FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Eletrocardiograma 57

Autores:

Fernando de Paula Machado

Médico pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Residência em Clínica Médica no Hospital das Clínicas da FMUSP (HC-FMUSP). Residência em Cardiologia pelo Instituto do Coração (InCor) do HC-FMUSP. Médico Diarista do Pronto-Atendimento do Hospital Sírio-Libânes.

Leonardo Vieira da Rosa

Médico Cardiologista pelo Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Médico Assistente da Unidade de Terapia Intensiva do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Doutorando em Cardiologia do InCor-HC-FMUSP. Médico Cardiologista da Unidade Coronariana do Hospital Sírio Libanês.

Última revisão: 01/04/2019

Comentários de assinantes: 0

Quadro clínico

Paciente de 55 anos apresentou dor torácica durante partida de tênis.

 

Eletrocardiograma do paciente

 

Eletrocardiograma 2 horas após

 

Ver diagnóstico abaixo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Diagnóstico

            O eletrocardiograma demonstra a presença de infarto agudo do miocárdio com supradesnivelamento do ST (IAM ANTERIOR) e padrão de bloqueio de ramo direito em derivações precordiais. As ondas Q e a elevação do segmento ST nas derivações V1 a V4 são diagnósticas de infarto miocárdico com supra de ST e acometimento do septo anterior. Nas derivações V1,V2,V3 existe uma onda R depois da onda Q, que é o R’ do rsR’ remanescente, o que reflete o bloqueio do ramo direito. O infarto ântero-septal removeu o r do rsR’. Outra manifestação do bloqueio do ramo direito é um extenso complexo QRS (> 120 ms) composto por ondas S amplas (> 60 ms) nas derivações I, aVL e V6.

 

Discussão

 A presença de supra de ST em pacientes com sintomas de IAM é uma indicação de terapia de reperfusão imediata por angioplastia percutânea primária ou trombólise. De acordo com a “definição universal de infarto do miocárdio” apoiada pela ESC, AHA e ACC e World health federation, nova elevação do ponto j maior ou igual a 0,2mV em homens e 0,15mV em mulheres em duas derivações contíguas em v2 e v3 e/ou ou maior que 0,1 mV em outras derivações em pacientes com sintomas típicos é indicação de terapia de reperfusão.

A análise do estudo HERO-2 demonstrou que no cenário de um IAM anterior, a presença de um distúrbio de condução, independentemente do seu início, está associado a um maior risco de morte. Quando presente na admissão, BRD  associou-se a um pior prognóstico quando comparado com pacientes sem distúrbios de condução. Além disso, a mortalidade no grupo com BRD foi 5x maior quando comparados aqueles com BRE.

Num Registro Espanhol de 1238 pacientes, a presença de BRD estava associada mais freqüentemente com insuficiência cardíaca e bloqueio atrioventricular avançado e resultou como preditor independente de mortalidade em 30 dias. Sgarbossa et al mostrou no estudo GUSTO-I, durante a análise univariada, um maior mortalidade em 30 dias em pacientes internados com BRD. O estudo confirmou a falta de um pior prognóstico associado à presença do BRE.

 

Referências

1. Go AS, Barron HV, Rundle AC, Ornato JP, Avins AL. Bundle-branch block and in-hospital mortality in acute myocardial infarction. National Registry of Myocardial Infarction 2 Investigators. Ann Intern Med 1998;129:690–697.

2. Sgarbossa EB, Pinski SL, Topol EJ, Califf RM, Barbagelata A, Goodman SG, Gates KB, Granger CB, Miller DP, Underwood DA, Wagner GS. Acute myocardial infarction and complete bundle branch block at hospital admission: clinical characteristics and outcome in the thrombolytic era. GUSTO-I Investigators. Global Utilization of Streptokinase and t-PA [tissue-type plasminogen activator] for Occluded Coronary Arteries.J Am Coll Cardiol 1998;31:105–110.

3. The Hirulog and Early Reperfusion or Occlusion (HERO)-2 Trial Investigators
Lancet 2001; 358(9296):1855-1863

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal