FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Risco de Morte com Ansiolíticos e Hipnóticos

Autor:

Lucas Santos Zambon

Doutorado em Ciências Médicas pela Faculdade de Medicina da USP.
Supervisor do Pronto-Socorro do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.
Diretor do Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente.

Última revisão: 23/06/2014

Comentários de assinantes: 2

Especialidades: Psiquiatria / Medicina de Família

 

Contexto Clínico

         Drogas ansiolíticas e hipnóticas são prescritas com frequência, entretanto, não são medicações isentas de risco. O uso de benzodiazepínicos e drogas como zolpidem e zaleplon podem gerar sonolência diurna, acidentes e quedas, eventos que podem gerar danos graves. Entretanto, há dúvidas se estas drogas causam impacto em mortalidade.

 

O Estudo

         Este é um estudo observacional do tipo coorte retrospectiva usando a base de dados de clínicos gerais no Reino Unido. Foram incluídos 34.727 pacientes com idade mínima de 16 anos que utilizaram ansiolíticos ou hipnóticos, ou ambos, entre 1998 e 2001. Foram incluídos também 69.418 pacientes que não utilizaram estas drogas. O seguimento médio foi de 7,6 anos, e foi avaliada mortalidade por todas as causas nestes pacientes.

         Comorbidades físicas e psiquiátricas foram mais encontradas entre os usuários das medicações de interesse. Após ajuste para idade e outros fatores de confusão, maior mortalidade foi observada entre os usuários de benzodiazepínicos (Hazard Ratio de 3,7), drogas hipnóticas como zolpidem (Hazard Ratio de 3,7) e outros ansiolíticos ou hipnóticos (Hazard Ratio de 2,1). Isso ocorreu durante o primeiro ano depois de terem sido prescritas pela primeira vez para os pacientes. Para todas as três classes de drogas, doses mais elevadas foram associadas com maior risco de morte, o que ocorreu com um padrão dose-resposta bem claro.

 

Aplicações Práticas

         Este grande estudo observacional fornece um dado bastante importante para a prática clínica. Drogas muito prescritas como os ansiolíticos e os hipnóticos estão associados a maior mortalidade, conforme o que foi observado nos sete anos de seguimento deste estudo, mesmo após ajuste para fatores de confusão. Mesmo que existam outros vieses que não tenham sido considerados neste estudo, este resultado demonstra ainda mais o potencial de dano que pode ser causado por estas medicações. Tal dado é importante, para que na prática, os médicos comecem a repensar prescrições prolongadas ou mesmo sem indicação formal, tanto para os ansiolíticos como para os hipnóticos.

 

Bibliografia

Weich S et al. Effect of anxiolytic and hypnotic drug prescriptions on mortality hazards: Retrospective cohort study. BMJ 2014 Mar 19; 348:g1996. (link para o artigo).

Comentários

Por: Atendimento MedicinaNET em 24/06/2014 às 11:23:02

""Caro Luiz Fernando, sua consideração é extremamente válida. De fato, as drogas citadas no estudo muitas vezes são prescritas de forma pertinente com base em indicações adequadas. O que quisemos, ao trazer este estudo para leitura dos usuários do MedicinaNET, é exatamente trazer à tona o fato de que estas drogas não são isentas de riscos a médio e longo prazo em termos de mortalidade, de forma independente. A ideia é lembrar que toda droga quando é introduzida, deve ser revista ao longo do tempo quanto à sua indicação de uso e quanto à dosagem (o estudo cita que os riscos são maiores com doses maiores das medicações), sempre pensando obviamente no tratamento do paciente, mas também na segurança deste. Obrigado pelo contato. Atenciosamente, os Editores"."

Por: luiz fernando brandao diniz em 16/06/2014 às 14:12:50

"como é sabido,transtornos psíquicos com indicação precisa para tratamento com princípios farmacológicos e não apenas outras abordagens não medicamentosas,pp os transtornos de ansiedade e afetivo,no início do uso dos inibidores seletivos de receptação de serotonina podem promover piora da sintomatologia dos doentes,necessitando da associação a princípio de drogas ansiolíticas,porém visando o rápido desmame afim de manter droga única como esquema de tto.como fica o caso destes doentes????att dr. luiz fernando b. diniz."

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal