Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Entacapona

ENTACAPONA (ORAL) (nome genérico) (substância ativa)

 

Referência

COMTAN (Novartis)

 

Genérico

Não

 

Similar

ENTARKIN (Sigma Pharma)

 

Uso oral

Comprimido revestido 200 mg

COMTAN

 

O que é

Antiparkinsoniano [inibidor da catecol-O-metil-transferase (COMT)].

 

Para que serve

Doença de Parkinson (idiopática) (uso em combinação com levodopa/benserazida ou levodopa/carbidopa em pacientes que estão apresentando sintomas de flutuações motoras que não podem ser satisfatoriamente controlados por medicações alternativas). ATENÇÃO: não apresenta atividade antiparkinsoniana sem a levodopa.

 

Como age

A entacapona inibe a enzima catecol-O-metil-transferase, responsável pela eliminação do organismo de boa parte da levodopa administrada. Desta forma, o entacapone permite uma redução na dose diária de levodopa e uma melhora da resposta sintomática no tratamento da doença de Parkinson.

 

Como se usa

USO ORAL – DOSES

     doses em termos de entacapona.

     junto com doses de levodopa/carbidopa ou levodopa/benserazida.

     pode ser administrado com ou sem alimentos.

 

ADULTOS

200 mg de entacapona junto com cada dose de levodopa/carbidopa ou levodopa/benserazida. A dose máxima recomendada é de 200 mg, dez vezes por dia (2 g de entacapona).

ATENÇÃO: o entacapone aumenta os efeitos da levodopa. Para reduzir os efeitos adversos dopaminérgicos relacionados com a levodopa (dificuldades de movimentos, náuseas, vômitos e alucinações) é frequentemente necessário ajustar-se a dose de levodopa durante os primeiros dias ou as primeiras semanas após o início do tratamento com entacapone (reduzir a dose de levodopa em cerca de 10% a 30%, pelo aumento dos intervalos entre as administrações e/ou pela redução da quantidade de levodopa por dose, de acordo com a condição clínica do paciente).

Se o tratamento com entacapona for interrompido, é necessário ajustar-se a dose dos outros tratamentos antiparkinsonianos, especialmente o da levodopa, para se alcançar um nível de controle suficiente dos sintomas.

A entacapona aumenta a biodisponibilidade da levodopa nas preparações padrões de levodopa/benserazida um pouco mais (5-10%) do que nas preparações levodopa/carbidopa. Portanto pacientes que recebem preparações convencionais levodopa/benserazida devem ter uma redução da dose de levodopa quando o tratamento com entacapone for iniciado. Para reduzir as reações adversas dopaminérgicas relatadas com levodopa, é necessário fazer o ajuste de dosagem nos primeiros dias às primeiras semanas após o início do tratamento com entacapona, de acordo com o estado clínico do paciente.

 

IDOSOS: não é necessário o ajuste de doses.

 

PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA HEPÁTICA LEVE A MODERADA (classe A e B da escala Child-Pugh): o metabolismo do fármaco é retardado o que leva a um aumento da concentração plasmática da entacapona em ambas as fases de absorção e eliminação. Pode ser necessário diminuir as doses.

 

PACIENTE COM INSUFICIÊNCIA RENAL: não há necessidade de ajuste da dose. Contudo, para pacientes submetidos a diálise, um intervalo maior entre as doses deve ser considerado.

 

CRIANÇAS: eficácia e segurança não estabelecidas para menores de 18 anos.

 

Cuidados especiais

Risco na gravidez

Classificação não disponibilizada; contraindicado na gravidez.

 

Amamentação

Não se sabe se é eliminado no leite; pelo risco potencial de efeitos adversos na criança, não amamentar.

 

Não usar o produto

Discinesia grave; em conjunto com IMAO (inibidor da monoamina-oxidase); evidência de doença hepática ou aumento das enzimas hepáticas; história prévia de síndrome neuroléptica maligna e/ou rabdomiólise não traumática; feocromocitoma (risco de crise hipertensiva).

 

Reações mais comuns (sem incidência definida)

GASTRINTESTINAL: diarreia; náusea; dor na barriga; constipação intestinal.

GENITURINÁRIO: alteração da cor da urina.

SISTEMA NERVOSO CENTRAL: movimentos involuntários ou descontrolados; tontura; cansaço; diminuição ou lentidão dos movimentos.

 

Atenção ao utilizar outros produtos

O entacapone:

 

     pode sofrer aumento de seus níveis com: ampicilina; cloranfenicol; colestiramina; eritromicina; probenecida.

     pode causar efeitos aditivos com: depressor do sistema nervoso central.

     pode causar aumento na frequência cardíaca, alterações na pressão sanguínea ou arritmias por aumentar os níveis de: medicamento metabolizado pela COMT (dobutamina, dopamina, epinefrina, isoetarina, isoproterenol, norepinefrina). Usar com muito cuidado.

     pode inibir o metabolismo normal de catecolaminas com: IMAO (inibidor da monoamina-oxidase) não seletivo como fenelzina, tranilcipromina. Evitar associar.

 

Outras considerações importantes

     o entacapone é sempre administrado com levodopa. As precauções referentes à levodopa devem ser consideradas no tratamento com entacapone.

     testes de funções hepáticas (ALT e AST) devem ser realizados antes do tratamento com o entacapone e a cada 2 semanas nos primeiros 12 meses após o início do tratamento. O tratamento deverá ser descontinuado caso a ALT ou AST excedam o limite superior da normalidade e testes de funções hepáticas devem ser imediatamente realizados caso ocorram manifestações de toxicidade.

     o paciente pode apresentar aumento das reações adversas relacionadas à levodopa; essas reações podem geralmente ser minimizadas ao reduzir a dose de levodopa.

     caso o produto precise ser descontinuado, deve-se considerar o aumento das doses diárias de levodopa.

 

Entacapona – associações (ver orientações do fabricante)

STALEVO – antiparkinsoniano comprimido (levodopa 50 mg + carbidopa 12,5 mg + entacapona 200 mg). Novartis.

STALEVO – antiparkinsoniano comprimido (levodopa 100 mg + carbidopa 25 mg + entacapona 200 mg). Novartis.

STALEVO – antiparkinsoniano comprimido (levodopa 150 mg + carbidopa 37,5 mg + entacapona 200 mg). Novartis.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal