FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Filtrar

Veja também o resultado via

Exibir resultados de:

Filtrar por:

Resultados de Busca

Sua busca por "Vacinacao de Profissionais de Saude" obteve 100 resultados.

Página:  de 10

12/08/2009

Guias Livres do Ministério da Saúde

Tétano Neonatal

...erina. A imunidade ativa obtida através da vacina dura em torno de 10 anos. No entanto, recomenda-se um reforço em caso de nova gravidez, se esta ocorrer há mais de 5 anos da última dose; a imunidade passiva através do soro antitetânico (SAT) e da imunoglobulina humana antitetânica (IGHAT) dura em média uma semana e 14 dias, respectivamente. ASPECTOS CLÍNICOS Manifestações Clínicas Recém-nas......

Ver Índice

12/08/2009

Guias Livres do Ministério da Saúde

Sarampo

... Figura 2. Coeficiente de mortalidade e letalidade por sarampo. Brasil, 1977-2000. Fonte: CGDT/Devep/SVS/MS VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Objetivos Consolidar a erradicação do sarampo através de uma vigilância epidemiológica sensível, ativa e oportuna, permitindo a identificação e notificação imediata de todo e qualquer caso suspeito na população, para a adoção das medidas de prevenção e co......

Ver Índice

30/01/2011

Guias Livres do Ministério da Saúde

Hepatite B

...aria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância Epidemiológica 8ª edição revista BRASÍLIA / DF – 2010 Hepatite B CID 10: B16 ASPECTOS CLÍNICOS E EPIDEMIOLÓGICOS Descrição Doença viral que cursa de forma assintomática ou sintomática (ate formas fulminantes). As formas sintomáticas são caracterizadas por mal-estar, cefaleia, febre baixa, anorexia, astenia, fadiga, artralgia, ......

Ver Índice

30/01/2011

Guias Livres do Ministério da Saúde

Hepatite B

... os sintomas vão desaparecendo paulatinamente. Algumas pessoas desenvolvem a forma crônica mantendo um processo inflamatório hepático por mais de 6 meses. O risco de cronificação pelo vírus B depende da idade na qual ocorre a infeccao. Assim, em menores de um ano chega a 90%, entre 1 e 5 anos esse risco varia entre 20 e 50% e em adultos, entre 5 e 10%. Portadores de imunodeficiência congênita ou a......

Ver Índice

12/08/2009

Guias Livres do Ministério da Saúde

Varíola

...NTO Não há tratamento específico para a varíola. A terapia é de suporte, mantendo-se o balanço hidroeletrolítico e cuidados de enfermagem. A antibioticoterapia é indicada para o tratamento de infecções bacterianas secundárias, que são freqüentes. ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS A varíola foi uma doença de grande impacto na saúde pública mundial. Em 1967, 33 países ainda eram considerados endêmicos,......

Ver Índice

12/08/2009

Guias Livres do Ministério da Saúde

Síndrome da Rubéola Congênita

...scer; 2ª no terceiro mês de vida; 3ª no sexto mês de vida Tubo plástico ou vidro, com tampa de rosca ou frasco com vácuo Geladeira local: 4ºC a 8ºC até 48 horas Lacen: -20ºC Gelo reciclável em até 48 horas após a coleta Isolamento viral Secreções nasofaringeas através de swab Uma amostra de cada narina e uma da garganta 1 Após o resultado de IgM positivo na 1ª amost......

Ver Índice

06/08/2009

Guias Livres do Ministério da Saúde

Hepatites Virais

... confirmada pela pesquisa de HCV-RNA. HCV-RNA (RNA do HCV) – é o primeiro marcador a aparecer entre uma a duas semanas após a infecção. É utilizado para confirmar a infecção em casos crônicos, monitorar a resposta ao tratamento e confirmar resultados sorológicos indeterminados, em especial em pacientes imunossuprimidos. Hepatite D O marcador sorológico mais usado é o anti-HDV (total). O vír......

Ver Índice

02/07/2009

Guias Livres do Ministério da Saúde

Cólera

...colapso circulatório, com choque hipovolêmico e insuficiência renal. Entretanto, freqüentemente a infecção é assintomática ou oligossintomática, com diarréia leve. A acloridria gástrica agrava o quadro clínico da doença. A infecção produz aumento de anticorpos e confere imunidade por tempo limitado (em torno de seis meses). Agente Etiológico O Vibrio cholerae O1, biotipo clássico, ou El Tor (......

Ver Índice

26/09/2013

Hospitalar

Capítulo 4 – Intervenções no controle de infecções: o caminho da prevenção

...álise de valor para permitir a divulgação do lançamento de novos produtos e equipamentos. Em seguida, esses temas são discutidos com os departamentos envolvidos. A responsabilidade pela supervisão do controle de infecções inclui todos os aspectos da utilização de dispositivos e equipamentos médicos, tais como seleção, armazenagem, transpor-te, uso, limpeza, desinfecção, esterilização, reutilização......

Ver Índice

25/10/2009

Biblioteca Livre

2 Abordagem Integral ao Portador de DST

...ido de: Manual de Controle de Doenças Sexualmente Transmissíveis – DST 4ª edição [Link Livre para o Documento Original] Série Manuais n. 68 MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Vigilância em Saúde Programa Nacional de DST e Aids Brasília / DF – 2006 O atendimento imediato de uma DST não é apenas uma ação curativa; é também uma ação preventiva da transmissão e do surgimento de outras compl......

Ver Índice

Página:  de 10

Índice

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal