FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Propafenona

Propafenona

(Oral; Injetável) (substância ativa)

Referência: Ritmonorm (Abbott)

Genérico: não

 

cloridrato de propafenona

Uso oral

Comprimido 300 mg: Ritmonorm

 

Uso injetável

Injetável (solução) (IV) 70 mg/20 mL: Ritmonorm

 

Armazenagem antes de aberto

Temperatura ambiente (15-30°C).

Proteção à luz: sim, necessária. Proteger da umidade.

 

O que é

antiarrítmico [bloqueador do canal de sódio; antiarrítmico classe Ic].

 

Para que serve

arritmia ventricular; arritmia supraventricular (inclusive síndrome de Wolff-Parkinson-White;).

 

Como age

diminui a excitabilidade, a velocidade de condução e a automaticidade no nodo átrioventricular, feixe de His/Purkinje e tecido intraventricular. Deprime acentuadamente a fase 0 da despolarização e tem efeito pequeno sobre a repolarização. Diminui profundamente a condução (na classificação de Vaughan Willians: classe I C). Tem efeitos inotrópicos negativos. Tem atividade anestésica local praticamente igual à procaína e ação estabilizadora de membrana.

Tem atividade betabloqueadora fraca. Absorção - oral: rápida, praticamente completa. BiotraBiotransformação: no fígado, dando dois metabólitos ativos (5-hidroxipropafenona e N-depropilpropafenona).

Concentração plasmática (pico): 1 a 3,5 horas. Eliminação: urina (38% como metabólitos); fezes (53%, como metabólitos).

 

Como se usa

Uso oral – Doses

•doses em termos de cloridrato de Propafenona.

•tomar o medicamento após refeição.

Adultos com peso a partir de 70 kg

Iniciar com 150 mg a cada 8 horas; se necessário, aumentar (3 a 4 dias após) para 300 mg, 2 vezes por dia (a cada 12 horas).

Limite de dose para adultos: 900 mg por dia.

Atenção:

•as doses maiores só devem ser ministradas em casos excepcionais e sob estrito controle médico.

•produto não deve ser usado para controle da frequência ventricular durante fibrilação atrial.

Paciente com peso inferior a 70 kg: devem ter as doses diárias reduzidas.

Idosos ou paciente com grave dano cardíaco: devem receber o produto em doses paulatinamente crescentes, durante a fase inicial de ajuste.

 

Uso injetável – Preparacão

Propafenona (solução) 70 mg/20 mL – Via intravenosa direta

Estabilidade após aberto

temperatura ambiente (15-30°C): 48 horas.

 

Diluição

Diluente: Glicose 5%. Volume: 100 mL.

Atenção: não utilizar Cloreto de Sódio 0,9%: pode precipitar.

Estabilidade após diluição com Glicose 5%

temperatura ambiente (15-30°C): 48 horas. Tempo de injeção: 10 minutos.

 

Propafenona (solução) 70 mg/20 mL – Infusão intravenosa

Estabilidade após aberto

temperatura ambiente (15-30°C): 48 horas.

 

Diluição

Diluente: Glicose 5%. Volume: 200 mL.

Atenção: não utilizar Cloreto de Sódio 0,9%: pode precipitar. Estabilidade após diluição com Glicose 5%

temperatura ambiente (15-30°C): 48 horas.

Tempo de infusão

em casos de arritmias graves: 1 a 3 horas

dose de manutenção: 2 horas (com doses entre 0,005 a 0,007 mg/kg/minuto).

Velocidade de infusão: 0,5 a 1 mg/minuto.

 

Uso injetável – Doses

• doses em termos de cloridrato de Propafenona.

Adultos

aplicação de urgência: 1 a 2 mg por kg de peso corporal, por via intravenosa direta, administrados lentamente (de 3 a 5 minutos). Usar uma 2ª dose somente após 90 a 120 minutos (por infusão intravenosa, durante 1 a 3 horas).

manutenção: 560 mg em 24 horas (70 mg a cada 3 horas); cessado o quadro agudo: usar Propafenona comprimido (300 mg a cada 12 horas).

 

Cuidados especiais

Risco na gravidez

Classe C

 

Amamentação

eliminado no leite; não amamentar.

 

Não usar o produto

asma ou broncoespasmo não alérgico como enfisema ou bronquite crônica (pode agravar); bloqueio atrioventricular; bradicardia sinusal; choque cardiogênico ou hipotensão grave (pode agravar); insuficiência cardíaca congestiva não controlada (pode agravar); síndrome do nódulo sinusal; transtorno do equilíbrio eletrolítico (efeitos pró-arrítmicos da Propafenona podem ser potencializados); transtorno pré-existente na condução cardíaca (atrioventricular, intraventricular e sinoatrial) em paciente que não use marcapasso.

 

Avaliar riscos x Benefícios

diminuição da função do fígado (dose precisa ser reduzida em 20 a 30%, com monitorização do paciente); diminuição da função renal (exige cautela); insuficiência cardíaca congestiva (pode piorar); marcapasso permanente (exige reprogramação); miastenia grave (pode agravar).

 

Reações mais comuns (sem incidência definida)

Gastrintestinal: náusea, vômito.

Sistema nervoso central: tontura.

Outros: síndrome tipo lupus, inchaço angioneurótico.

 

Atenção com outros produtos

A Propafenona

•pode ter sua concentração aumentada por: cisaprida.

•pode aumentar a concentração de: digoxina; varfarina; ritonavir; cisaprida.

•pode aumentar o risco de reações adversas cardíacas com: betabloqueador.

 

Outras considerações importantes

•cuidado ao dirigir ou executar tarefas que exijam atenção.

•pacientes com marcapasso devem ter a função do mesmo controlada e reprogramada, se necessário.

•cuidado com cirurgias, implantação de marcapassos e procedimentos dentários.

•tratamento inicial deve ser feito em hospital.

•durante a administração da Propafenona: monitorar o paciente através de eletrocardiograma.

•não beber suco de toranja (grapefruit).

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal