FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Pancreatite de Cabeça do Pâncreas

Autor:

Lucas Santos Zambon

Doutorado em Ciências Médicas pela Faculdade de Medicina da USP.
Supervisor do Pronto-Socorro do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.
Diretor do Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente.

Última revisão: 07/03/2017

Comentários de assinantes: 0

Quadro Clínico

 

         Paciente do sexo feminino, com 68 anos de idade, diabética e dislipidêmica, fazendo uso de metformina e atorvastatina, procurou o pronto-socorro com quadro de vômitos e dor abdominal, que se iniciaram 2 dias antes e se intensificaram no dia da consulta. Ao exame físico, não apresentava sinais de peritonite no abdome, mas a dor era intensa e os vômitos, constantes. Após controle sintomático e hidratação, colheu exames e foi levada para fazer tomografia computadorizada (TC) de abdome e pelve.

 

A Figura 1 mostra a TC de abdome.

TC: tomografia computadorizada.

Figura 1 ? TC de abdome.

 

Discussão

Esta paciente apresenta densificac¸a~o da gordura circunjacente à cabec¸a pancrea´tica, que se encontra aumentada em relac¸a~o ao restante do pare^nquima, o que leva ao diagnóstico de pancreatite.

O Quadro 1 apresenta a classificação da pancreatite aguda.

 

Quadro 1

PANCREATITE AGUDA ? CLASSIFICAÇÃO

Categorias

Caracterização

Pancreatite aguda leve

Ausência de falência de órgãos e complicações locais ou sistêmicas

Pancreatite aguda moderada

Falência transitória de órgãos (desaparece dentro de 48 horas) e/ou complicações sistêmicas ou locais sem falência de órgãos persistente (>48 horas)

Pancreatite aguda grave

Insuficiência de órgãos persistente, envolvendo um ou mais órgãos

 

Quanto aos achados laboratoriais típicos, há as enzimas pancreáticas. A amilase sérica sobe dentro de 6 a 12 horas após o início da pancreatite aguda. A amilase tem uma meia-vida curta de, aproximadamente, 10 horas e, em crises não complicadas, retorna ao normal no prazo de 3 a 5 dias. Elevações da amilase sérica superiores a três vezes o limite superior do normal têm uma sensibilidade para o diagnóstico de pancreatite aguda de 67-83% e uma especificidade de 85 a 98%.

Já a lipase sérica tem uma sensibilidade e uma especificidade para a pancreatite aguda que varia de 82 a 100%, aumentando dentro de 4 a 8 horas do início dos sintomas, fazendo picos com 24 horas e retornando ao normal dentro de 8 a 14 dias. As elevações da lipase ocorrem mais cedo e duram mais tempo, em comparação com as da amilase, sendo, portanto, especialmente úteis em pacientes que se apresentam depois de 24 horas do início da dor. A lipase sérica também é mais sensível em comparação com a amilase em pacientes com pancreatite secundária ao álcool.

 

Bibliografia

1. Banks PA. Acute pancreatitis: Diagnosis. In: Pancreatitis, Lankisch PG, Banks PA (Eds), Springer-Verlag, New York 1998. p.75.

2. Swaroop VS, Chari ST, Clain JE. Severe acute pancreatitis. JAMA 2004; 291:2865.

Banks PA, Freeman ML, Practice Parameters Committee of the American College of Gastroenterology. Practice guidelines in acute pancreatitis. Am J Gastroenterol 2006; 101:2379.

 

 

 

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal