FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Depressão não tratada em gestante impacta no bebê

Autor:

Lucas Santos Zambon

Doutorado pela Disciplina de Emergências Clínicas Faculdade de Medicina da USP; Médico e Especialista em Clínica Médica pelo HC-FMUSP; Diretor Científico do Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente (IBSP); Membro da Academia Brasileira de Medicina Hospitalar (ABMH); Assessor da Diretoria Médica do Hospital Samaritano de São Paulo.

Última revisão: 11/08/2016

Comentários de assinantes: 0

Contexto Clínico

Apesar da prevalência de depressão pré-natal e o fato de que apenas um terço das mulheres grávidas com depressão considera aceitável tomar antidepressivos, o efeito da depressão não tratada nos resultados neonatais ainda precisa ser estudado. A seguir, uma metanálise cujo objetivo é entender o efeito da depressão não tratada nos resultados neonatais.

 

O Estudo

A pesquisa de dados foi feita no MEDLINE, EMBASE, PsycINFO, Cochrane Central Register of Controlled Trials e Web of Science. A busca foi realizada em julho de 2015. Foram incluídos estudos randomizados e não randomizados que examinaram resultados neonatais em mulheres com depressão recebendo tratamento farmacológico e não farmacológico em comparação com as mulheres sem depressão. Os principais resultados avaliados foram o parto prematuro antes de 37 semanas e antes de 32 semanas, bebês pequenos e grandes para a idade gestacional, baixo peso ao nascer e admissão à UTI neonatal.

Apenas 23 estudos preencheram os critérios de inclusão, todos observacionais, com um total de 25.663 mulheres. A depressão não tratada foi associada a risco significativamente aumentado de parto prematuro (OR 1,56; IC95% 1,25-1,94) e de baixo peso ao nascer (OR 1,96; IC95% 1,24-3,10), com uma tendência para maiores riscos de exposição à depressão mais grave. Embora as chances de parto prematuro mais que dobrassem em estudos que relatam conflitos de interesse (OR 2,50; IC95% 1,70-3,67), os estudos que não relatam tais conflitos ainda apresentaram resultados moderados (OR 1,34; IC95%, 1,08-1,66).

 

Aplicações Práticas

Esta revisão sistemática com metanálise demonstra claramente que há relação entre depressão não tratada na gestação com dois resultados perinatais chave, prematuridade e baixo peso ao nascer. Esses resultados são importantes para as mulheres grávidas e médicos para ter em conta no processo de tomada de decisões em torno de tratamento da depressão.

 

Referências

Jarde A et al. Neonatal outcomes in women with untreated antenatal depression compared with women without depression: A systematic review and meta-analysis. JAMA Psychiatry 2016 Jun 8; [e-pub].

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal