FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

O que você deve saber sobre o Surto de Ebola

Autor:

Lucas Santos Zambon

Doutorado em Ciências Médicas pela Faculdade de Medicina da USP.
Supervisor do Pronto-Socorro do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.
Diretor do Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente.

Última revisão: 21/08/2014

Comentários de assinantes: 0

Quantas pessoas foram infectadas?

        Mais de 1.700 pessoas na Guiné, na Libéria e na Serra Leoa já contraíram o Ebola desde março de 2014, segundo a Organização Mundial de Saúde, tornando este o maior surto já registrado. Mais da metade das pessoas infectadas morreram. A Nigéria também relatou 13 casos e duas mortes.

 

Onde está acontecendo o surto?

        Está ocorrendo na África Ocidental, mais especificamente na Nigéria, na Guiné, na Serra Leoa  e na Libéria. Desde o início do surto, em 21 de Março de 2014 até 6 de Agosto, temos a seguinte estatística:

Guiné:

495 casos

367 mortes

 

Libéria:

554 casos

294 mortes

 

Serra Leoa :

717 casos

298 mortes

 

Nigéria:

13 casos

2 mortes

 

Quais são as chances de Ebola no Brasil?

        O risco de alguém contrair Ebola no Brasil é baixo. Médicos de todo o país devem lembrar de verificar história de viagens recentes de qualquer paciente que se apresente com quadro de febre. Pacientes que tenham visitado algum país da África Ocidental recentemente são os mais suspeitos de terem sido expostos, para tanto estão sendo selecionados e testados para verificar se há chance de exposição à doença. Procedimentos padrão para controle de infecções são suficientes para conter o surgimento de novos casos. O Ebola não se espalha tão facilmente, como os filmes de Hollywood sobre doenças contagiosas podem sugerir. Em 2008, um paciente que havia contraído Marburg - um vírus muito parecido com o Ebola - em Uganda, foi tratado em um hospital nos Estados Unidos e poderia ter exposto mais de 200 pessoas com a doença antes de alguém saber o que o paciente tinha de fato. No entanto, ninguém ficou doente.

 

Como o surto atual se compara em relação aos surtos anteriores?

        É o surto mais mortal, superando o surto em 1976, ano em que o vírus foi descoberto.

 

Os surtos foram os seguintes:

1o surto: 1976

Local: Sudão, República Democrática do Congo

Casos: 602

Mortes: 431

 

2o surto: 1995

Local: República Democrática do Congo

Casos: 315

Mortes: 254

 

3o surto: 2000

Local: Uganda

Casos: 425

Mortes: 224

 

4o surto: 2007

Local: Uganda, República Democrática do Congo

Casos: 413

Mortes: 224

 

5o surto: 2014

Local: Serra Leoa , Libéria, Nigéria, Guiné.

Casos: 1323

Mortes: 729

 

Quão contagioso é o vírus?

        Não é provável que você se infecte com Ebola só por estar na proximidade com alguém que tem o vírus; não é pelo ar que ocorre a transmissão, como na gripe ou nas viroses respiratórias.

        Ao invés disso,  o Ebola se propaga através do contato direto com fluidos corporais. Se o sangue ou vômito de uma pessoa infectada entrar em contato com os olhos, nariz ou boca de outra pessoa, o vírus pode ser transmitido. No surto atual, a maioria dos novos casos estão ocorrendo entre as pessoas que foram tomar  conta de familiares doentes ou que tenham preparado um corpo infectado para o enterro.

        Os profissionais de saúde são de alto risco, especialmente se eles não foram devidamente equipado ou treinados para usar e descontaminar equipamentos de proteção corretamente.

        O vírus pode sobreviver em superfícies, de modo que qualquer objeto contaminado com os fluidos corporais, como uma luva de látex ou de uma agulha hipodérmica, pode espalhar a doença.

 

Por que é tão difícil conter o Ebola?

        Em algumas partes da África Ocidental, há uma crença de que simplesmente dizer "Ebola" em voz alta faz com que a doença apareça. Tais crenças criam grandes obstáculos para médicos de grupos como os “Médicos Sem Fronteiras”, que estão  tentando combater o surto. Algumas pessoas chegam a culpar os médicos pela propagação do vírus, e se voltam para curandeiros para o tratamento. Seu ceticismo não é sem um fundo de verdade: em surtos anteriores, funcionários do hospital que não tomaram precauções minuciosas tornaram-se agentes inconscientes de propagação do vírus.

 

Como é que a doença progride?

        Os sintomas geralmente aparecem cerca de oito a 10 dias após a exposição, de acordo com os CDC dos EUA (Centros para Controle e Prevenção de Doenças). No início, parece muito parecido com o da gripe: dor de cabeça, febre e dores no corpo. Às vezes, há também uma erupção cutânea. Diarréia e vômito podem acompanhar.

        Então, em cerca de metade dos casos, o Ebola toma um rumo grave, causando hemorragias na vítima. O paciente pode ter hematêmese, hematúria, equimoses, epistaxe, gengivorragia e hemorragias conjuntivais. Mas o sangramento geralmente não é o que mata o paciente. A causa da morte é extravasamento de plasma para fora dos vasos sanguíneos, levando a um choque hipovolêmico e disfunção múltipla de órgãos.

 

Como a doença é tratada?

        Não há vacina ou cura para o Ebola, e no passado surtos do vírus foram fatais para 60 a 90% dos casos. O que os médicos podem fazer é tentar estabilizar os sintomas da doença, usando fluidos intravenosos e medicamentos vasopressores para manter a pressão arterial e tratar outras infecções secundárias (geralmente bacterianas) que muitas vezes atingem os corpos debilitados. Uma pequena porcentagem de pessoas parecem ter uma imunidade contra o vírus Ebola.

 

De onde a doença vem?

        O Ebola foi descoberto pela primeira vez em 1976, sendo que na época se pensava que sua origem se deu em gorilas, pois os  surtos humanos começaram depois que as pessoas comiam carne de gorila. Mas os cientistas descartaram essa teoria, em parte porque os macacos que se tornam infectados são ainda mais propensos a morrer do que os humanos.

        Os cientistas agora acreditam que os morcegos são o reservatório natural para o vírus, e que os macacos e os seres humanos adquirem o vírus ao comer alimentos que os morcegos têm babado ou defecado sobre, ou ao entrar em contato com as superfícies cobertas de fezes de morcegos infectados e, em seguida, tocar os olhos ou a boca.

        O surto atual parece ter começado em uma vila perto Guéckédou, na Guiné, onde a caça morcego é comum, de acordo com os “Médicos Sem Fronteiras”.

 

Referências

World Health Organization. Ebola Virus Disease. Disponível em: http://www.who.int/csr/disease/ebola/en/ .  Último Acesso em 12 de agosto de 2014.

 

The New York Times. What You Need To Know About the Ebola Outbreak. Disponível em: http://www.nytimes.com/interactive/2014/07/31/world/africa/ebola-virus-outbreak-qa.html.  Último Acesso em 12 de agosto de 2014.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal