FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Eletrocardiograma 15

Autores:

Murillo de Oliveira Antunes

Especialista em Cardiologia pelo Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

Fernando de Paula Machado

Médico pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Residência em Clínica Médica no Hospital das Clínicas da FMUSP (HC-FMUSP). Residência em Cardiologia pelo Instituto do Coração (InCor) do HC-FMUSP. Médico Diarista do Pronto-Atendimento do Hospital Sírio-Libânes.

Leonardo Vieira da Rosa

Médico Cardiologista pelo Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Médico Assistente da Unidade de Terapia Intensiva do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Doutorando em Cardiologia do InCor-HC-FMUSP. Médico Cardiologista da Unidade Coronariana do Hospital Sírio Libanês.

Última revisão: 01/04/2019

Comentários de assinantes: 0

Quadro clínico

Paciente do sexo masculino com história de síncope

Eletrocardiograma do paciente

 

Ver diagnóstico abaixo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Interpretação

 

1.     Ritmo sinusal.

2.     FC: 58 bpm.

3.     PR: 160 ms.

4.     Possível sobrecarga atrial direita.

5.     Eixo: 60 graus.

6.     Alterações difusas da repolarização ventricular; inversão de onda T em precordiais direitas; QRS < 110 ms, deflexão de baixa amplitude, de curta duração, sucedendo imediatamente o complexo QRS, mais particularmente, visível nas derivações precordiais direitas – ondas épsilon.

7.     ESV com aspecto de BRE.

 

Diagnóstico 

Displasia Arritmogênica de Ventrículo Direito:

 

Comentários

A displasia arritmogênica do ventrículo direito (DAVD) é uma alteração estrutural do músculo cardíaco, caracterizada por uma substituição progressiva das células miocárdicas por tecido fibrogorduroso e de causa ainda desconhecida. É geralmente identificada em adultos jovens, com predomínio no sexo masculino. Seu extenso espectro de apresentação consiste desde extra-sistolia ventricular isolada até TV sustentada. A DAVD é, provavelmente, a causa de 5,9% das mortes súbitas de origem cardíaca que podem se apresentar como primeira manifestação da doença. A morte súbita cardíaca pode ocorrer durante a prática desportiva ou mesmo em repouso. Estes distúrbios do ritmo têm sua origem dentro de zonas estruturalmente anormais de um VD variavelmente dilatado e recoberto de tecido fibro-adiposo de concentração e distribuição mais importante que costumeiramente encontrado. Estas anomalias morfológicas podem ser identificadas por ecocardiograma, ventriculografia radiosotópica, ressonância magnética ou angiografia.

 

         Sintomas: palpitações, tonturas e mesmo síncope são os sintomas principais da doença, que são devido à TV, e mais raramente, relacionados às extra-sístoles ventriculares. É conhecida a correlação do início da TV com esforço e, entre DAVD e morte súbita em atletas.

 

         ECG: as características eletrocardiográficas são: inversão da onda T nas derivações precordiais direitas (54%), duração do complexo QRS >110ms nestas mesmas derivações. A identificação de QRS de duração >110ms, em ritmo sinusal na derivação V1, em indivíduo sem doença cardíaca aparente permite identificar a doença com uma sensibilidade de 55% e especificidade de 100% 15. As ondas épsilon decorrentes da pós-excitação ventricular, são observadas em 30% dos casos. Trata-se de uma deflexão de baixa amplitude, de curta duração, sucedendo imediatamente o complexo QRS, mais particularmente, visível nas derivações precordiais direitas. Os outros sinais, bloqueio de ramo direito (15%), distúrbio de condução pelo ramo direito (18%),complexos de baixa voltagem e hipertrofia ventricular direita são mais raros e traduzem uma forma difusa da doença com possível comprometimento do sistema de condução atrioventricular. O ECG durante a TV mostra um aspecto de bloqueio de ramo esquerdo (BRE) sugerindo ser o sítio de origem da arritmia localizado no VD. O eixo do QRS é normal ou desviado para a direita, quando a TV se origina da via de saída do VD, ou pode apresentar desvio esquerdo, quando originária de ápex ou parede diafragmática do VD.

 

         Critérios para diagnóstico

Disfunção global e/ou regional e alterações estruturais

Maiores

         Dilatação severa e redução da FE do VD com nenhum (ou   discreto) comprometimento do VE.

         Aneurismas localizados no VD.

         Dilatação severa do VD.

 

Menor

         Dilatação global discreta ou redução da FE do VD com VE normal.

Característica do tecido parietal

 

Maior

         Substituição fibrogordurosa do tecido miocárdico na biópsia

         endomiocárdica.

         Anormalidades da repolarização

Menor

         Ondas T invertidas nas derivações precordiais direitas (V2 e       V3 , paciente com idade >12 anos e na ausência de BRD).

Anormalidades da despolarização e da condução

Maior

         Ondas épsilon ou prolongamento localizado do QRS (>110ms)       em derivações precordiais direitas (V1-V3).

Menor

         Potenciais tardios (ECGAR).

Arritmias

Menor

         Taquicardia ventricular com morfologia tipo BRE (sustentada       ou não sustentada) (ECG, Holter e teste ergométrico).

         Ectopias ventriculares freqüentes (>1000/24h) (Holter).

História familiar

Maior

Doença familiar confirmada através de cirurgia ou necropsia

Menor

         História familiar de morte súbita em jovens (<35 anos) com suspeita clínica de DAVD.

         História familiar (diagnóstico clínico baseado no presente     critério).

Baseando-se nessa classificação, o diagnóstico da DAVD existiria quando da presença de dois critérios maiores ou um critério maior associado a dois critérios menores de grupos distintos ou ainda quatro critérios menores.

 

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal