FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Eletrocardiograma 4

Autores:

Fernando de Paula Machado

Médico pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Residência em Clínica Médica no Hospital das Clínicas da FMUSP (HC-FMUSP). Residência em Cardiologia pelo Instituto do Coração (InCor) do HC-FMUSP. Médico Diarista do Pronto-Atendimento do Hospital Sírio-Libânes.

Leonardo Vieira da Rosa

Médico Cardiologista pelo Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Médico Assistente da Unidade de Terapia Intensiva do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Doutorando em Cardiologia do InCor-HC-FMUSP. Médico Cardiologista da Unidade Coronariana do Hospital Sírio Libanês.

Última revisão: 01/04/2019

Comentários de assinantes: 0

Quadro Clínico

Homem de 60 anos, tabagista, com angina típica há 6 horas.

 

Eletrocardiograma do paciente

 


Ver diagnóstico abaixo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Interpretação

 

1)     Freqüência de 78 bpm e ritmo irregular com episódios de extrassístoles ventriculares e trigeminismo.

2)     Ondas P dissociadas do complexo QRS.

3)     QRS estreito com eixo em +120 graus.

4)     Supradesnível do segmento ST em parede inferior (DII/DIII e aVF) e lateral (V5/V6), além de infradesnível em V1/V2/V3/DI/aVL (imagem “em espelho” de parede posterior).

5)     Ritmo: Bloqueio Atrioventricular Total (BAVT)

 

Diagnóstico

Trata-se de Infarto Agudo do Miocárdio com Supradesnível do segmento ST de parede ínfero-latero-dorsal acompanhado de dissociação atrioventricular completa (BAVT).

 

Comentário

            Bloqueio AV completo pode ocorrer tanto em pacientes com infarto anterior como inferior. Em pacientes com IAM inferior, o bloqueio usualmente resulta de lesão intranodal ou supranodal que se desenvolve gradualmente, com progressão de bloqueio de primeiro ou segundo grau. O ritmo de escape geralmente é juncional e estável (sem assistolia). A freqüência cardíaca quase sempre excede 40 bpm, com QRS estreito em 70% dos casos.

            Pacientes com Infarto inferior geralmente têm isquemia ou infarto do nó AV secundário à hipoperfusão da artéria para essa região. O sistema His-Purkinje apresenta-se intacto sem lesão isquêmica na maioria das vezes. Característica marcante desses casos é o grau de disfunção ventricular direita e esquerda mais comumente observado do que em pacientes com infarto inferior sem BAVT.

            Marcapasso usualmente não será necessário; essas dissociações quase sempre são de natureza transitória. Porém, indica-se passagem de marcapasso nos seguintes casos: FC < 40/50 bpm, arritmias ventriculares, hipotensão ou falência cardíaca. A Atropina é mais utilizada em bloqueios com menos de 6h do início dos sintomas, em que existe maior chance de reversão com aumento da freqüência juncional (maioria é de origem vagal).

 

Evolução

O paciente foi levado à sala de hemodinâmica em caráter de urgência. Como se encontrava hipotenso foi realizada passagem de marcapasso transvenoso por fluoroscopia. A cinecoronariografia mostrou obstrução de 95% em coronária direita, tendo sido realizada angioplastia com colocação de stent com sucesso. Houve boa evolução com reversão do BAVT, porém surgiram ondas Q em parede inferior (área eletricamente inativa).

 

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal