FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Metadona

Metadona

(Oral; Injetável) (substância ativa)

Referência: Mytedom (Cristália)

Genérico: não

 

cloridrato de metadona

Uso oral

Cápsula 5 mg: Mytedom

Cápsula 10 mg: Mytedom

 

Uso injetável

Injetável (solução) 10 mg/1 mL: Mytedom

 

Armazenagem antes de aberto

Temperatura ambiente (15-30°C).

Proteção à luz: sim, necessária.

 

O que é

analgésico opioide [agonista opioide].

 

Para que serve

dor grave; síndrome de abstinência a opioide (prevenção e tratamento).

 

Como age

liga-se a receptores opioides no sistema nervoso central inibindo a transmissão do impulso doloroso. Impede ou atenua sintomas de abstinência quando administrado em substituição a outros opioides nos tratamentos de desintoxicação.

 

Como se usa

Uso oral – Doses

• doses em termos de cloridrato de Metadona.

Adultos

analgésico: 2,5 a 10 mg, inicialmente cada 3 ou 4 horas, enquanto necessário. Para tratamentos crônicos, ajustar a dose de acordo com a resposta clínica.

síndrome de abstinência a narcótico: tratamento de desintoxicação: 15 a 40 mg, em dose única diária, enquanto necessário; reduzir as doses a cada 1 ou 2 dias de acordo com a resposta clínica. Manutenção: individualizar dose.

Crianças

analgésico: ajustar dose em função do peso e idade da criança. síndrome de abstinência a narcótico: individualizar dose de acordo com a necessidade, não excedendo 120 mg por dia.

 

Uso injetável – Preparação

Metadona (solução) 10 mg/1 mL – Via subcutânea local: abdômen, braço ou coxa.

 

Metadona (solução) 10 mg/1 mL – Via Intramuscular

Administração: em adultos, nas nádegas (quadrante superior externo); em crianças, na face lateral da coxa.

 

Uso injetável – Doses

• doses em termos de cloridrato de Metadona.

Adultos

analgésico: 2,5 a 10 mg, cada 3 ou 4 horas, enquanto necessário. síndrome de abstinência a narcótico (apenas se não for possível a via oral): tratamento de desintoxicação: 15 a 40 mg, em dose única diária, enquanto necessário; reduzir as doses a cada 1 ou 2 dias de acordo com a resposta clínica.

Crianças

analgésico: ajustar dose em função do peso e idade da criança.

 

Cuidados especiais

Risco na gravidez

Classe C

 

Amamentação

eliminado no leite; não amamentar.

 

Não usar o produto

alergia a opioide.

 

Avaliar riscos x Benefícios

arritmia cardíaca; comprometimento da capacidade de manter a pressão sanguínea, por diminuição do volume de sangue ou uso de determinados medicamentos (pode ocorrer hipotensão grave); diminuição da função renal (reduzir a dose); diminuição da função hepática (reduzir a dose); idoso e paciente debilitado (pode ser necessário diminuir a dose ou aumentar o intervalo entre elas); predisposição a hipoventilação (pode ocorrer insuficiência respiratória); paciente com inclinação ao vício; paciente submetido a cirurgia no trato gastrintestinal, hipotireoidismo, doença de Addison, psicose tóxica (reduzir a dose inicial); tolerância a outro opioide (necessário ajuste de dose).

extrema cautela: alcoolismo agudo; anoxia; asma brônquica; choque; cor pulmonale; delirium tremens; depressão grave do sistema nervoso central; depressão respiratória; desordem convulsiva; doença pulmonar obstrutiva crônica; hipercapnia; lesão na cabeça; tumor cerebral; pressão intracraniana aumentada; trabalho de parto.

 

Reações mais comuns (ocorrem em pelo menos 10% dos pacientes)

Gastrintestinal: náusea; vômito.

Sistema nervoso central: sentidos confusos; tontura; sensação de queda iminente; sedação; sonolência.

 

Atenção com outros produtos

A Metadona

•pode aumentar o risco de hábito e de depressão do sistema nervoso central com: álcool; outro depressor do sistema nervoso central.

•pode ter sua ação diminuída por: buprenorfina (se este for administrado antes).

•pode apresentar graves reações com: IMAO (inibidor da monoamina-oxidase, incluindo furazolidona, pargilina, procarbazina e selegilina).

•pode ter sua ação antagonizada por: naloxona; naltrexona.

•pode aumentar o risco de constipação grave (pode levar a íleo paralítico e/ou retenção urinária) com: anticolinérgico ou outro medicamento com efeito anticolinérgico.

•pode apresentar sintomas de abstinência em pacientes tratados por dependência a opioides com: rifampicina; fenitoína (em uso prolongado).

•pode causar depressão respiratória aditiva com: buprenorfina.

•pode causar a precipitação de sintomas de abstinência com: buprenorfina; naltrexona; inibidor da transcriptase reversa não nucleosídica (delavirdina, efavirenz, nevirapina); inibidor da protease (lopinavir, ritonavir, nelfinavir); rifamicina.

•pode causar depressão respiratória aumentada e prolongada e/ou colapso circulatório com: naltrexona.

•pode causar aumento da depressão respiratória e do sistema nervoso central com: cimetidina; fluvoxamina; inibidor da protease.

 

Outras considerações importantes

•não ingerir bebida alcoólica.

•cuidado ao dirigir ou executar tarefas que exijam atenção.

•este produto não é recomendado para analgesia obstétrica (pela ação longa, aumenta o risco de depressão respiratória na criança).

•a escolha e os ajustes de dose devem ser feitos com cautela, pois a meia-vida de eliminação e o pico do efeito depressor respiratório são mais longos que o efeito analgésico (pode ocorrer superdosagem).

REMÉDIOS COM METADONA EM SUA COMPOSIÇÃO

Mytedom

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal