FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Corticosteróide eficaz e valaciclovir ineficaz no tratamento da paralisia de Bell

Autor:

Euclides F. de A. Cavalcanti

Médico Colaborador da Disciplina de Clínica Médica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

Última revisão: 18/07/2009

Comentários de assinantes: 0

Corticosteróide eficaz e valaciclovir ineficaz no tratamento da paralisia de Bell

 

Prednisolona e valaciclovir na paralisia de Bell: um ensaio clínico multicêntrico, randomizado, duplo cego e placebo controlado.

Prednisolone and valaciclovir in Bell’s palsy: a randomised,double-blind, placebo-controlled, multicentre trial. Lancet Neurol 2008; 7: 993–1000 [Link para o abstract]

 

Fator de impacto da revista (Lancet Neurology): 14,270

 

Contexto Clínico

            A paralisia de Bell (ver também – Paralisia Facial Periférica) pode causar seqüelas importantes nos pacientes acometidos, que vão de problemas estéticos até problemas mais graves, tais como ressecamento ocular e consequente úlcera de córnea secundários a dificuldade no fechamento das pálpebras.

            Os estudos sugerem que o herpes simplex tem papel importante na patogênese da paralisia de Bell, de forma que o tratamento antiviral tem sido preconizado por muitos especialistas, de forma associada aos corticosteróides. De fato, um estudo com 221 pacientes publicado em 2007 mostrou benefício na associação de Valaciclovir associado à prednisolona em comparação com prednisolona e placebo2. Posteriormente, no entanto, foi publicado um novo ensaio clínico com melhores características metodológicas e envolvendo um número maior de pacientes (n = 551), no qual a associação de aciclovir à prednisolona não foi mais eficaz do que a prednisolona isoladamente no tratamento. A prednisolona, por sua vez, demonstrou ser eficaz neste ensaio clínico em comparação com placebo.

            Após a publicação deste último ensaio clínico persistiu a dúvida se a ausência de benefício dos antivirais se restringiria ao aciclovir, visto que o valaciclovir mostrou ser efetivo no ensaio clínico anterior.

 

O Estudo

            Ensaio clínico randomizado, multicêntrico, duplo cego e controlado por placebo, envolvendo 839 pacientes apresentando paralisia facial com características periféricas dentro de 72 horas de apresentação dos sintomas. Os pacientes foram randomizados para 4 grupos diferentes: 1) placebo + placebo (n = 206); 2) prednisolona + placebo (n = 210); 3) Valaciclovir + placebo (n = 207); e 4) Valaciclovir + prednisolona (n = 206). Os pacientes foram acompanhados por 12 meses e o desfecho primário analisado foi o tempo para recuperação total da função facial. Foi realizado análise por intenção de tratamento

 

Resultados

            Os pacientes que receberam prednisolona (n = 416) tiveram maiores taxas de recuperação completa em 3, 6 e 12 meses em comparação com os pacientes que não receberam prednisolona (n = 413). Após 12 meses 300 pacientes no grupo que recebeu prednisolona (72%) e 237 pacientes no grupo que não recebeu prednisolona (57%) tiveram recuperação completa (p < 0,0001). Não houve diferença no tempo de recuperação entre os 413 pacientes tratados com valaciclovir em comparação com os 416 pacientes que não receberam.

 

Aplicações para a Prática Clínica

            Os resultados deste estudo e do outro estudo citado previamente3 são consistentes em demonstrar que a prednisolona é eficaz no tratamento da paralisia de Bell, reduzindo o tempo de recuperação e com melhores taxas de recuperação completa. A dose utilizada neste último estudo foi de 60 mg ao dia por 5 dias, posteriormente reduzida em 10 mg ao dia até o término do tratamento – total de 10 dias de tratamento.

            Já em relação ao tratamento antiviral, este último estudo, que teve um número maior de pacientes e melhores características metodológicas que o primeiro estudo citado que demonstrou benefícios com valaciclovir2, não demonstrou nenhum benefício com a droga. Os seus dados se somam ao outro estudo que não demonstrou benefícios com aciclovir, de forma que não há evidências de benefício com tratamento antiviral na paralisia de Bell e este não deve mais ser indicado.

            Nunca é demais lembrar que os cuidados oculares não devem ser esquecidos no tratamento desta enfermidade, pois o ressecamento ocular pode levar a úlcera de córnea se não tratado adequadamente (ver – Paralisia Facial Periférica).

 

Bibliografia

1.     Engstrom M et al. Prednisolone and valaciclovir in Bell’s palsy: a randomised,double-blind, placebo-controlled, multicentre trial. Lancet Neurol 2008; 7: 993–1000

2.     Hato N et al. Valacyclovir and prednisolone treatment for Bell's palsy: a multicenter, randomized, placebo-controlled study.Otol Neurotol. 2007 Apr;28(3):408-13.

3.     Sullivan FM et al. Early treatment with prednisolone or acyclovir in Bell's palsy.N Engl J Med. 2007 Oct 18;357(16):1598-607.

 

 

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal