclicos (SMD -1,64 IC95% -2,57 a -0,71), médio para os inibidores da MAO (SMD -0,54 IC95% -1,02 a -0,07) e pequeno para os inibidores seletivos de recaptação de serotonina (SMD -0,39 IC95% -0,77 a -0,01) e para os inibidores de recaptação de serotonina e noradrenalina (SMD -0,36 IC95% -0,46 a -0,25). Os autores terminam por concluir que os antidepressivos (em particular os tricíclicos) estão associados a melhoras na dor, na fadiga, no humor, nas alterações do sono e na qualidade de vida relacionada à saúde de pacientes com fibromialgia.

 

Aplicações para a Prática Clínica

Nos comentários do estudo, os autores relatam que a amitriptilina e a duloxetina podem ser utilizadas por curto período para o controle da dor e das alterações de sono associadas à fibromialgia, e que estudos de mais longo prazo são necessários para avaliar a eficácia dos antidepressivos. Esta conclusão está de acordo com a conclusão de outra revisão sistemática2 realizada em 2008 sobre a eficácia da amitriptilina na fibromialgia. Nesta outra revisão os autores concluíram que a amitriptilina na dose de 25 mg/dia por 6 a 8 semanas mostrou um efeito positivo (embora pequeno) sobre a dor, o sono e a fadiga associados à fibromialgia, mas este efeito não persistia até a 12ª semana, e nem tampouco com uma dose de 50 mg/dia. Na presente revisão os achados foram semelhantes em relação à amitriptilina, e menos consistentes em relação aos outros antidepressivos, exceto a duloxetina. Há uma série de questões metodológicas relacionadas à presente revisão, como não inclusão de estudos não publicados, exclusão de estudos de boa qualidade, mas que não relatavam dados apropriados para inclusão na metanálise, heterogeneidade dos estudos avaliada por métodos não apropriados para modelo de efeito randômico, possível existência de viés de publicação, dentre outros. No entanto, a despeito de todas estas considerações, a utilização de amitriptilina na fibromialgia pode ser recomendada, uma vez que poucas são as intervenções eficazes nesta condição de grande morbidade, a amitriptilina tem sido usada há muitos anos nestes casos, os efeitos colaterais nas doses utilizadas não são proibitivos e há razoáveis evidências acumuladas sobre a sua eficácia. Outros antidepressivos também podem eventualmente ser utilizados, mas com resultados mais duvidosos.

 

Bibliografia

1.    Häuser W, Bernardy K, Üçeyler N, Sommer C. Treatment of fibromyalgia syndrome with antidepressants: A meta-analysis. JAMA 2009 Jan 14; 301:198.

2.    Nishishinya B, Urrútia G, Walitt B, Rodriguez A, Bonfill X, Alegre C, Darko G. Amitriptyline in the treatment of fibromyalgia: a systematic review of its efficacy. Rheumatology 2008;47:1741–1746.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal