FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Filtrar

Veja também o resultado via

Exibir resultados de:

Filtrar por:

Resultados de Busca

Sua busca por "Manual de Implementacao do Checklist Parte ii Antes de Iniciar a Cirurgia" obteve 13 resultados.

Página:  de 2

17/07/2009

Gerenciamento de Risco e Segurança do Paciente

Manual de Implementação do Checklist: Parte II - Antes de Iniciar a Cirurgia

...es de imagem podem ser críticos para garantir a realização de inúmeras cirurgias, incluindo as ortopédicas, as de coluna, as torácicas e muitos procedimentos e ressecções tumorais; · Deve-se perguntar ao cirurgião se ele precisa de algum exame de imagem, caso não seja necessário, deixar este item checado como “não se aplica”. Caso contrário, deve-se tentar providenciar o exame de imagem s......

Ver Índice

17/07/2009

Gerenciamento de Risco e Segurança do Paciente

Manual de Implementação do Checklist: Parte II - Antes de Iniciar a Cirurgia

...ode dizer se haverá alguma perda sanguínea volumosa, em que momento precisará de equipamentos especiais ou sobre fases da cirurgia que serão críticas; · Revisão do anestesista: o anestesista pode dizer o que está planejado para possíveis perdas sanguíneas, ou que o paciente tem alguma patologia de base que não pode ser esquecida, ou qualquer outro item que pareça ser relevante relatar a t......

Ver Índice

04/07/2009

Gerenciamento de Risco e Segurança do Paciente

Manual de Implementação do Checklist da Campanha “Cirurgia Segura Salva Vidas” da OMS

...list pode garantir que os passos de segurança não sejam omitidos na corrida para avançar para a próxima fase da cirurgia. Até os membros da equipe estarem familiarizados com os passos envolvidos, o coordenador do Checklist provavelmente vai ter de orientar a equipe através deste processo de verificação. Uma possível desvantagem de ter uma única pessoa conduzir o Checklist é que uma relação antagô......

Ver Índice

04/07/2009

Gerenciamento de Risco e Segurança do Paciente

Manual de Implementação do Checklist da Campanha “Cirurgia Segura Salva Vidas” da OMS

...algumas medidas de segurança críticas. Espera-se que dessa forma os riscos mais comuns e evitáveis sejam minimizados, evitando expor a vida e o bem-estar dos pacientes cirúrgicos. Para executar a verificação durante a cirurgia, uma única pessoa deve ficar responsável para verificar os itens da lista. Este “coordenador” designado para a checagem normalmente é uma enfermeira, mas pode ......

Ver Índice

10/07/2009

Gerenciamento de Risco e Segurança do Paciente

Manual de Implementação do Checklist: Parte I - Antes da Indução Anestésica

... será feita a cirurgia e se há consentimento informado) · As perguntas são feitas diretamente ao paciente; · Essa etapa pode parecer repetitiva, mas é uma forma de garantir que não se opere o paciente errado, que não se faça o procedimento errado para aquele paciente ou que se opere, por exemplo, um membro errado. · Caso o paciente esteja inconsciente, seja mentalmen......

Ver Índice

10/07/2009

Gerenciamento de Risco e Segurança do Paciente

Manual de Implementação do Checklist: Parte I - Antes da Indução Anestésica

...ministrar determinada medicação ao paciente caso ela seja de risco; · Pergunta-se dessa forma: Há alergia? Se sim, alergia a quê? · Caso o coordenador saiba de alguma alergia que o anestesista desconheça, deve informá-lo. 6. Risco de Via Aérea Difícil ou Broncoaspiração · A pergunta é feita ao anestesista; · Isso ajuda a garantir que o anestes......

Ver Índice

26/09/2013

Hospitalar

Capítulo 2 – Desenho e avaliação de programas

...omitê de controle de infecções devem desenvolver planos de ação envolvendo esses temas (ver Apêndice A – para assuntos relacionados à avaliação de riscos e listas de priorização). Os fatores que fazem parte das atividades de avaliação de risco devem incluir pelo menos o seguinte: 1. Localização Geográfica e Ambiente Comunitário · O Baptist Health System é um sistema formado por cinco......

Ver Índice

02/07/2015

Revisões Internacionais

Tratamento de Sintoma em Medicina Paliativa

...s. Hosp Pract 2011; 39:96–106. 107.Hipp DM, Ely EW. Pharmacological and non-pharmacological management of delirium in critically ill patients. Neurotherapeutics 2012; 9:158–75. 108.Fainsinger RL, Waller A, Bercovici M, et al. A multicentre international study of sedation for uncontrolled symptoms in terminally ill patients. Palliat Med 2000; 14:257–65. 109.Mercadante S, Intravaia G, Villari P, ......

Ver Índice

14/05/2013

Hospitalar

Avaliação de competências e concessão de privilégios clínicos

...Reavaliação, renomeação e renovação de privilégios clínicos”, descreve e analisa esse processo). A Joint Commission exige que as decisões sobre concessão, revogação, revisão ou renovação de privilégios clínicos sejam fundamentadas em critérios diretamente relacionados à qualidade de cuidado, tratamento e serviços de saúde. Se esses aspectos ou a competência profissional não são considerados, a Jo......

Ver Índice

14/05/2013

Hospitalar

Avaliação de competências e concessão de privilégios clínicos

... feitas pelas organizações e por suas equipes assistenciais em toda a gama de privilégios autorizados e praticados dentro das instituições asseguram que estes reflitam o que de fato se pratica dentro dos hospitais e permaneçam adequados às necessidades da comunidade. Se esse processo for incorporado no planejamento estratégico dos hospitais, as exigências da Joint Commission, explicitadas no capít......

Ver Índice

Página:  de 2

Índice

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal