FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Adalimumabe e Metotrexato para Uveíte em Artrite Idiopática Juvenil

Autor:

Lucas Santos Zambon

Doutorado pela Disciplina de Emergências Clínicas Faculdade de Medicina da USP; Médico e Especialista em Clínica Médica pelo HC-FMUSP; Diretor Científico do Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente (IBSP); Membro da Academia Brasileira de Medicina Hospitalar (ABMH); Assessor da Diretoria Médica do Hospital Samaritano de São Paulo.

Última revisão: 01/11/2017

Comentários de assinantes: 0

Contexto Clínico

 

O adalimumabe é um anticorpo monoclonal anti-fator de necrose tumoral a totalmente humano. Trata-se de um medicamento que vem se mostrando eficaz no tratamento da artrite idiopática juvenil (AIJ). Porém é interessante saber se o medicamento consegue ter ação em outra manifestações extra-articulares, incluindo a uveíte associada à AIJ.

 

O Estudo

 

Foi realizado um ensaio multicêntrico, duplo-cego, randomizado, controlado por placebo, para avaliar a eficácia e segurança do adalimumabe em crianças e adolescentes com idade igual ou superior a 2 anos que tinham uma uveíte associada à AIJ ativa. Os pacientes que estavam tomando uma dose estável de metotrexato foram distribuídos aleatoriamente numa proporção de 2: 1 para receberem adalimumabe (numa dose de 20 mg ou 40 mg, de acordo com o peso corporal) ou placebo, administrados por via subcutânea a cada 2 semanas. Os doentes continuaram o regime do ensaio até falência do tratamento ou até 18 meses decorridos. Eles foram seguidos por até 2 anos após a randomização. O ponto final primário foi o tempo até a falha do tratamento, definido de acordo com um escore de inflamação intraocular baseado nos critérios de Padronização da Nomenclatura de Uveíte.

No total a amostra contou com 90 participantes. Foram observadas 16 falhas de tratamento em 60 pacientes (27%) no grupo adalimumabe versus 18 falhas de tratamento em 30 pacientes (60%) no grupo placebo (razão de risco 0,25; IC95%  0,12 a 0,49; P <0,0001). Os eventos adversos foram relatados com maior freqüência nos pacientes que receberam adalimumabe do que nos que receberam placebo (10,07 eventos por paciente-ano; [IC95% 9,26 a 10,89] versus 6,51 eventos por paciente-ano [IC95% IC, 5,26-7,77]), assim como os eventos adversos graves (0,29 eventos por ano-paciente [IC95%, 0,15 a 0,43] versus 0,19 eventos por paciente-ano [IC95%, 0,00-0,40]).

 

 

 

Aplicação Prática

 

Este estudo foi financiado por um programa denominado NIHR Health Technology Assessment Program and Arthritis Research. Pelo que podemos observar dos resultados, o uso do adalimumabe controlou a uveíte em proporção maior que o placebo entre crianças e adolescentes com uveíte associada à AIJ ativa que estavam tomando uma dose estável de metotrexato. Ainda que o resultado seja positivo, devemos observar que os pacientes que receberam adalimumabe tiveram uma incidência muito maior de eventos adversos e eventos adversos graves do que aqueles que receberam placebo. Acreditamos que seja uma alternativa terapêutica válida a partir do resultado destes estudo, desde que compartilhado com o paciente o risco x benefício do tratamento.

 

 

Bibliografia

 

Ramanan AV et al. Adalimumab plus Methotrexate for Uveitis in Juvenile Idiopathic Arthritis. N Engl J Med 2017; 376:1637-1646.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal