FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Citarabina

Última revisão: 06/02/2010

Comentários de assinantes: 0

>Reproduzido de:>>>>>

>Formulário Terapêutico Nacional 2008: Rename 2006 [>Link Livre para o Documento Original>>]>>>>>

>Série B. Textos Básicos de Saúde>>>>>

>MINISTÉRIO DA SAÚDE>>>>>

>Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos>>>>>

>Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos>>>>>

>Brasília / DF2008>>>>>

>>> >>>>

>>Citarabina>>>>>

>>> >>>>

>Maurício Fábio Gomes>>>>>

>>> >>>>

>>Na Rename 2006: item 6.1.2>>>>>

>>> >>>>

>>APRESENTAÇÃO>>>>>>>

>      >>> para solução injetável 100 mg, 500 mg e 1 g.>>>>

>>> >>>>

>>INDICAÇÕES>4,5,128>>>>>>>>

>      >>>Leucemia linfóide aguda.>>>>

>      >>>Leucemia mielóide aguda (em combinação com outros antineoplásicos).>>>>

>      >>>Leucemia mielóide crônica (fase blástica).>>>>

>      >>>Leucemia meníngea.>>>>

>>> >>>>

>>CONTRA-INDICAÇÃO>2,4,5,128>>>>>>>>

>      >>>Hipersensibilidade a citarabina.>>>>

>>> >>>>

>>PRECAUÇÕES>2,4,5,128>>>>>>>>

>      >>>Cautela em mulheres em idade fértil.>>>>

>      >>>Evitar no primeiro trimestre da gravidez devido a alterações encontradas no neonato.>>>>

>      >>>Monitorar cuidadosamente os níveis hematológicos do paciente. Pode ser necessário interromper o tratamento se a contagem de plaquetas for inferior a 100.000/mm>3> ou a de granulócitos for inferior a 1.000/mm>3>.>>>>

>      >>>Cautela ao utilizar medicamentos imunossupressores concomitantemente.>>>>

>      >>>Cautela em idosos e pacientes com insuficiências hepática (ver apêndice C) e renal (ver apêndice D).>>>>

>      >>>Induz grave toxicidade em trato gastrintestinal, sistema nervoso central e pulmões.>>>>

>      >>>Em pacientes pediátricos, não utilizar diluentes que contenham álcool benzílico.>>>>

>      >>>Doses intravenosas em >bolus >comportam-se diferentemente da infusão intravenosa: as primeiras são relativamente bem toleradas, embora causem neurotoxicidade; a administração contínua resulta em mielossupressão.>>>>

>      >>>Lactação (ver apêndice B).>>>>

>      >>>Categoria de risco na gravidez (FDA): D (ver apêndice A).>>>>

>> >>>

>>ESQUEMAS DE ADMINISTRAÇÃO>4-6>>>>>>>>

>Adultos e Crianças>>

>>Leucemia Linfóide Aguda>>>>>>>

>      >>>Terapia de indução: 200 mg/m>2>/dia, em infusão contínua, por 5-10 dias; repetir, se necessário, mais um curso 2-4 semanas após, ou>>>>

>      >>>150 mg/m>2>, por via intravenosa, a cada 12 horas, por 6 dias + metotrexato + tioguanina, em 3 ciclos, ou>>>>

>      >>>300 mg/m>2>/dia, por via intravenosa + teniposídeo (165 mg/m>2>, por via intravenosa, duas vezes por semana. Recomendam-se 8 a 9 doses.>>>>

>> >>>

>>Leucemia Mielóide Aguda>>>>>>>

>      >>>Terapia de indução: 100 mg/m>2>/dia, em infusão intravenosa contínua, do ao dia, ou>>>>

>      >>>100 mg/m>2>, por via intravenosa, a cada 12 horas, do ao dia + daunorrubicina 45 mg/m>2>/dia, por via intravenosa, do ao dia, ou>>>>

>      >>>Terapia de indução de altas doses utilizando 3 g/m>2>, em infusão intravenosa durante 1-3 horas, a cada 12 horas, por 2-6 dias.>>>>

>      >>>Terapia de re-indução: 100 mg/m>2>/dia, em infusão intravenosa contínua, do ao dia + daunorrubicina 45 mg/m>2>/dia, por via intravenosa, do ao dia, ou>>>>

>      >>>25 mg/m>2>, em injeção intravenosa em >bolus>, seguida por 200 mg/m>2>/dia, em infusão intravenosa contínua, do ao dia + daunorrubicina 60 mg/m>2>/dia, por via intravenosa, do ao dia + tioguanina 100 mg/m>2>, por via oral, a cada 12 horas, do ao dia.>>>>

>> >>>

>>Leucemia Mielóide Crônica>>>>>>>

>      >>>Terapia de indução: 100 mg/m>2>/dia, em infusão intravenosa contínua, do ao dia + daunorrubicina 45 mg/m>2>/dia, por via intravenosa, dos dias 1 a 3.>>>>

>      >>>Terapia de re-indução: 100 mg/m2/dia, em infusão intravenosa contínua, do ao dia + daunorrubicina 45 mg/m>2>/dia, por via intravenosa, nos dias 1 e 2, ou>>>>

>      >>>25 mg/m>2>, em injeção intravenosa em >bolus>, seguida por 200 mg/m>2>/dia, em infusão intravenosa contínua, do ao dia + daunorrubicina 60 mg/m>2>/dia, por via intravenosa, do ao dia + tioguanina 100 mg/m>2>, por via oral, a cada 12 horas, do ao dia.>>>>

>> >>>

>>Leucemia Meníngea>>>>>>>

>      >>>Tratamento e profilaxia: 5-75 mg/m>2>, por via intratecal, a cada 4 dias, até normalização do fluido cérebro-espinhal, seguidos por um tratamento adicional.>>>>

>> >>>

>Observação:>>>>>

>      >>>para administração intratecal, não utilizar diluente contendo álcool benzílico. Soluções salinas normais sem conservantes têm sido utilizadas.>>>>

>>> >>>>

>>Reajuste de dose em acordo com a função renal>>>>>

>

>>Creatinina sérica>>>>>>

>>Dose de citarabina>>>>>>>

>Menor do que 1,5 mg/dL>>>>>

>2 ou 3 g/m>2>>>>>>>

>Entre 1,5 e 1,9 mg/dL>>>>>

>1 g/m>2>>>>>>>

>Maior ou igual a 2,0 mg/dL>>>>>

>0,1 g/m>2>/dia, em infusão contínua>>>>>>>>

>>> >>>>

>>ASPECTOS FARMACOCINÉTICOS CLINICAMENTE RELEVANTES>4,5,6>>>>>>>>

>      >>>Pico de concentração plasmática: 50% maior em terapia de altas doses.>>>>

>      >>>Metabolismo: hepático.>>>>

>      >>>Excreção: renal (80% como metabólitos, menos de 10% na forma inalterada).>>>>

>      >>>Meia-vida de eliminação: 1 a 3 horas; 2 horas (intratecal).>>>>

>>> >>>>

>>EFEITOS ADVERSOS>2,5>>>>>>>>

>      >>>Terapia de altas doses: toxicidade cerebelar (ataxia, disartria), convulsões (via intratecal), conjuntivite, ceratite corneana, hiperbilirrubinemia, edema pulmonar, pericardite, tamponamento cardíaco.>>>>

>      >>>Alopecia, erupções cutâneas.>>>>

>      >>>Náusea, vômito, diarréia.>>>>

>      >>>Perda de apetite.>>>>

>      >>>Vasculites, tromboflebites.>>>>

>      >>>Hiperuricemia, hipercalemia, hipocalemia.>>>>

>      >>>Inflamação e úlcera anal, estomatites, úlcera bucal.>>>>

>      >>>Pancreatites.>>>>

>      >>>Anemia megaloblástica, hemorragia, leucopenia, trombocitopenia.>>>>

>      >>>Imunossupressão, anafilaxia, infecções e sepse.>>>>

>      >>>Hepatotoxicidade, icterícia, aumento de transaminases.>>>>

>>> >>>>

>>INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS>2,4,5>>>>>>>>

>      >>>Aumento de efeito/toxicidade de citarabina: agentes alquilantes, análogos de purinas, radioterapia, metotrexato, clozapina, probenecida, sulfimpirazona.>>>>

>      >>>Citarabina diminui o efeito de: gentamicina, flucitosina, digoxina.>>>>

>> >>>

>>ORIENTAÇÕES AO PACIENTE>4,128>>>>>>>>

>      >>>Orientar para evitar imunizações e contato com pessoas que tenham recebido vacina de poliovírus oral.>>>>

>      >>>Orientar para evitar contato com pessoas com infecções ou, caso imprescindível, utilizar máscara protetora que cubra boca e nariz.>>>>

>      >>>Orientar para notificar imediatamente o surgimento de sangramento.>>>>

>> >>>

>>ASPECTOS FARMACÊUTICOS>4,5,6>>>>>>>>

>      >>>Citarabina reconstituída com água bacteriostática para injeção com álcool benzílico (0,945%) é estável por 48 horas se estocada em temperatura ambiente (20 a 25°C).>>>>

>      >>>Devem-se descartar soluções que se tornem turvas ou opacas.>>>>

>      >>>Citarabina permanece estável por 7 dias à temperatura ambiente, quando reconstituída em água para injeção, solução aquosa de dextrose 5% ou solução de cloreto de sódio 0,9%.>>>>

>      >>>Frascos intactos de citarabina em permanecem estáveis indefinidamente em temperatura ambiente.>>>>

>      >>>Frascos de 100 mg, 500 mg e 1 g podem ser reconstituídos com 5 mL, 10 mL e 20 mL de água bacteriostática para injeção com álcool benzílico 0,945%, respectivamente. Entretanto, diluentes que contêm álcool benzílico não devem ser utilizados para reconstituição de citarabina para administração intratecal.>>>>

>      >>>Soluções para uso intratecal devem ser utilizadas imediatamente após a preparação.>>>>

>      >>>Observar protocolos locais para manipulação de substâncias citotóxicas.>>>>

>>> >>>>

>>ATENÇÃO: a síndrome da citarabina tem sido observada entre e 12ª hora após a administração do fármaco. Caracteriza-se por dor óssea, ocasionalmente dor torácica, >>>rash>>>> >>>maculopapular, conjuntivite, febre, mialgia e mal-estar. O uso de corticosteróides tem sido benéfico para a prevenção e tratamento desta síndrome.>>>>>>

>> >>>

>SOBRE OS DIREITOS AUTORAIS DO DOCUMENTO>>

>Consta no documento:>>>>

>Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte e que não seja para venda ou qualquer fim comercial.”>>>>

>O objetivo do site MedicinaNet e seus editores é divulgar este importante documento. Esta reprodução permanecerá aberta para não assinantes indefinidamente.>>>>

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal