FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Buprenorfina para Síndrome de Abstinência Neonatal

Autor:

Lucas Santos Zambon

Doutorado pela Disciplina de Emergências Clínicas Faculdade de Medicina da USP; Médico e Especialista em Clínica Médica pelo HC-FMUSP; Diretor Científico do Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente (IBSP); Membro da Academia Brasileira de Medicina Hospitalar (ABMH); Assessor da Diretoria Médica do Hospital Samaritano de São Paulo.

Última revisão: 06/12/2017

Comentários de assinantes: 0

Contexto Clínico

 

O tratamento farmacológico atual da síndrome de abstinência neonatal com morfina está associado a uma longa duração da terapia e à hospitalização. A buprenorfina pode ser mais eficaz do que a morfina para esse caso.

 

O Estudo

 

Foi realizado um ensaio clínico de um único sítio, duplo-cego, no qual foram atribuídos aleatoriamente 63 bebês a termo (=37 semanas de gestação) que haviam sido expostos a opioides no útero e que apresentavam sinais de síndrome de abstinência neonatal para receber buprenorfina sublingual ou morfina oral.

Os bebês com sintomas que não foram controlados com a dose máxima de opioide foram tratados com fenobarbital adjuvante. O ponto final primário foi a duração do tratamento para sintomas de retirada de opioides neonatais. Os pontos finais clínicos secundários foram o tempo de permanência hospitalar, a porcentagem de lactentes que necessitaram de tratamento suplementar com fenobarbital e a segurança.

A duração mediana do tratamento foi bem menor com a buprenorfina do que com a morfina (15 versus 28 dias), assim como a duração mediana da internação (21 versus 33 dias) - P <0,001 para ambas as comparações. O fenobarbital adjuvante foi administrado em 5 dos 33 lactentes (15%) no grupo buprenorfina e em 7 dos 30 lactentes (23%) no grupo da morfina (P = 0,36). As taxas de eventos adversos foram semelhantes nos dois grupos.

 

Aplicação Prática

 

Este estudo mostra que, entre os lactentes com síndrome de abstinência neonatal, o tratamento com buprenorfina sublingual resultou em menor duração do tratamento e menor tempo de internação do que o tratamento com morfina oral, com taxas semelhantes de eventos adversos. Apesar de ter sido feito em apenas um sítio de estudo, é razoável indicar essa conduta para o tratamento da síndrome de abstinência neonatal.

 

Bibliografia

 

Kraft WK et al. Buprenorphine for the Treatment of the Neonatal Abstinence Syndrome. N Engl J Med 2017; 376:2341-2348.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal