FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Filtrar

Veja também o resultado via

Exibir resultados de:

Filtrar por:

Resultados de Busca

Sua busca por "Parte ii – Doencas Infecciosas de Interesse Para a Saude Publica" obteve 132 resultados.

Página:  de 14

05/01/2011

Guias Livres do Ministério da Saúde

Sistemas de Informações

...scolaridade, ocupação e outras características constantes nas declarações de óbitos. As informações obtidas através das DO possibilitam também o delineamento do perfil de morbidade de uma área, no que diz respeito às doenças mais letais e às doenças crônicas não sujeitas a notificação, representando, praticamente, a única fonte regular de dados nesses casos. O SIM ainda apresenta problemas de cobe......

Ver Índice

05/01/2011

Guias Livres do Ministério da Saúde

Sistemas de Informações

...r causa; proporção de internação por causa ou procedimento selecionado; utilização de UTI e outros. O instrumento de coleta de dados é a autorização de internação hospitalar (AIH), atualmente emitida pelos estados, a partir de uma série numérica única definida anualmente em portaria ministerial. Esse formulário contém os dados de atendimento, com o diagnóstico de internamento e da alta (codificad......

Ver Índice

30/01/2011

Guias Livres do Ministério da Saúde

Febre Amarela

...atório da FAS no Brasil é o mosquito do gênero Haemagogus janthinomys; os hospedeiros naturais são os primatas não humanos (macacos). O homem não imunizado entra nesse ciclo acidentalmente. Na FAU, o mosquito Aedes aegypti é o principal vetor e reservatório e o homem, o único hospedeiro de importância epidemiológica. Modo de Transmissão Na FAS, o ciclo de transmissão se processa entre o macac......

Ver Índice

30/01/2011

Guias Livres do Ministério da Saúde

Febre Amarela

...IOSAS E PARASITÁRIAS – GUIA DE BOLSO – 8ª edição revista [Link Livre para o Documento Original] MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância Epidemiológica 8ª edição revista BRASÍLIA / DF – 2010 Febre Amarela CID 10: A95 ASPECTOS CLÍNICOS E EPIDEMIOLÓGICOS Descrição Doença febril aguda, de curta duração (no máximo 12 dias) e gravidade variável......

Ver Índice

26/09/2013

Hospitalar

Capítulo 2 – Desenho e avaliação de programas

...emas médicos subjacentes devem adiar as visitas até o final do surto. • Amigos ou membros da família que estiverem doentes devem adiar as visitas até que não sejam mais sintomáticos. Obtenção de Espécimes Clínicos • Colete amostras de fezes de indivíduos com doença recente (dentro das primeiras 48 horas da doença). Envie as culturas de fezes de aproximadamente 4 a 6 residentes d......

Ver Índice

05/01/2011

Guias Livres do Ministério da Saúde

Estrutura para Respostas às Emergências em Saúde Pública

...aquele local, tempo e população determinados? 2. O evento tem potencial para causar um grande impacto sobre a saúde pública? APRESENTA-SE, A SEGUIR, EXEMPLOS DE CIRCUSNTÂNCIAS QUE CONTRIBUEM PARA QUE O IMPACTO SOBRE A SAÚDE PÚBLICA SEJA GRANDE · Evento causado por um agente patogênico com alto potencial de causar epidemias (patogenicidade do agente, alta letalidade, múltiplas v......

Ver Índice

01/03/2011

Guias Livres do Ministério da Saúde

tracoma

...ar o diagnostico e tratar os casos com infecção ativa, adotando medidas de controle pertinentes. Notificação O Tracoma não é doença de notificação compulsória nacional, sendo de notificação obrigatória em algumas unidades federadas. No entanto, é doença sob vigilância epidemiológica, sendo recomendável a realização de registros sistemáticos de casos detectados e tratados, o que permite avalia......

Ver Índice

01/03/2011

Guias Livres do Ministério da Saúde

tracoma

...sença de cicatrizes na conjuntiva tarsal superior, de bordas retas, angulares ou estreladas; - Triquíase tracomatosa (TT): quando, pelo menos, um dos cílios atrita o globo ocular ou quando ha evidencia de recente remoção de cílios associados à presença de cicatrizes na conjuntiva tarsal superior (TS) sugestivas de Tracoma; - Opacificação corneana (CO): opacificação da córnea visível so......

Ver Índice

30/01/2011

Guias Livres do Ministério da Saúde

herpes simples

...menos intenso que o observado na primoinfecção, precedido de pródromos característicos: aumento de sensibilidade, prurido, “queimação”, mialgias e “fisgadas” nas pernas, quadris e região anogenital. Herpes Genital O vírus é transmitido, mais frequentemente, por contato direto com lesões ou objetos contaminados. É necessário que haja solução de continuidade, pois não há penetração do vírus em ......

Ver Índice

30/01/2011

Guias Livres do Ministério da Saúde

herpes simples

...is, na bolsa escrotal ou em áreas expostas da vulva. Observação: As associações entre diferentes DST são frequentes, destacando-se, atualmente, a relação entre a presença de DST e o aumento do risco de infecção pelo HIV, principalmente na vigência de úlceras genitais. Desse modo, se o profissional estiver capacitado a realizar aconselhamento, pré e pós-teste, para detecção de anticorpos anti-H......

Ver Índice

Página:  de 14

Índice

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal