FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Psitacose

Última revisão: 04/02/2011

Comentários de assinantes: 0

Reproduzido de:

DOENÇAS INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS – GUIA DE BOLSO – 8ª edição revista [Link Livre para o Documento Original]

MINISTÉRIO DA SAÚDE

Secretaria de Vigilância em Saúde

Departamento de Vigilância Epidemiológica

8ª edição revista

BRASÍLIA / DF – 2010

 

Psitacose

 

CID 10: A70

 

ASPECTOS CLÍNICOS E EPIDEMIOLÓGICOS

Descrição

Doença infecciosa aguda causada por clamídias, cursando com febre, prostração, tosse, cefaleia e calafrios, acompanhados de acometimento das vias aéreas superiores ou inferiores. Pacientes acometidos podem apresentar epistaxe e esplenomegalia, e o quadro pulmonar é compatível com o de pneumonia atípica. Podem ocorrer, ainda, distensão abdominal, obstipação ou diarreia, delírio e lesões cutâneas sob a forma de roséolas, similares a Febre Tifoide. Em geral, é leve ou moderada no homem, podendo ser mais grave em idosos que não recebam tratamento adequado.

 

Sinonímia

Ornitose.

 

Agente Etiológico

Chlamydia psittaci.

 

Reservatório

Os pássaros, principalmente os psitacídeos (papagaios, araras, periquitos), podendo ser acometidas outras espécies como pombos, perus e gansos; algumas espécies de mamíferos também podem ser afetadas, como caprinos e ovinos.

 

Modo de Transmissão

Via respiratória, por meio da aspiração de poeira contaminada por dejetos dos animais doentes ou portadores. Apesar de rara, é possível a transmissão via respiratória, de pessoa a pessoa, na fase aguda da doença.

 

Período de Incubação

De 1 a 4 semanas.

 

Período de Transmissibilidade

Dura semanas ou meses.

 

Complicações

Pericardite, miocardite, endocardite, tromboflebite superficial, hepatites e encefalopatia são complicações não muito frequentes.

 

Diagnóstico

Clínico-epidemiológico e sorológico, por meio da reação de fixação do complemento e/ou Elisa. Títulos aumentados em quatro vezes entre a fase aguda e a convalescença, obtidos com intervalo de 2 a 3 semanas entre cada coleta, confirmam o diagnóstico. Na presença de quadro clínico sugestivo, o achado de títulos de 1:32 pode ser considerado evidência de infecção. O isolamento do agente no sangue ou em secreções, além de cultura de tecidos, apesar de possível, é de difícil execução, requerendo laboratórios especializados para a sua realização. No exame radiográfico, observa-se pneumonia com consolidação de um lobo, mas pode haver padrão intersticial ou miliar com ou sem derrame pleural.

 

Diagnóstico Diferencial

Pneumonia atípica causada por outras clamídias, legionela, rickettsia ou micoplasma, endocardite com cultura negativa. Havendo alterações cutâneas, devera ser feito diagnóstico diferencial com febre tifoide.

 

Tratamento

Adultos: Doxiciclina, 100mg, via oral, de 12/12 horas, durante 14 a 21 dias. Em menores de 7 anos, deve ser utilizada Eritromicina, 30 a 40 mg/kg/dia, via oral, de 6/6 horas.

 

Características Epidemiológicas

Doença de distribuição universal, ocorrendo em qualquer estação do ano. Acomete, principalmente, indivíduos que mantêm contato direto com aves e animais, a exemplo de trabalhadores em abatedouros de aves, lojas de animais ou proprietários de pássaros e outros animais domésticos, o que lhe da, nessas situações, um caráter de doença ocupacional. Os surtos estão associados a locais onde existam animais confinados, como zoológicos, e em situações envolvendo transporte de animais. Infecções em crianças são raras. Ha relato da ocorrência de doença grave em gestante, seguida de aborto, apos contato com ovelha infectada.

 

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

Objetivo

Não se desenvolve ações específicas de vigilância epidemiológica. Os casos devem ser diagnosticados e tratados precocemente para evitar complicações e transmissão da doença.

 

Notificação

Não é doença de notificação compulsória, sendo obrigatória apenas a investigação de surtos.

 

MEDIDAS DE CONTROLE

     Gerais - Educação em saúde para alertar a população sobre os riscos de exposição aos reservatórios; regulamentação da importação, criação e transporte de aves; utilização de antibioticoterapia ou quarentena desses animais, quando indicado. Vigilância dos locais de venda de animais, aviários, granjas. As aves suspeitas de fonte de infecção para o homem devem ser avaliadas por veterinário e eliminadas em caso de infecção.

     Específicas - Desinfecção concorrente de todas as secreções. Limpeza terminal.

     Eliminação das fontes de infecção - Locais com aves domesticas infectadas, elimina-las ou trata-las e fazer a desinfecção local.

     Investigação dos contatos - Identificar a procedência das aves infectadas. O corpo do animal acometido deve ser submetido à desinfecção antes de ser eliminado. Observar as pessoas expostas à infecção quanto ao desenvolvimento de febre ou outros sintomas.

 

SOBRE OS DIREITOS AUTORAIS DO DOCUMENTO

Consta no documento:

“Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte e que não seja para venda ou qualquer fim comercial.”

O objetivo do site MedicinaNet e seus editores é divulgar este importante documento. Esta reprodução permanecerá aberta para não assinantes indefinidamente.

 

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal