FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Devo dar antibióticos para esta dor de garganta?

Autor:

Lucas Santos Zambon

Doutorado pela Disciplina de Emergências Clínicas Faculdade de Medicina da USP; Médico e Especialista em Clínica Médica pelo HC-FMUSP; Diretor Científico do Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente (IBSP); Membro da Academia Brasileira de Medicina Hospitalar (ABMH); Assessor da Diretoria Médica do Hospital Samaritano de São Paulo.

Última revisão: 22/04/2015

Comentários de assinantes: 0

Quadro Clínico

         Paciente do sexo masculino, 34 anos, sem diagnósticos prévios, procura atendimento apresentando quadro de febre de até 38,5 oC há dois dias e intensa odinofagia nas últimas 24h. Ao exame físico, o paciente encontrava-se consciente e orientado (Glasgow 15), corado, hidratado, eupneico, afebril, acinótico e anictérico, com temperatura de 37,9oC. Ausculta cardíaca e pulmonar normais, bem como a propedêutica abdominal. Apresentava os seguintes sinais vitais: FC de 86bpm, FR 16cpm, PA 128x70mmHg, saturação de oxigênio em 96% em ar ambiente. Na oroscopia apresentava bastante hiperemia de orofaringe e pilares amigdalianos, sendo que havia presença de pus em placas na amígdala esquerda. Apresentava ainda linfonodo fibroelástico submandibular à esquerda, com cerca de 2,5 cm no maior eixo, não aderido a plano profundo, doloroso.

         Você é o médico que atendeu este paciente. Qual o diagnóstico? E qual deve ser sua conduta em termos de medicação?

 

Diagnóstico e Discussão

         Estamos diante de um quadro infeccioso agudo de faringe, ou seja, uma faringite, ou faringoamigdalite. A primeira coisa a fazer é identificar o paciente com potencial faringite estreptocócica, e para isso podemos usar os critérios de CENTOR, que são extremamente validados na literatura, mas utilizamos pouco na prática. A vantagem do uso é que pacientes com menos de três critérios não precisam de antibióticos, e são casos que normalmente  se resolverão sem maiores problemas. Os critérios são os seguintes:

 

Exsudato tonsilar;

Adenopatia cervical anterior;

Febre na história;

Ausência de tosse.

 

         Neste caso, em específico, o paciente apresentava os quatro critérios, fechando o diagnóstico de caso bacteriano, provavelmente estreptocócico. É verdade que muitas diretrizes advogam que deveria ser feito um teste rápido para detecção de antígeno estreptocócico para fechar o diagnóstico, mas sabemos que isso nem sempre é viável na prática. Apenas para lembrar, o padrão-ouro de diagnóstico continua sendo a cultura de swab da garganta do paciente, mas não são custo-efetivas dado que o crescimento leva de 24 a 48h.

         As opções terapêuticas adequadas são amoxacilina, ampicilina, cefalosporinas, macrolídeos e clindamicina. Fluorquinolonas, sulfas e tetraciclinas NÃO DEVEM SER USADAS. Uma outra opção rápida e barata é o uso de penicilina G benzatina em dose única de 1.200.000 unidades IM. Pode fazer parte disso, em penicilina procaína (300.000 unidades de procaína com 900.000 de benzatina), o que dá menos desconforto na aplicação e favorece a resposta clínica mais rápida. Em caso de uso de antibiótico oral, preferência pela amoxacilina, por 10 dias, na dose de 1,0 a 1,5g/dia em doses divididas. Uma opção na alergia a penicilinas é usar azitromicina 500mg/dia por cinco dias.

 

Bibliografia

Wessels MR. Clinical practice. Streptococcal pharyngitis. N Engl J Med 2011; 364:648.

 

Pichichero ME. Controversies in the treatment of streptococcal pharyngitis. Am Fam Physician 1990; 42:1567.

 

Glasziou PP, Spinks AB. Antibiotics for sore throat. Cochrane Database Syst Rev 2000; :CD000023.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal