FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Dermatite das Fraldas

Última revisão: 17/05/2009

Comentários de assinantes: 0

Reproduzido de:

Dermatologia na Atenção Básica de Saúde / Cadernos de Atenção Básica Nº 9 / Série A - Normas de Manuais Técnicos; n° 174 [Link Livre para o Documento Original]

MINISTÉRIO DA SAÚDE

Secretaria de Políticas de Saúde

Departamento de Atenção Básica

Área Técnica de Dermatologia Sanitária

BRASÍLIA / DF – 2002

 

DERMATITE DAS FRALDAS

CID-10: L22

 

DESCRIÇÃO DA DERMATITE DAS FRALDAS

É uma dermatite de contato por irritação primária, caracterizada por irritação na pele, causada pelo contato com a urina e as fezes retidas pelas fraldas. As lesões variam de eritematosas exsudativas a eritemato-papulosas e descamativas nas áreas convexas da região delimitada pelas fraldas. Freqüentemente surge infecção secundária por Candida ou por bactérias como Bacillos faecallis, Proteus, Pseudomonas, Staphylococcus e Streptococcus. O uso de pós, óleos, sabões e pomadas irritantes agravam o quadro clínico.

 

SINONÍMIA

Dermatite amoniacal.

 

ETIOLOGIA DA DERMATITE DAS FRALDAS

O uso da fralda ocasiona aumento da temperatura e da umidade local, com conseqüente maceração da pele que se torna mais susceptível à irritação ocasionada pelo contato da urina e das fezes com a pele da região coberta pelas fraldas.

 

RESERVATÓRIO

Não se aplica.

 

MODO DE TRANSMISSÃO

Não se aplica.

 

PERÍODO DE INCUBAÇÃO

Não se aplica.

 

PERÍODO DE TRANSMISSIBILIDADE DA DERMATITE DAS FRALDAS

Não se aplica.

 

COMPLICAÇÕES

Infecção secundária pelos germes acima relacionados.

 

DIAGNÓSTICO DA DERMATITE DAS FRALDAS

Clínico.

 

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DA DERMATITE DAS FRALDAS

Candidíase, eczema de contato alérgico, eczema seborréico, eczema tópico, psoríase.

 

TRATAMENTO DA DERMATITE DAS FRALDAS

Cuidados higiênicos, troca freqüente de fraldas ou retirada das mesmas. Limpeza da região e aplicação de pasta de óxido de zinco ou pasta d’água nas trocas de fraldas. Nos casos mais agudos uso de cremes à base de hidrocortisona; e nistatina ou antimicóticos imidazólicos na suspeita de contaminação por Candida.

 

CARACTERÍSTICAS EPIDEMIOLÓGICAS

Dermatose da área de fralda que acomete a criança de 0 a 2 anos.

 

OBJETIVOS DA VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

Não se aplica.

 

NOTIFICAÇÃO

Não é doença de notificação compulsória.

 

MEDIDAS DE CONTROLE DA DERMATITE DAS FRALDAS

Higiene adequada dos bebês e troca rotineira de fraldas.

 

Figura 1: Dermatite da área de fralda.

 

 

SOBRE OS DIREITOS AUTORAIS DO DOCUMENTO

Consta no documento:

“Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte e que não seja para venda ou qualquer fim comercial.”

O objetivo do site MedicinaNet e seus editores é divulgar este importante documento. Esta reprodução permanecerá aberta para não assinantes indefinidamente.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal