FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Resolvendo o PS cheio Mais leitos ou admissões mais rápidas?

Autor:

Lucas Santos Zambon

Doutorado em Ciências Médicas pela Faculdade de Medicina da USP.
Supervisor do Pronto-Socorro do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.
Diretor do Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente.

Última revisão: 25/05/2009

Comentários de assinantes: 0

Resolvendo o P.S. cheio: Mais leitos ou admissões mais rápidas?

 

Aumentar o número de leitos no Departamento de Emergência ou reduzir o tempo para o paciente ser admitido: o que tem mais influência na lotação do departamento de emergência?

Khare RK, et al. Adding More Beds to the Emergency Department or Reducing Admitted Patient Boarding Times: Which Has a More Significant Influence on Emergency Department Congestion? Ann Emerg Med. 2009;53:575-585. [Link para o Artigo].

 

Fator de Impacto da Revista (Annals of Emergency Medicine): 3,500

 

Contexto Clínico

A superlotação de pronto-socorros tem uma série de impactos: maior número de pacientes que vão embora sem ser vistos, menor aderência às recomendações de tratamento dadas para doenças importantes como infarto agudo do miocárdio ou pneumonia, e aumento de mortalidade em 10 dias. Sendo assim fica a pergunta: o que é melhor, aumentar a capacidade do P.S. aumentando seu número de leitos ou retirar os pacientes do P.S. com maior agilidade para setores de internação?

 

O Estudo

            Um modelo de simulação em computador foi desenvolvido para comparar a eficiência dessas duas hipóteses levantadas. O Hospital em questão é um hospital-escola de nível terciário, com mais de 75.000 consultas de P.S. ao ano e que realiza a triagem de seus pacientes com o ESI (Emergency Severity Index), e que conta com 7 leitos de urgência.

            Foram feitas simulações com aumento de leitos e com agilização das internações. Isso pode gerar limitações, visto que são situações hipotéticas e simuladas, entretanto os resutlados que apresentaremos a seguir são extremamente interessantes e fazem grande sentido.

           

Resultados e Comentários

            Na simulação de aumento de leitos, a média de permanência variou de 240 min. para 247 min. (IC95% 0,8 a 12,6 min.), ou seja, não mudou de fato. Já com o aumento da taxa de admissão (ou seja, fazendo admissões de forma mais ágil para os setores de internação), houve diminuição de 240min. para 218min. (IC95,8 a 26,2min.).

            Não entraremos em grandes detalhes quanto às demais análises de resultados, deixando aos leitores mais curiosos essa possibilidade de leitura. O que este editor gostaria de comentar, é algo que é muito falado dentro do meio de Qualidade e Segurança do Paciente: é necessário estudar nossos processos e achar formas de melhoria que não sejam baseadas em “achismos”. Uma resposta óbvia à superlotação de qualquer P.S. é o aumento do número de leitos, mas como pudemos observar nessa simulação, o impacto (apesar de ser de apenas de 20 min), veio com a maior agilização do processo de internação, mostrando que o processo de Gerenciamento de Leitos é fundamental para uma melhoria nos departamentos de emergência.

            Isso gera uma série de implicações: menor chance de um paciente ir embora sem ser visto, maior tempo para os médicos passarem orientações aos pacientes de forma a garantir sua aderência aos tratamentos propostos e menor chance de óbitos e complicações iatrogências geradas por excesso de carga de trabalho. Sendo assim, ganhar 20 minutos que sejam, é de fundamental importância dentro do contexto muitas vezes caóticos dos pronto-socorros, e de fato, é uma ação que deve aumentar a qualidade do atendimento e dar maior segurança ao paciente.

           

Bibliografia

1.     Yoon P, Steiner I, Reinhardt G. Analysis of factors influencing length of stay in the emergency department. CJEM. 2003;5:155- 161.

2.     Bond K, Ospina M, Blitz S, et al. Frequency, determinants and impact of overcrowding in emergency departments in Canada: a national survey. Healthc Q. 2007;10:32-40.

3.     Polevoi S, Quinn J, Kramer N. Factors associated with patients who leave without being seen. Acad Emerg Med. 2005;12:232- 236

 

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal