FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Campanha “Cirurgia Segura Salva Vidas” da OMS – Perguntas e Respostas sobre a Implementação

Autor:

Lucas Santos Zambon

Doutorado pela Disciplina de Emergências Clínicas Faculdade de Medicina da USP; Médico e Especialista em Clínica Médica pelo HC-FMUSP; Diretor Científico do Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente (IBSP); Membro da Academia Brasileira de Medicina Hospitalar (ABMH); Assessor da Diretoria Médica do Hospital Samaritano de São Paulo.

Última revisão: 15/06/2009

Comentários de assinantes: 0

1.             Meu hospital é muito grande e tem muitas salas cirúrgicas. Como executar o checklist neste ambiente?

 

            A chave para uma implementação bem sucedida é começar pequeno. Comece com uma única sala cirúrgica em um dia e veja como ela funciona. Isto irá guiá-lo às estratégias para alterar o checklist para atender às suas necessidades, bem como identificar potenciais obstáculos à adaptação.

 

2.             Nós já fazemos estas coisas. Por que utilizar um checklist?


            Pode ser que a maioria ou todos os pontos da lista já venham sendo feitos em seu hospital, mas temos observado que, na maioria dos hospitais, existem oportunidades de melhoria. O checklist ajuda a assegurar que sejam seguidos todos os passos importantes na segurança e em todas as cirurgias.

 

3.             Nossas equipes cirúrgicas não querem usar a Checklist da OMS para Segurança Cirúrgica, a menos que possamos mudar alguns dos elementos. Está tudo bem fazer alterações no checklist?


            Sim, a lista não se destina a ser abrangente, e nós encorajamos modificações para uso local. Entendemos que a Checklist, embora destinado a ser universalmente aplicável, nem sempre é um ajuste perfeito para todas as instituições. Modificações podem ser feitas para incluir itens que sejam considerados essenciais. No entanto, por favor, evite fazer o checklist demasiado abrangente. Quanto mais itens adicionados a ele, mais difícil será executá-lo com êxito. Consulte no Guia Inicial para Implementação do Checklist de Segurança em Cirurgias, as orientações para fazer as modificações no âmbito dos “Materiais", e o guia da página
www.safesurg.org sobre recomendações sobre adaptação do Checklist.

 

4.             Minha equipe permanece muitas vezes junta o dia todo. É preciso nos apresentar antes de cada cirurgia?

 

            O momento mais crítico de apresentações é no início de uma cirurgia. Depois
não é necessário repetir apresentações, se já tiverem sido feitas. No entanto, se surgirem novas membros na sala cirúrgica, estes devem apresentar-se como um novo membro da equipe presente. Mesmo que todos conhecem uns aos outros, apresentações são importantes, pois isso serve para reforçar a comunicação dentro da equipe (e pode ajudar a evitar o embaraço com quem tem sido um colega de trabalho por um período prolongado!).

 

5.             Quem deve ser encarregado de executar a lista?


            Embora cada membro da equipe operacional - cirurgiões, anestesistas, enfermeiros,
técnicos, circulantes e outras pessoas - esteja envolvido na sua função, uma única pessoa deve ser responsável por liderar a checagem de todos os componentes da lista, e isso é essencial para o seu sucesso. Esta pessoa pode ser, por exemplo, uma circulante, mas pode ser qualquer médico ou profissional da saúde que esteja participando da cirurgia. Este indivíduo pode e deve impedir que a equipe avance para a próxima fase da cirurgia até que cada passo seja satisfatoriamente abordado.

 

6.             Será que devemos memorizar a lista?


            Não. Checklists são criadas para evitar as armadilhas de memorização e omissões que
podem ocorrer em processos cuja padronização não é claramente definida e escrita. O objetivo do checklist é ajudar a garantir que as equipes sigam, de forma consistente, algumas etapas críticas de segurança, minimizando os riscos evitáveis mais comuns que podem colocar em risco a vida e o bem-estar dos pacientes cirúrgicos.

 

7.              Será que precisamos realmente fazer a checagem dos itens do checklist?


            Não. A lista não foi concebida como uma ferramenta de auditoria, no entanto, uma instituição pode utilizá-la como tal, se isto for melhorar a segurança dos cuidados cirúrgicos. Além de poder ser um simples papel, a lista pode ser convertida em um cartaz, incorporada em registros eletrônicos, ou feita em material reutilizável.

 

8.             Qual a vantagem para mim?

 

            Com a implementação da lista, você pode ajudar a salvar a vida dos pacientes e diminuir complicações, estar na vanguarda do movimento de segurança em cirurgia, e ser um líder em seu hospital.

 

9.             O nosso orçamento é muito apertado. Como podemos aplicar o checklist?


            Usar o checklist exige mínimos recursos e muito empenho. A reprodução e
distribuição da lista são os principais custos financeiros. Há alguma necessidade de compromisso das pessoas no início, mas não demora para que as pessoas incorporem o checklist à sua prática.

 

10.          Quanto custa para aplicar o checklist?


            O checklist é gratuito para download no site da OMS, mas vai exigir recursos humanos para sua implementação a nível hospitalar. Por favor, leia o Guia Inicial, disponível no site da OMS, para obter entendimento de qual nível de empenho este empreendimento vai exigir. Muitos dos elementos do checklist, tais como a verificação da identificação do paciente, não necessitam de dinheiro para sua implementação e poderiam diminuir custos em milhares de dólares ao hospital, ao prevenir acidentes. Para outros itens na lista, como o uso de antibióticos de 0 a 60 minutos antes da incisão, você deve se certificar que os recursos que o seu hospital vem utilizando estão em seu pleno potencial.

 

11.          Já estamos muito ocupados na sala cirúrgica. Este checklist não é apenas mais uma tarefa que vai tomar um tempo valioso?


            Uma vez que a lista tenha se tornado familiar ao funcionamento das equipes, ela passa a exigir muito pouco tempo extra para ser executada. A maior parte das etapas já é incorporada no trabalho existente, e as remanescentes irão acrescentar apenas um ou dois minutos a mais no tempo. No entanto, o checklist pode também poupar tempo ao assegurar uma melhor coordenação dentro das equipes, minimizando tarefas como aquisição de equipamento adicional no meio de uma cirurgia.

 

12.          Embora haja entusiasmo entre alguns médicos com o checklist, há outros que não vêem o valor desta iniciativa. Ainda sim devemos utilizar o checklist?


            Sim. A execução deverá começar sempre com o mais entusiasta. Vá após os mais "fáceis", para aqueles que estão interessados em melhorar. A lista pode ser
implementada por um único cirurgião nos casos em que ele ou ela seja bem participativo, em uma sala cirúrgica selecionada dentro do hospital, em todo o hospital ou até mesmo usando um sistema com base em escalas. Focar sempre as energias em indivíduos que são receptivos à idéia, pois após se acostumar com a lista e os seus benefícios, serão os primeiros que irão ajudar a espalhá-la para os seus pares.

 

13.          Estamos interessados em melhorar o desempenho do nosso hospital, mas há algumas medidas que não constam no checklist. O que podemos fazer com isso?


            O checklist, embora destinado a ser universalmente aplicável, nem sempre é um ajuste perfeito para todas as instituições. Modificações podem ser feitas para incluir itens que são considerados essenciais. No entanto, gostaríamos de precaução contra a tomada de controle demasiado abrangente. Quanto mais itens adicionados a ele, mais difícil será para executar com êxito.

 

14.          Como posso convencer administradores / clínicos que vale a pena fazer isso?


            Como parte do nosso "Guia Inicial", está incluída uma seção chamada "Questões para Hospitais Antes da Execução do Checklist”. Há uma base de dados que foi concebida para que ao coletar esses dados, você consiga demonstrar à administração quaisquer deficiências no período anterior ao processo e ver até onde chegaram essas medidas no que diz respeito ao resultado e medidas do novo processo. É altamente recomendável não simplesmente utilizar a lista, mas medir as mudanças que a utilização levou na forma como as cirurgias são praticadas.

 

15.          Eu tenho outras perguntas não abrangidas por estas aqui descritas. Com quem devo falar?


            A OMS está criando de uma rede de mentores que tenham implementado com sucesso o checklist. Você pode entrar em contato com o programa da OMS pela web site
safesurgery@hsph.harvard.edu para mais informações. O site MedicinaNet, através de seus editores, também pode auxiliar naquilo que for possível para esclarecer possíveis dúvidas.

 

OBS.: Seguimos no MedicinaNet as recomendações da própria OMS quanto à divulgação de qualquer material oriundo de sua web site (http://www.who.int/about/copyright/en/), que permite a veiculação livre de seus materiais para fins educacionais.

 

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal