FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Eletrocardiograma 25

Autores:

Fernando de Paula Machado

Médico pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Residência em Clínica Médica no Hospital das Clínicas da FMUSP (HC-FMUSP). Residência em Cardiologia pelo Instituto do Coração (InCor) do HC-FMUSP. Médico Diarista do Pronto-Atendimento do Hospital Sírio-Libânes.

Leonardo Vieira da Rosa

Médico Cardiologista pelo Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Médico Assistente da Unidade de Terapia Intensiva do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Doutorando em Cardiologia do InCor-HC-FMUSP. Médico Cardiologista da Unidade Coronariana do Hospital Sírio Libanês.

Última revisão: 01/04/2019

Comentários de assinantes: 0

Quadro Clínico

Paciente 70 anos internado com dispnéia e palpitações.

Eletrocardiograma do paciente

 



Interpretação

 

1-     Ritmo irregular, FC = 106

2-     Intervalo PR variável

3-     Morfologia da onda P variável

4-     QRS de duração normal com desvio do eixo para esquerda e para frente

5-     Ritmo = Taquicardia Atrial Multifocal


Diagnóstico

 

Taquicardia Atrial Multifocal. A taquicardia atrial multifocal está geralmente associada a doença pulmonar e este paciente estava internado por descompensação de enfisema (a presença de desvio do eixo para a esquerda também é um achado comum em enfisema grave).

 

Comentários

 

As taquicardias irregulares com QRS estreito são:

 

  • Fibrilação Atrial
  • Flutter Atrial com bloqueio atrioventricular variável
  • Taquicardia atrial multifocal
  •  

                Na fibrilação atrial não há ondas P visíveis, sendo que neste caso vemos pelo menos 3 tipos de ondas P com morfologia diferentes (melhor vistas na derivação DII longa), ocorrendo em intervalos diferentes, confirmando o diagnóstico de taquicardia atrial multifocal e excluindo o flutter atrial. Interessantemente, a taquicardia atrial multifocal pode evoluir para ritmo de fibrilação atrial.

                A taquicardia atrial multifocal é uma taquicardia de ritmo irregular variando a freqüência de 100 a 200 por minuto. Provavelmente resulta de disparos aleatórios de diferentes focos ectópicos atriais. Quando a freqüência é menor que 100, denomina-se marcapasso atrial mutável. Os critérios para seu diagnósticos são:

     

  • frequência entre 100 e 200 (geralmente maior que 150)
  • presença de pelos menos 3 morfologias diferentes de ondas P numa mesma derivação
  • intervalos P-P, P-R, R-R variáveis
  •  

                Esta arritmia representa menos de 1% de todas as taquicardias, sendo associada a doença pulmonar em 60 a 85% dos casos, geralmente quadros de exacerbação de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Pode ser precipitada por insuficiência respiratória, descompensação de insuficiência cardíaca ou infecções. Pode estar associada a hipocalemia, hipomagnesemia, hiponatremia, tromboembolismo pulmonar, câncer, valvopatias ou pos-operatório.

                O tratamento é direcionado para doença de base, porém o uso de bloqueador de canais de cálcio (como verapamil) e betabloqueadores podem obter bom controle da freqüência cardíaca ou revertê-la para ritmo sinusal. Deve-se repor potássio e magnésio, alem de evitar o uso de digitais (não é efetiva e pode ocorrer intoxicação digitálica) e suspender medicações que causam irritabilidade atrial como a teofilina.

     

    Conecte-se

    Feed

    Sobre o MedicinaNET

    O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

    Medicinanet Informações de Medicina S/A
    Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
    Porto Alegre, RS 90.040-340
    Cnpj: 11.012.848/0001-57
    (51) 3093-3131
    info@medicinanet.com.br


    MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

    Termos de Uso do Portal