FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Anestésico Local

Última revisão: 17/09/2015

Comentários de assinantes: 0

Reproduzido de:

Formulário Terapêutico Nacional 2010: Rename 2010 [Link Livre para o Documento Original]

Série B. Textos Básicos de Saúde

MINISTÉRIO DA SAÚDE

Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos

Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos

Brasília / DF – 2010

 

19 Medicamentos tópicos usados em pele, mucosas e fâneros

 

Ana Cláudia de Brito Passos

 

 

         19.1  Anestésico local

Lidocaína – as soluções tópicas de lidocaína são usadas para anestesia local de superfície de membranas mucosas da boca, da garganta e trato gastrintestinal superior para controle e prevenção da dor durante vários procedimentos em otorrinolaringologia, odontologia, introdução de instrumentos nos tratos gastrintestinal e respiratório e na obstetrícia. Lidocaína é prontamente absorvida pelo trato gastrintestinal, por mucosas e através da pele danificada, no entanto, sua absorção na pele intacta é pequena. A absorção sistêmica da lidocaína depende da espessura da pele, da extensão da área a ser aplicada, da dose total administrada, do lugar da administração e da duração da exposição 1, 2. Ambos, lidocaína tópica e benzocaína tópica, são anestésicos efetivos. Um estudo relatou eficácia semelhante entre benzocaína tópica e hurricaína e lidocaína a 10% aerossol (100 mg/mL) como anestésicos tópicos antes de endoscopia gastrintestinal. Lidocaína gel 2% parece ser comparável a outros anestésicos tópicos para cirurgia de catarata. Os melhores resultados ocorrem quando o gel é aplicado 3 a 5 vezes durante 15 a 20 minutos antes da cirurgia (ver monografia, página 565).

 

          20.2  Anti-infectantes

Cetoconazol é utilizado para tratamento de tinha capitis na forma farmacêutica xampu de cetoconazol a 2% como terapia tópica adjuvante. Num ensaio clínico randomizado, o cetoconazol xampu 2% foi comparado ao de flutrimazol 1% aplicado durante 14 dias mostrando eficácia semelhante6 (ver monografia, página 466).

Clorexidina é antisséptico e desinfetante com ação bactericida ou bacteriostática contra grande variedade de bactérias. É mais eficaz contra bactérias gram-positivas do que contra bactérias gram-negativas, inibe alguns vírus e é ativa contra alguns fungos. Clorexidina é mais ativa em pH neutro ou ligeiramente ácido (5,5 a 7,0) (ver monografia, página 745).

Metronidazol é um derivado 5-nitroimidazol com atividade contra bactérias anaeróbias e protozoários. Metronidazol é usado no tratamento de infecções por protozoários sensíveis, como na tricomoníase (vaginose bacteriana). Em caso de resistência da infecção por Trichomonas vaginalis ao metronidazol (fato raro), são utilizadas doses elevadas de tinidazol oral ou vaginal. Uma revisão sistemática sobre o uso de antimicrobianos incluindo o metronidazol durante a gravidez mostrou que esse fármaco pode erradicar a vaginose bacteriana. Esta revisão, entretanto, fornece pouca prova de que a seleção e o tratamento de todas as grávidas com vaginose bacteriana assintomática impedirá o parto prematuro e suas consequências. Metronidazol tópico reduz o odor produzido por bactérias anaeróbicas em tumores fúngicos (ver monografia, página 850).

Nistatina é antibiótico antifúngico poliênico utilizado para a profilaxia e o tratamento da candidíase da pele e mucosas, mas é ineficaz para o tratamento de dermofitoses. Tem sido usada com agentes antibacterianos em regimes diferentes para suprimir o crescimento excessivo da flora gastrintestinal e como parte de esquemas de descontaminação seletiva (ver monografia, página 867).

Miconazol é geralmente aplicado duas vezes ao dia como creme, loção ou pó a 2% no tratamento de infecções fúngicas da pele, incluindo candidíase, dermatofitoses e pitiríase versicolor. Para o tratamento da micose interdigital plantar o miconazol foi igualmente eficaz a outros imidazólicos, segundo revisão do Clinical Evidence. Um estudo de comparação duplo-cego sobre a eficácia do miconazol creme a 2% com o oxiconazol creme a 1% para o tratamento dessa mesma dermatofitose foi realizado em um grupo de 48 pacientes; não houve diferença no controle sucessivo das lesões e ambos os fármacos mostraram ser eficazes num intervalo de aproximadamente seis semanas (ver monografia, página 868).

Permanganato de potássio possui característica oxidante que lhe confere propriedade antisséptica. É também adstringente. Embora bactericida in vitro, seu valor clínico como bactericida está diminuído pela rápida redução química na presença de fluidos corporais (ver monografia, página 901).

Sulfadiazina de prata é sulfonamida usada como creme a 1% para a prevenção e tratamento de infecção em queimaduras graves. Sulfadiazina de prata também tem sido utilizada em outras doenças da pele, tais como úlceras de perna quando a infecção pode impedir a cura e para a profilaxia de infecção em enxerto de pele. Também tem aplicação ocular no tratamento de infecções superficiais por Aspergillus  (ver monografia, página 964).

 

SOBRE OS DIREITOS AUTORAIS DO DOCUMENTO

Consta no documento:

“Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte e que não seja para venda ou qualquer fim comercial.”

O objetivo do site MedicinaNet e seus editores é divulgar este importante documento. Esta reprodução permanecerá aberta para não assinantes indefinidamente.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal