FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Vacina para Herpes Zóster Funcionalidade e a Qualidade de Vida em Idosos

Autor:

Leonardo da Costa Lopes

Especialista em Geriatria pela SBGG; Médico Colaborador do Serviço de Geriatria do HC-FMUSP; Médico Assistente da Divisão de Clínica Médica do HU-USP

Última revisão: 28/11/2010

Comentários de assinantes: 0

Efeito de uma vacina para herpes zoster sobre o estado funcional e a qualidade de vida em idosos [Link para Abstract]1.

 

Fator de impacto da revista (Journal of the American Geriatrics Society): 3.805

 

Contexto Clínico

O herpes zoster (HZ) é uma infecção que aumenta em frequência e gravidade com o envelhecimento. Apresenta impactos negativos sobre a qualidade de vida, devido à dor aguda e crônica (neuropática). A dor habitualmente provoca limitações físicas que podem se traduzir em perdas da capacidade funcional. O estudo Shingles Prevention já demonstrou que a vacina contra HZ reduz a incidência da doença, da neuralgia pós herpética e a sobrecarga que a doença impõe por conta da dor. O impacto, entretanto, da vacinação sobre a capacidade funcional e a qualidade de vida ainda não foram avaliados.

 

O Estudo

Foi desenhado um estudo randomizado duplo-cego, placebo controlado, envolvendo 22 centros nos EUA e 38.546 participantes com mais de 60 anos. Os idosos foram separados em dois grupos: 60-69 anos (54% da amostra) e outro com 70 anos ou mais (46% da amostra). O estudo teve por objetivo determinar a eficácia de uma vacina contra herpes zoster (HZ) sobre a capacidade funcional para atividades da vida diária (AVD) e a qualidade de vida em um período de até 6 meses após a vacinação. O impacto do HZ foi avaliado quanto à interferência nas AVD e na qualidade de vida, através dos seguintes instrumentos: Zoster Brief Pain Inventory (ZBPI) e SF-12. A eficácia da vacina quanto a estas questões foi avaliada para os vacinados e comparada aos que receberam placebo e também entre os que apresentaram HZ ao longo do estudo.

A pontuação no ZBPI foi considerada significativa para determinar impacto funcional pela dor quando atingiu ao menos 3 dos 10 pontos possíveis.

 

Resultados

Dos 38.546 pacientes incluídos, 19.270 receberam vacina e 19.276 receberam placebo. As mulheres responderam por 41% da amostra. Cerca de 90% dos participantes apresentavam boa funcionalidade. Foram identificados 1308 casos suspeitos de HZ ao longo do seguimento, dos quais 957 confirmados (mais de 90% por PCR). Destes, 315 pertenciam ao grupo vacinado e 642 ao placebo. Os acometidos receberam famciclovir e analgesia para tratamento, igualmente em ambos os grupos (mais de 85%) e dentro das primeiras 72h do início do quadro igualmente nos 2 grupos (cerca de 65%). A eficácia geral da vacina foi de 66% para a interferência nas AVD (69% se considerado um corte de 3 pontos e 64% com corte acima de 5 pontos) e 55% para a escala SF-12 (medida para qualidade de vida). Um escore acima de 3 pontos no ZBPI foi menos observado de acordo com a idade: 73% para idosos de 60-64 anos e 59% para aqueles com mais de 80 anos. Para os participantes que desenvolveram HZ, a eficácia da vacina foi de 31% utilizando-se o corte de 3 pontos no ZBPI e 23% com corte de 5 pontos. Nos acometidos por HZ a vacinação não alterou as medidas de qualidade de vida.

 

Aplicações para a Prática Clínica

A vacina contra HZ reduz a incapacidade atribuída à dor da infecção em dois terços e o impacto na qualidade de vida pela metade. A maior parte destas reduções foi atribuída à prevenção da infecção por HZ. A vacina reduz ainda a gravidade clínica do HZ nos pacientes acometidos, ao diminuir a incapacidade atribuída à dor em um terço dos vacinados. A proporção de pacientes que relataram incapacidades funcionais em decorrência da infecção por HZ foi baixa se comparada à literatura. Isto tanto pode ser atribuído ao tratamento antiviral recebido quanto às doses prescritas de opióides, que foram superiores no grupo placebo (dados não especificados).

A vacina contra o herpes zoster é composta de vírus vivo atenuado (cepa Oka). Foi licenciada em 2008 nos Estados Unidos e é indicada em dose única para indivíduos com mais de 60 anos. Por tratar-se de vacina de vírus vivo é contra-indicada em indivíduos imunodeprimidos e gestantes. Até o momento esta vacina encontra-se disponível apenas nos Estados Unidos e Canadá.

 

Bibliografia

1.    Schmader KE, Johnson GR, Saddier P, Ciarleglio M, Wang WW, Zhang JH et al; for the Shingles Prevention Study Group. Effect of a zoster vaccine on herpes zoster-related interference with functional status and health-related quality-of-life measures in older adults. J Am Geriatr Soc 2010; 58(9):1634-41.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal