FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Talamotomia por Ultrassonografia para Tremor Essencial

Autor:

Lucas Santos Zambon

Doutorado em Ciências Médicas pela Faculdade de Medicina da USP.
Supervisor do Pronto-Socorro do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.
Diretor do Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente.

Última revisão: 25/10/2016

Comentários de assinantes: 0

 

Contexto Clínico

Estudos preliminares não controlados sugerem a eficácia da talamotomia por ultrassom usando a ressonância nuclear magnética (RNM) de orientação para o tratamento do tremor essencial.

 

O Estudo

Neste estudo, foram incluídos pacientes com tremor essencial moderado a grave, que não tinham respondido a pelo menos dois ensaios de terapia médica. Eles foram randomizados em uma proporção de 3:1 a sofrer talamotomia unilateral por ultrassom focalizado ou um procedimento simulado. A Escala de Avaliação Clínica para Tremor e da Qualidade de Vida (Essential Tremor Questionnaire) foi administrada no início e em 1, 3, 6 e 12 meses. As avaliações do tremor foram gravadas em vídeo e avaliadas por um grupo independente de neurologistas que desconheciam as atribuições do tratamento. O desfecho primário foi a diferença de tremor nas mãos entre os grupos a partir da linha de base em até três meses, classificados em uma escala de 32 pontos (com escores mais altos indicando tremor mais grave). Após três meses, os pacientes no grupo de procedimento simulado poderiam submeter-se ao tratamento ativo.

Setenta e seis pacientes foram incluídos na análise. As pontuações para o tremor de mãos melhoraram mais depois da talamotomia por ultrassom focalizado (de 18,1 pontos no início do estudo para 9,6 em três meses) do que após o procedimento sham (de 16,0 para 15,8 pontos); a diferença entre os grupos na alteração média foi de 8,3 pontos (IC 95%  5,9 a 10,7; p <0,001). A melhora no grupo da talamotomia foi mantida em 12 meses (mudança de base, 7,2 pontos; IC 95%  6,1-8,3). Desfechos secundários que avaliaram a incapacidade e a qualidade de vida também melhoraram com o tratamento ativo, em comparação com o procedimento simulado (P <0,001 para ambas as comparações). Eventos adversos no grupo talamotomia incluíram perturbações da marcha em 36% dos pacientes, e parestesias ou dormência em 38%; estes eventos adversos persistiram em 12 meses em 9% e 14% dos pacientes, respectivamente.

 

 

Aplicação Prática

 

Este estudo deixa claro como a talamotomia por ultrassom é capaz de melhorar o tremor nos pacientes que se submetem ao procedimento, sendo esta melhora persistente em até um ano. Porém, é a alta taxa de eventos adversos, com 38% dos casos tendo parestesias e 36% alterações da marcha, o que equivale a pelo menos um a cada três casos tendo eventos adversos. Concluímos que esta conduta deve ser muito bem pensada, e os riscos expostos ao paciente. Não acreditamos que este procedimento deva ser rotina de tratamento, mas eventualmente discutido caso a caso, deixando claro o grande volume de eventos adversos existentes, que podem eventualmente ser piores que o quadro de base, a depender da sintomatologia do paciente.

 

 

 

Bibliografia

 

Elias WJ et al. A RandomizedTrialofFocusedUltrasoundThalamotomy for Essential Tremor. N Engl J Med 2016; 375:730-739.

 

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal