FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Diretriz de Manejo de Dor em Procedimentos em Neonatos

Autor:

Lucas Santos Zambon

Doutorado em Ciências Médicas pela Faculdade de Medicina da USP.
Supervisor do Pronto-Socorro do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.
Diretor do Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente.

Última revisão: 27/04/2016

Comentários de assinantes: 0

Contexto Clínico

Trabalhar com recém-nascidos exige grandes padrões de qualidade na assistência. E em qualquer assistência, o manejo da dor é algo fundamental, e quando se lida com neonatologia, esse é um objetivo ético, e que ainda pode prevenir repercussões futuras para essa faixa etária.

Os recém-nascidos que mais são expostos a estímulos dolorosos em UTI neonatal são exatamente aqueles com maior risco de comprometimento do desenvolvimento neurológico por terem nascido de parto prematuro, sendo assim são menores e mais doentes. Embora existam grandes lacunas no conhecimento sobre a maneira mais eficaz de prevenir e aliviar a dor em recém-nascidos, terapias seguras são atualmente subutilizadas.

 

As Recomendações

Prevenir ou minimizar a dor em recém-nascidos deve ser o objetivo de pediatras e outros profissionais de saúde que cuidam de recém-nascidos. Para facilitar esse objetivo, cada instituição deve escrever diretrizes, baseadas em evidências existentes e emergentes, para criar um plano de prevenção e tratamento da dor por etapas, que inclui o uso judicioso de procedimentos, avaliação de rotina da dor, uso de terapias farmacológicas e não farmacológicas para a prevenção da dor associada a procedimentos menores de rotina e medicamentos eficazes para minimizar a dor associada com cirurgias e outros procedimentos maiores;

Apesar dos desafios significativos de avaliar a dor nessa população, atualmente ferramentas de avaliação neonatal de dor validada estão disponíveis, e devem ser utilizadas de forma consistente antes, durante e após os procedimentos dolorosos para monitorar a efetividade das intervenções de alívio da dor. Além disso, a necessidade de prevenção e controle da dor deve ser avaliada numa base contínua ao longo da internação do bebê;

Estratégias não farmacológicas, tais como o aconchego facilitado, a sucção não nutritiva, o fornecimento de amamentação ou proporcionando leite humano rapidamente, foram demonstradas como sendo úteis para diminuir pontuações de dor durante procedimentos leves a moderadamente dolorosos de curto prazo, e devem ser utilizadas de forma consistente;

Soluções de sacarose e / ou glucose oral podem ser eficazes em neonatos submetidos a procedimentos de leve a moderadamente dolorosos, quer isoladamente, quer em combinação com outras estratégias de alívio da dor. Quando a sacarose ou a glicose é utilizada como uma estratégia de gestão de dor, ela deve ser prescrita e rastreada como um medicamento; protocolos baseados em evidências devem ser desenvolvidos e implementados, e mais pesquisas devem ser realizadas para melhor compreender os efeitos do uso de sacarose para analgesia;

O pediatra e outros profissionais de saúde que cuidam de recém-nascidos devem pesar potenciais e reais benefícios e ônus ao usar métodos de tratamento farmacológicos com base na evidência disponível. Alguns medicamentos podem potenciar a depressão respiratória e a hipotensão que pode ocorrer com opioides, e crianças que os recebem devem ser cuidadosamente monitorizados. O cuidado deve ser exercido quando se considera os medicamentos mais recentes para os quais existem dados em recém-nascidos  escassos ou inexistentes;

Pediatras, outros prestadores de cuidados de saúde para a faixa neonatal e membros da família devem receber educação continuada sobre  reconhecimento, avaliação e tratamento da dor em recém-nascidos, incluindo novos elementos, uma vez que se tornem disponíveis;

Para preencher as lacunas no conhecimento, mais pesquisas devem ser realizadas em instrumentos de avaliação de dor, incluindo estratégias farmacológicas e não farmacológicas para prevenir ou melhorar a dor. Estudos sobre  farmacocinética e farmacodinâmica dos medicamentos mais recentes são necessários para prevenir desventuras terapêuticas nos pacientes mais vulneráveis na prática pediátrica.

  

Referências:

American Academy of Pediatrics Committee on Fetus and Newborn and Section on Anesthesiology and Pain Medicine.Prevention and management of procedural pain in the neonate: An update. Pediatrics 2016 Jan 25; [e-pub].

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal