FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Eletrocardiograma 88

Autores:

Leonardo Vieira da Rosa

Médico Cardiologista pelo Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Médico Assistente da Unidade de Terapia Intensiva do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Doutorando em Cardiologia do InCor-HC-FMUSP. Médico Cardiologista da Unidade Coronariana do Hospital Sírio Libanês.

Ricardo Casalino Sanches de Moraes

Especialista em Cardiologia pelo Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP
Médico Colaborador do Grupo de Válvula do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

Última revisão: 01/04/2019

Comentários de assinantes: 0

Quadro Clínico

Homem de 60 anos com episódios de tontura

 

Eletrocardiograma do paciente

 

Ver diagnóstico abaixo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Diagnóstico

Bloqueio átrio-ventricular 2:1

 

Discussão

O bloqueio AV de segundo grau pode ser do tipo 1 ou do tipo 2. O tipo 1, geralmente benigno é de origem nodal, se caracteriza no ECG pelo fenômeno de Wenckebach (aumento progressivo do intervalo PR até a ocorrência de uma falha). O bloqueio AV do tipo 2, pós-nodal, é mais grave e, no ECG, exibe intervalo PR constante. Entretanto, quando o bloqueio AV é 2:1, isto é, existem duas ondas P para cada QRS, o diagnóstico diferencial entre os dois tipos de bloqueio AV de segundo grau pode ser difícil.

As manifestações clínicas mais freqüentes são de baixo fluxo cerebral: pré-síncopes, síncopes, tonturas e palpitações, sendo estas duas últimas consideradas sintomas menores. Cerca de 90% desses sintomas são encontrados em portadores de bloqueio atrioventricular adquirido, diferente do observado com os bloqueios atrioventriculares congênitos, que, na maioria das vezes, são assintomáticos, exceto nos pacientes que evoluem mal e desenvolvem sintomas de insuficiência cardíaca, devido à incompetência cronotrópica. O sintoma mais comum é a tontura que é altamente limitante nos pacientes idosos; inadequadamente diagnosticada como vestibulopatia, retarda o diagnóstico correto e seu tratamento.

O evento mais importante é o quadro sincopal, responsável por cerca de 25% dos sintomas desenvolvidos pelo paciente, quando do início do distúrbio cardíaco, e cuja causa muitas vezes é difícil de ser documentada, devido à transitoriedade do quadro nos períodos iniciais (bloqueio atrioventricular total intermitente).

O teste ergométrico é um método útil para investigação do nível de bloqueio em portadores de bloqueio atrioventricular de 1o grau, de 2o grau do tipo I, ou mesmo de bloqueio atrioventricular 2:1, pois, ao se aumentar a atividade simpática no momento do teste, ocorre a normalização do intervalo PR, ou mesmo o desaparecimento dos bloqueios mais avançados, evidenciando hiperatividade parassimpática no nó atrioventricular, o que justifica sua benignidade a longo prazo. Os pacientes com bloqueio atrioventricular avançado (2o grau do tipo II, bloqueio atrioventricular 2:1, ou bloqueio atrioventricular total com QRS alargado) normalmente apresentam piora da condução atrioventricular quando colocados sob atividade simpática, evidenciando irreversibilidade do bloqueio e pior prognóstico a longo prazo se não tratados corretamente com implante de marcapasso.

O paciente evidenciou ao teste ergométrico piora do bloqueio e aumento do QRS (bloqueio abaixo do HIS), com isso indicou-se implante de marcapasso definitivo

 

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal