FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Filtrar

Veja também o resultado via

Exibir resultados de:

Filtrar por:

Resultados de Busca

Sua busca por "Impacto da Implementacao de um Protocolo Para Tratamento da Sepse Grave" obteve 6 resultados.

Página:  de 1

15/03/2009

Gerenciamento de Risco e Segurança do Paciente

Impacto da Implementação de um Protocolo para Tratamento da Sepse Grave

... < 0,01 Incidência de Insuficiência Renal Aguda 49% 36% < 0,01 Incidência de Insuficiência Cardiovascular 70,5% 57% < 0,01 Incidência de Insuficiência Respiratória 70% 55% < 0,01 Análise multivariada para fatores de risco de morte Ser tratado no grupo “ANTES” OR 1,76 (IC 95% 1,40 – 2,21 / P = 0,01) Figura 1: Cur......

Ver Índice

15/03/2009

Gerenciamento de Risco e Segurança do Paciente

Impacto da Implementação de um Protocolo para Tratamento da Sepse Grave

...scitação volêmica e na terapia antimicrobiana, conforme as recomendações da Surviving Sepsis Campaign. Todos os médicos, enfermeiros e demais profissionais que participam da assistência desses pacientes receberam treinamento focado na realização do protocolo na fase da intervenção (principalmente no PS e na UTI do hospital). Os pacientes incluídos no estudo eram os que ......

Ver Índice

18/01/2011

Guias Livres do Ministério da Saúde

AIDS

...da, podendo variar de 5 a 30 dias. Período de Latência É o período após a fase de infecção aguda, até o desenvolvimento da imunodeficiência). Esse período varia entre 5 e 10 anos, média de 6 anos. Período de Transmissibilidade O indivíduo infectado pelo HIV pode transmiti-lo em todas as fases da infecção, risco esse proporcional à magnitude da viremia. Diagnóstico A doença pode ou n......

Ver Índice

01/07/2009

Guias Livres do Ministério da Saúde

Aids

...assificação clínica do Centers for Disease Control and Prevention (CDC 1994), tendo-se incluído a tuberculose como morbidade de gravidade moderada e excluída a coccidioidomicose pela pouca expressão epidemiológica no país. Doenças, sinais e sintomas de caráter leve – aumento crônico de parótida; dermatite persistente; esplenomegalia; hepatomegalia; linfadenopatia e infecções persistentes ou re......

Ver Índice

21/08/2018

Revisões

Ferramentos de Gestão no Departamento de Emergência

...udit. Arch Emerg Med. 1993;10:181-6.? 48-Willert C, Davis AT, Herman JJ, et al. Short-term holding room treatment of asthmatic children. J Pediatr. 1985;106:707-11.? 49-Greenberg RA, Dudley NC, Rittichier KK. A reduction in hospitalization, length of stay, and hospital charges for croup with the institution of a pediatric observation unit. Am J Emerg Med. 2006;24:818-21.? 50-Ross MA, Compton S,......

Ver Índice

12/08/2015

Revisões Internacionais

Ressuscitação Cardíaca

...a pode ser resultado de uma hipoxemia associada. O pneumotórax hipertensivo como causa da AESP deverá ser considerado em pacientes com AESP braquicárdica, pacientes em ventilação mecânica que desenvolveram colapso cardiovascular, pacientes com patologia pulmonar adjacente e pacientes com procedimentos torácicos recentes. Isso também deverá ser considerado no pacientes com trauma de tórax aberto ou......

Ver Índice

Página:  de 1

Índice

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal