Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Eritromicina oral

ERITROMICINA (ORAL) (nome genérico) (substância ativa)

 

Referência

ILOSONE (Valeant)

 

Genérico

Não

 

Similar

ERIFLOGIN (Sinterápico); SIFTREX (Sinterápico), ERITREX (Aché)

 

Estolato de eritromicina equivalente a eritromicina

Uso oral

Comprimido 250 mg

ERIFLOGIN

 

Comprimido 500 mg

ERITREX

 

Drágea 500 mg

ILOSONE

 

Suspensão oral 125 mg/5 mL

ILOSONE

 

Suspensão oral 250 mg/5 mL

ILOSONE

 

O que é

antibacteriano [macrolídeo].

 

Para que serve

amigdalite; conjuntivite do recém-nascido (causada por Chlamydia trachomatis); coqueluche; disenteria amebiana; endocardite bacteriana (prevenção); faringite; infecção endocervical (por Chlamydia); infecção orofacial (particularmente em paciente alérgico à penicilina); infecção retal (por Chlamydia trachomatis.); infecção uretral não-complicada por Chlamydia; infecção urogenital durante a gravidez; pneumonia da infância; sífilis primária.

 

Como age

atua nos ribossomos das bactérias inibindo a síntese de proteínas. É bacteriostático (em altas doses pode ser bactericida). Absorção: biodisponibilidade varia de 30 a 65%. Alimentos podem ou não interferir dependendo do sal da eritromicina. Biotransformação: mais de 90% no fígado; metabólitos inativos. Pode acumular na insuficiência hepática grave. Eliminação - principalmente bile/fezes; urina o restante.

 

Como se usa

USO ORAL – DOSES

     doses em termos de eritromicina.

     tomar o produto com 1 copo de água.

     o estolato de eritromicina pode ser tomado com ou sem alimentos; o estearato de eritromicina é melhor absorvido com o estômago vazio(mas se houver irritação gastrintestinal, tomar com alimento).

 

ADULTOS

     infecção orofacial: 250 a 500 mg cada 6 horas, durante 7 dias.

     infecção estreptocócica: 250 mg, 4 vezes por dia.

     profilaxia contínua de infecção estreptocócica (em paciente com história de doença reumática cardíaca): 250 mg a cada 12 horas.

     prevenção da endocardite bacteriana: 1 g, duas horas antes do procedimento e 500 mg seis horas após.

     sífilis primária: 20 g, em doses divididas, durante 10 dias consecutivos.

     disenteria amebiana: 250 mg, 4 vezes por dia, durante 10 a 14 dias.

     infecção urogenital (durante a gravidez): 500 mg, 4 vezes por dia, durante 7 dias ou, para melhorar a tolerabilidade, 250 mg 4 vezes por dia, durante 14 dias.

     infecção uretral (não complicada); endocervical ou retal: 500 mg, 4 vezes por dia, durante 7 dias.

 

CRIANÇAS COM ATÉ 35 kg

     30 a 50 mg por kg de peso corporal por dia, em doses divididas (2 ou 4 tomadas diárias); a dose pode ser dobrada em infecção grave.

     infecção orofacial: 30 a 50 mg por kg de peso por dia, divididos em 4 tomadas (dose máxima não deve ultrapassar 2 g por dia).

     prevenção da endocardite bacteriana: 20 mg por kg de peso corporal, 1 hora antes da cirurgia e 10 mg por kg de peso corporal, 6 horas após a dose inicial.

     disenteria amebiana: 30 a 50 mg por kg de peso corporal por dia, em doses divididas, durante 10 a

     14 dias.

     coqueluche: 40 a 50 mg por kg de peso corporal por dia, em doses divididas, durante 5 a 14 dias.

     pneumonia: 50 mg por kg de peso corporal por dia, divididas em 4 doses, durante 3 semanas.

     conjuntivite do recém nascido: 50 mg por kg de peso corporal por dia, divididos em 4 doses, durante 2 semanas.

 

Cuidados especiais

Risco na gravidez

Classe B.

 

Amamentação

Eliminado no leite; problemas não documentados.

 

Não usar o produto

Histórico de reação alérgica a macrolídeo; paciente utilizando astemizol, terfenadina, pimozida ou cisaprida.

 

Avaliar riscos x benefícios

Função hepática diminuída; paciente sob risco de prolongamento do intervalo QT ou de sofrer acumulação do medicamento (podem ocorrer prolongamento do intervalo QT e desenvolvimento de arritmia ventricular); paciente com diminuição da função hepática ou renal e/ou recebendo altas doses de eritromicina (pode ocorrer ototoxicidade); histórico de doença gastrintestinal, particularmente colite (pode ocorrer colite pseudomembranosa).

 

Reações mais comuns (ocorrem em pelo menos 10% dos pacientes)

GASTRINTESTINAL: cólica abdominal; diarreia; dor abdominal; náusea; vômito.

 

Atenção ao utilizar outros produtos

A eritromicina:

 

     está contraindicada, pelo perigo de toxicidade cardíaca, com: alfentanila; astemizol; terfenadina; diltiazem; verapamil.

     pode aumentar a ação e os efeitos tóxicos de: carbamazepina; ciclosporina; xantina (cafeína, aminofilina, oxtrifilina, teofilina).

     pode aumentar a ação de: varfarina; midazolam; triazolam.

     pode antagonizar a ação de: cloranfenicol; lincomicina.

     pode aumentar o risco de toxicidade no fígado com: medicamento hepatotóxico (ver Apêndice).

     pode interferir com a ação de: penicilina.

     pode aumentar a concentração de: digoxina.

     pode aumentar o risco de reações tóxicas de: diidroergotamina; ergotamina.

     pode ter efeitos aditivos com: medicamento que prolonga o intervalo QT (amiodarona, antipsicótico, disopiramida, fluorquinolona, procainamida, quinidina, sotalol, antidepressivo tricíclico).

     pode diminuir os efeitos terapêuticos e aumentar os efeitos tóxicos de: rifamicina (rifabutina, rifampicina, rifapentina).

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal