FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Riscos de Macrolídeos na Gestação

Autor:

Lucas Santos Zambon

Doutorado pela Disciplina de Emergências Clínicas Faculdade de Medicina da USP; Médico e Especialista em Clínica Médica pelo HC-FMUSP; Diretor Científico do Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente (IBSP); Membro da Academia Brasileira de Medicina Hospitalar (ABMH); Assessor da Diretoria Médica do Hospital Samaritano de São Paulo.

Última revisão: 07/06/2021

Comentários de assinantes: 0

Contexto Clínico

 

Os antibióticos macrolídeos são usados??para o tratamento de infecções bacterianas comuns, como infecçõesrespiratórias de vias aéreas superiores e inferiores e doenças sexualmentetransmissíveis, e são frequentemente usados ??como alternativas para pacientesalérgicos à penicilina. Os macrolídeos (como azitromicina, claritromicina eeritromicina) estão entre os antibióticos mais comumente prescritos durante agravidez nos Estados Unidos e em países europeus.

 

O Estudo

 

Apresentamosum estudo de coorte baseado em registro feito na Dinamarcaentre 1197 e 2016. Os participantes foram 1.192.539 nascidos vivos, e gestaçõesdurante as quais macrolídeos foram usados ??(13.019) foram comparadas àquelasdurante as quais penicilina foi usada (combinada em uma proporção de 1:1 nosescores de propensão). Outros grupos comparativos foram gravidezes em que osmacrolídeos foram usados ??recentemente, mas antes da gravidez (pareado 1:1), egravidezes em que nenhum antibiótico foi usado (pareado 1:4). As principaismedidas de desfecho avaliadas foram a associação com um desfecho de qualquerdefeito congênito importante.

Em comparações correspondentes, 457bebês nasceram com defeitos congênitos importantes de mulheres que usarammacrolídeos durante a gravidez (35,1 por 1.000 gestações) em comparação com 481bebês (37,0 por 1.000 gestações) de mulheres que usaram penicilina (razão derisco relativo 0,95; IC 95% 0,84 a 1,08), correspondendo a uma diferença derisco absoluto de -1,8 (IC 95% -6,4 a 2,7) por 1.000 gestações. O risco dedefeitos congênitos importantes não foi significativamente aumentado paramulheres que usaram macrolídeos durante a gravidez em comparação com aquelasque usaram macrolídeos recentemente, mas antes de engravidar (razão de riscorelativo 1,00 [IC 95% 0,88 a 1,14]; diferença de risco absoluto -0,1 [IC 95%-4,8 a 4,7] por 1.000 gestações), ou em comparação com mulheres que não usaramnenhum antibiótico (1,05 [0,95 a 1,17]; 1,8 [-1,7 a 5,3] por 1.000 gestações).Para todas as três análises comparativas de grupo e nas análises de uso demacrolídeos individuais, não foi encontrado nenhum aumento significativo dorisco de subgrupos específicos de defeitos congênitos associados ao uso demacrolídeos.

 

Aplicação Prática

 

Osmacrolídeos estão entre os antibióticos mais comumente usados na gravidez, e háuma discussão sobre risco aumentado de defeitos congênitos importantes emmulheres que usaram macrolídeos em comparação com aquelas que usaram penicilinano primeiro trimestre da gestação. No entanto, o que este grande estudoobservacional nos traz é que, ao menos na Dinamarca, onde macrolídeos foramusados, nenhuma associação foi encontrada entre o uso de macrolídeos durante agravidez e o risco de defeitos congênitos importantes. Além disso, nenhumaevidência foi encontrada de risco aumentado de defeitos congênitos de órgãosespecíficos em gestantes que usaram macrolídeos, incluindo defeitos do coração,tampouco de associações significativas para macrolídeos quando estes foramanalisados de forma individual.

 

Bibliografia

 

1.            Andersson N W, Olsen R H, Andersen J T.Association between use of macrolides in pregnancy and risk of major birthdefects: nationwide, register based cohort study BMJ 2021; 372 :n107

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal

×
×

Em função da pandemia do Coronavírus informamos que não estaremos prestando atendimento telefônico temporariamente. Permanecemos com suporte aos nossos inscritos através do e-mail info@medicinanet.com.br.