FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Casos de trauma torácico

Autores:

Euclides F. de A. Cavalcanti

Médico Colaborador da Disciplina de Clínica Médica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

Antonio F. de A. Cavalcanti

Médico Assistente do Instituto de Radiologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

Última revisão: 14/12/2009

Comentários de assinantes: 0

Quadro Clínico

            Os pacientes abaixo foram vítimas de acidente automobilístico com trauma torácico. O que podemos observar em cada uma das radiografias?

 

Radiografias de tórax dos pacientes

 

Radiografia 1

 

Radiografia 2

 

Radiografia 3

 

Ver diagnóstico abaixo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Diagnóstico

            A radiografia 1 mostra contusão pulmonar à direita e discreto enfizema de subcutâneo à direita. A radiografia 2 mostra contusão pulmonar no campo médio do pulmão esquerdo com pneumomediastino, enfisema subcutâneo e gás entre os feixes musculares dos peitorais, mais evidenciado à direita. A radiografia 3 mostra contusão pulmonar à direita

 

LESÕES TRAUMÁTICAS DO PULMÃO

 

CONTUSÃO PULMONAR

 

         DEFINIÇÃO – Lesões pulmonares causadas por trauma fechado (principalmente naqueles em que existe desaceleração), que aparecem, na maior parte das vezes, nas primeiras 6 horas pós-trauma.

 

         QUADRO CLÍNICO - As lesões geralmente são adjacentes ao local do impacto, ou no lado oposto (pelo contragolpe) e, muitas vezes, são identificadas nas primeiras 6 horas. O paciente pode estar assintomático, ou apresentar dores de variadas intensidades, dispnéia, taquicardia e hemoptise (50%).

 

         ACHADOS RADIOLÓGICOS - Dependem da extensão do edema/sangue nos interstícios e no espaço aéreo.

 

            Radiografia de tórax

 

a)     Opacidades pulmonares periféricas – (que podem dificultar a identificação de fraturas costais adjacentes);

b)    As lesões não seguem nenhuma distribuição anatômica;

c)     As lesões podem aumentar progressivamente em radiografias seriadas;

d)    As lesões podem regredir em 2 a 4 dias (tempo muito menor do que as pneumonias aspirativas que também  podem apresentar múltiplos focos de consolidação, porém com distribuição anatômica (segmentares e subsegmentares).

 

Tomografia computadorizada – de preferência realizar exame com contraste para excluir lesões vasculares.

 

a)     Evidencia melhor as lesões já notadas nas radiografias anteriores e pode mostrar outras menores não identificadas;

b)    Mostra pequenos pneumopericárdios, pneumomediastinos e pneumotórax, lesões costais e vertebrais;

c)     Pode mostrar a preservação periférica do pulmão junto à pleura - 1 a 2 mm de pulmão não opacificado -  (muito difícil de se identificar nas radiografias).

 

LACERAÇÃO PULMONAR

 

         DEFINIÇÃO – Ruptura traumática do pulmão condicionada por trauma aberto ou fechado.

 

         QUADRO CLÍNICO - Dor torácica, dispnéia, taquicardia e hemoptise, dependendo da extensão da lesão.

 

         ACHADOS RADIOLÓGICOS - Vão depender diretamente da existência, ou não, de pneumatoceles, hematoceles (hematomas), ou hematopneumatoceles, e da fase em que os exames são realizados (na fase aguda, a contusão pulmonar adjacente, não permite a visualização da laceração). Pacientes com múltiplas lesões podem apresentar umas  diferentes das outras.

 

Radiografias de tórax

 

a)     Lesões na parede torácica (principalmente nos traumas abertos);

b)    Opacidades pulmonares (contusão);

c)     Após a regressão da contusão poderemos observar imagens arredondadas com ar no seu interior (pneumatoceles), com sangue (hematomas), com níveis hidroaéreos;

d)    Lesões associadas – pneumotórax, pneumomediastino, etc.

 

Tomografia computadorizada

            A tomografia evidencia melhor os mesmos achados das radiografias com a vantagem de detectar lesões menores e evidenciar lesões associadas.

 

LESÕES TRAUMÁTICAS DO ESQUELETO TORÁCICO

            As fraturas costais são muito comuns no dia-a-dia dos hospitais. As fratura esternais são mais raras. As fraturas vertebrais são graves pelos problemas neurológicos que podem acarretar.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal