FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Eletrocardiograma 75

Autores:

Eduardo Osawa

Residente de Cardiologia do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

Fernando de Paula Machado

Médico pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Residência em Clínica Médica no Hospital das Clínicas da FMUSP (HC-FMUSP). Residência em Cardiologia pelo Instituto do Coração (InCor) do HC-FMUSP. Médico Diarista do Pronto-Atendimento do Hospital Sírio-Libânes.

Leonardo Vieira da Rosa

Médico Cardiologista pelo Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Médico Assistente da Unidade de Terapia Intensiva do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Doutorando em Cardiologia do InCor-HC-FMUSP. Médico Cardiologista da Unidade Coronariana do Hospital Sírio Libanês.

Última revisão: 01/04/2019

Comentários de assinantes: 0

Quadro Clínico

Paciente de 67 anos com história de dor precordial típica com duração de 3 horas e palpitações. Antecedentes de miocardiopatia isquêmica com FE 25%, IAM prévio com revascularização do miocárdio há 20 anos e angioplastia de primeira diagonal em 2005, além de IRC não dialítica (Cr 2,6) e DPOC.

 

Eletrocardiogramas do paciente


 


Ver diagnóstico abaixo

































Descrição

1-     FC 150, regular

2-     Presenças de ondas P ora precedendo o complexo QRS (fig 1) ora coincidindo no QRS (figura 2)

 

Figura 1

 

Figura 2

 

 

3-     QRS alargado (duração 0,16s) com morfologia de bloqueio de ramo esquerdo

 

Diagnóstico

Taquicardia Ventricular. Pelos critérios de Brugada (fluxograma em Taquicardias Ventriculares) observamos que há dissociação A-V e portanto preenche critérios de taquicardia ventricular.

 

Discussão

Neste paciente inicialmente devemos reverter a arritmia para ritmo sinusal. A 1ª escolha é cardioversão elétrica (mandatória nos casos de instabilidade e de preferência nas taquicardias estáveis), podendo-se utilizar antiarritimicos como amiodarona e lidocaína. A seguir como este paciente tem histórico de miocardiopatia isquêmica deve-se investigar um novo evento isquêmico (seriar ECGs após reversão e coleta de marcadores miocárdicos) e eventualmente realizar nova cinecoronariografia.

Afastando-se a presença de evento isquêmico agudo este paciente tem indicação de prevenção de novos eventos com CDI (cardiodesfibrilador implantável) pois há disfunção ventricular importante (prevenção primária) e TV espontânea com instabilidade hemodinâmica ou TV sustentada com frequência cardíaca = 150 bpm em pacientes com disfunção ventricular (FEVE = 35%), prevenção secundária.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal