FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Hidrocortisona para Pacientes Politraumatizados

Autor:

Antonio Paulo Nassar Junior

Especialista em Terapia Intensiva pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP). Médico Intensivista do Hospital São Camilo. Médico Pesquisador do HC-FMUSP.

Última revisão: 12/05/2011

Comentários de assinantes: 0

Especialidades: Terapia Intensiva

 

Hidrocortisona para pacientes politraumatizados(1)

 

Contexto Clínico

A ocorrência de pneumonia é um evento comum em pacientes com trauma. Postula-se que a resposta inflamatória sistêmica esteja associada à incidência de infecções em pacientes politraumatizados. Assim, teoricamente, a modulação desta resposta poderia associar-se a uma redução das infecções. Pelo menos este foi o embasamento teórico deste estudo. Os autores propuseram-se a avaliar se o uso de corticosteroides reduz a incidência de pneumonia hospitalar em pacientes politraumatizados.

 

O Estudo

Foi realizado um estudo multicêntrico, duplo-cego, placebo-controlado conduzido em hospitais franceses. Foram incluídos pacientes vítimas de trauma com mais de 15 anos e com expectativa de permanecer mais de 48 horas sob ventilação mecânica. Foram excluídos pacientes com insuficiência suprarrenal prévia, imunossuprimidos, em uso de corticosteroides nos últimos 6 meses e gestantes. Insuficiência suprarrenal foi definida como nível de cortisol menor que 15 mcg/dL ou um aumento máximo do nível de cortisol de 9 mcg/dL em 60 minutos após um teste da corticotropina curto.

Pneumonia foi definida como a presença de pelo menos 2 sinais (temperatura > 38°C, leucocitose > 12.000/mL ou leucopenia < 4.000/mL, secreção pulmonar purulenta) associadas ao aparecimento de novo infiltrado na radiografia de tórax. O diagnóstico deveria ser confirmado por cultura quantitativa de lavado broncoalveolar (104 unidades formadoras de colônia/mL) ou escovado protegido (103 UFC/mL). Pneumonia hospitalar foi aquela que ocorreu após 48 horas após a admissão.

A infusão das drogas (hidrocortisona ou placebo) iniciou-se após 36 horas do trauma, após o teste da corticotropina, nas seguintes doses: 200 mg/dia por 5 dias, 100 mg no dia 6 e 50 mg no dia 7 nos pacientes com insuficiência suprarrenal. Após o resultado do teste da corticotropina (48 horas após a inclusão), o tratamento era suspenso, caso a função suprarrenal fosse normal.

O desfecho primário foi a ocorrência de pneumonia hospitalar em 28 dias. Os desfechos secundários foram duração da ventilação mecânica, tempo de internação na UTI, mortalidade, outras infecções e duração do uso de vasopressor em 28 dias.

 

Resultados

Foram incluídos 149 pacientes, dos quais 113 (76%) tinham insuficiência suprarrenal. A incidência foi maior naqueles que receberam etomidato (84 vs. 62%; p=0,01).

Trinta e seis de 73 (35,6%) pacientes que receberam hidrocortisona e 39 de 76 (51,3%) pacientes tratados com placebo desenvolveram pneumonia hospitalar (HR 0,51; IC 95% 0,30-0,83; p=0,007). Considerando mortalidade como parte do desfecho, a diferença permaneceu significativa (HR 0,56; IC 95% 0,34-0,92; p=0,02).

A média de dias livres de ventilação mecânica foi de 16 dias no grupo hidrocortisona e 12 dias no grupo placebo (p=0,001). O grupo hidrocortisona também teve uma incidência menor de SARA (4,1 vs. 14,5%; p=0,04). O tempo de internação na UTI também foi menor no grupo hidrocortisona (18 vs. 24 dias; p=0,03). Hiponatremia ocorreu em 9,2% dos pacientes no grupo placebo e em nenhum do grupo placebo (p=0,01).

 

Aplicações para a Prática Clínica

Este estudo mostrou uma redução na incidência de pneumonia hospitalar em pacientes politraumatizados tratados com hidrocortisona. Apesar de interessantes, este resultado parece ser apenas gerador de hipóteses e alguns pontos precisam ser considerados. Primeiramente, o tratamento utilizado carece de um racional fisiopatológico mais forte. Segundo, os resultados positivos em todos os desfechos parecem um pouco otimistas. Assim, um estudo maior precisa reavaliar estes achados antes de eles serem amplamente empregados.

 

Referências

1.   Roquilly A, Mahe PJ, Seguin P, Guitton C, Floch H, Tellier AC et al. Hydrocortisone therapy for patients with multiple trauma: the randomized controlled HYPOLYTE study. JAMA. 2011 Mar 23; 305(12):1201-9.

 

Fator de Impacto da Revista (JAMA): 31.718 (JCR-2008)

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal