FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Filtrar

Veja também o resultado via

Exibir resultados de:

Filtrar por:

Resultados de Busca

Sua busca por "Profilaxia de Trombose Venosa Profunda e Embolia Pulmonar – Abordagem Custo Efetiva" obteve 12 resultados.

Página:  de 2

12/04/2009

Gerenciamento de Risco e Segurança do Paciente

Profilaxia de Trombose Venosa Profunda e Embolia Pulmonar – Abordagem Custo-efetiva

...a a utilização de tromboprofilaxia mecânica com meias de compressão gradual (mais baratas) ou compressão pneumática intermitente. Quando o risco de sangramento diminuir, é recomendado que a profilaxia medicamentosa seja associada ou que substitua a profilaxia mecânica. Cirurgias Ortopédicas Artroplastia de Quadril ou Joelho Utilizar heparina de baixo peso molecular na dose indicada para paci......

Ver Índice

12/04/2009

Gerenciamento de Risco e Segurança do Paciente

Profilaxia de Trombose Venosa Profunda e Embolia Pulmonar – Abordagem Custo-efetiva

...madamente 10% dos óbitos dos pacientes internados. Além disso, associadamente às consequências da trombose venosa profunda, é motivo de grande morbidade, em decorrência de síndrome pós-trombótica e hipertensão pulmonar secundária. Sem profilaxia adequada, 40 a 60% dos pacientes clínicos e cirúrgicos de alto risco desenvolvem trombose venosa profunda (TVP) e uma parcela destes pacientes desenvolv......

Ver Índice

12/04/2009

Gerenciamento de Risco e Segurança do Paciente

Profilaxia de Trombose Venosa Profunda e Embolia Pulmonar – Abordagem Custo-efetiva

...ramento relacionada à segunda medicação. PACIENTES CLÍNICOS Apesar de o tromboembolismo venoso ser considerado principalmente em pacientes com cirurgia e trauma recente, 50 a 70% das embolias pulmonares ocorrem em pacientes clínicos, e este risco pode ser reduzido em 70% com profilaxia adequada. Recomendações · Indicar profilaxia nos pacientes clínicos admitidos no hospital com insufic......

Ver Índice

12/04/2009

Gerenciamento de Risco e Segurança do Paciente

Profilaxia de Trombose Venosa Profunda e Embolia Pulmonar – Abordagem Custo-efetiva

...enosa profunda, é motivo de grande morbidade, em decorrência de síndrome pós-trombótica e hipertensão pulmonar secundária. Sem profilaxia adequada, 40 a 60% dos pacientes clínicos e cirúrgicos de alto risco desenvolvem trombose venosa profunda (TVP) e uma parcela destes pacientes desenvolverá tromboses mais proximais, com maior risco de embolia pulmonar. Logo, é necessário que todo paciente inte......

Ver Índice

04/07/2009

Casos Clínicos

Meningite

... exames devem preceder a punção liquórica nas seguintes situações: · quando houver sinais de localização, incluindo convulsões ao exame neurológico; · antecedente de lesão em SNC; · alteração do nível de consciência; · quando houver papiledema, embora este seja manifestação tardia da hipertensão intracraniana. Assim, no paciente em questão, devido ao quadro confu......

Ver Índice

10/01/2010

Gerenciamento de Risco e Segurança do Paciente

Consenso Sobre de Práticas para a Segurança do Paciente – National Quality Forum (EUA)

...onciliar a lista de medicamentos dos pacientes ao longo de todo o processo de assistência (veja: Prevenção de Eventos Adversos Causados Por Medicamentos - Campanha “5 Milhões de Vidas”). 17. Sistemas e Estruturas com Farmacêuticos Os farmacêuticos devem ter um papel ativo de liderança no que tange a autoridade e responsabilidade sobre os sistemas relacionados aos medicamentos dentro da in......

Ver Índice

06/12/2013

Revisões Internacionais

Tromboembolia venosa

...3:2011–20. 14. Laporte S, Mismetti P, Decousus H, et al. Clinical predictors for fatal pulmonary embolism in 15,520 patients with venous thromboembolism: fi ndings from the Registro Informatizado de la Enfermedad TromboEmbolica venosa (RIETE) Registry. Circulation 2008;117:1711–6. 15. Cushman M, Tsai AW, White RH, et al. Deep vein thrombosis and pulmonary embolism in two cohorts: the longi......

Ver Índice

28/02/2014

Revisões Internacionais

Distúrbios trombóticos – Lawrence L.K. Leung

...ipídios incluem também o anticoagulante lúpico, que é um inibidor identificado pela 1ª vez em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico. Como está presente em muitos pacientes sem lúpus, este inibidor por vezes é denominado anticoagulante do tipo lúpico. Epidemiologia A SAF é secundária ao lúpus eritematoso sistêmico e, menos comumente, à artrite reumatoide, à arterite temporal e a outros d......

Ver Índice

24/02/2017

Revisões Internacionais

Cuidados Neurointensivos

...es de identificar IR iminente é fazer medições seriais na beira do leito da capacidade vital (CV) e da força inspiratória negativa (FIN), com auxílio de um espirômetro manual. Essas medições, mesmo nos casos de intubação, exigem a colaboração do paciente e, por conseguinte, estão sujeitas a erro. A capacidade vital inferior a 15mg/kg, FIN inferior a 25cm de H2O, ou uma tendência descendente em amb......

Ver Índice

19/12/2013

Revisões Internacionais

Cirrose hepática - Ramón Bataller, Pere Ginès

...ntos hemostáticos incluem fármacos vasoconstritores, ligadura endoscópica e derivações portossistêmicas cirúrgicas ou TIPS. Os fármacos vasoativos efetivos para o controle do sangramento de varizes incluem a octreotida (bolo de 100 mcg seguido de 50 mcg/h durante 5 dias); terlipressina (2 mg 4/4 h durante as primeiras 48 horas, seguidas de 1 mg 4/4 horas por até 5 dias); e somatostatina (bolo de 2......

Ver Índice

Página:  de 2

Índice

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal