FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Filtrar

Veja também o resultado via

Exibir resultados de:

Filtrar por:

Resultados de Busca

Sua busca por "Caso 14 " obteve 2077 resultados.

Página:  de 208

27/01/2015

Casos Clínicos

Caso Clínico – Qual o diagnóstico hematológico deste caso?

... Aumentado Normal Tempo de Trombina Aumentado Normal a Elevado Fibrinogênio Consumido Normal a Elevado Fator V Consumido Normal Fator VIII Consumido Normal Produtos de Degradação da Fibrina Elevado Elevado D-dímero Elevado Elevado As causas mais comuns de CIVD aguda são as seguintes: - Sepse grave - Câncer - Leucemia (prin......

Ver Índice

01/03/2011

Guias Livres do Ministério da Saúde

Rubéola e Síndrome da Rubéola Congênita

...o de casos suspeitos ou de surtos, envolvendo o grupo de 6 meses a 39 anos de idade, seletivamente. Atentar que, para crianças vacinadas entre os 6 a 11 meses, essa dose não deve ser considerada para rotina; nesses casos, deve-se reprogramar a vacinação a partir dos 12 meses de idade. · Via de administração - A vacina tríplice viral é administrada por via subcutânea, de preferencia na face ex......

Ver Índice

01/03/2011

Guias Livres do Ministério da Saúde

Rubéola e Síndrome da Rubéola Congênita

...om secreções nasofaríngeas de pessoas infectadas. Período de Incubação De 14 a 21 dias, com duração média de 17 dias, podendo variar de 12 a 23 dias. Período de Transmissibilidade De 5 a 7 dias antes do início do exantema é de 5 a 7 dias após. Diagnóstico Clínico, laboratorial e epidemiológico. O teste mais utilizado é o ensaio imunoenzimático (ELISA) para detecção de anticorpos esp......

Ver Índice

08/08/2009

Guias Livres do Ministério da Saúde

Raiva

... Caso a região anatômica não permita a infiltração de toda a dose, a quantidade restante, a menor possível, deve ser aplicada por via intramuscular, na região glútea. Quando não se dispuser do soro ou de sua dose total, aplicar inicialmente a parte disponível. Iniciar imediatamente a vacinação e administrar o restante da dose de soro recomendada antes da 3ª dose da vacina de cultivo celular. Após......

Ver Índice

07/08/2009

Guias Livres do Ministério da Saúde

Leishmaniose Visceral

...inapetência, náuseas, vômitos, plenitude gástrica, epigastralgia, pirose, dor abdominal, prurido, febre, fraqueza, cefaléia, tontura, palpitação, insônia, nervosismo, choque pirogênico, edema e insuficiência renal aguda (IRA). Essas queixas são, geralmente, discretas ou moderadas e raramente exigem a suspensão do tratamento. Porém, nas doses de 20mg/Sb+5/kg/dia, o antimonial pode atingir o limiar ......

Ver Índice

03/07/2009

Guias Livres do Ministério da Saúde

Hanseníase

... pessoas que residem com o paciente por ocasião do diagnóstico (ou residiram nos últimos 5 anos). 39 - DOENÇA RELACIONADA AO TRABALHO – Informar se o paciente adquiriu a doença em decorrência do processo de trabalho, determinada pelos ambientes e ou condições inadequadas de trabalho (contaminação acidental, exposição ou contato direto). Observações: informar as observações necessárias para comple......

Ver Índice

11/05/2009

Revisões

Influenza A (H1N1) - Protocolo de Procedimentos  (Livre)

... ficar armazenadas nos laboratórios de referência, devendo ser processadas somente após nova classificação do caso como suspeito ou nova orientação da vigilância epidemiológica 2. Tipo de Amostra que deve ser Coletada a) Secreção respiratória: para investigação de influenza b) Sangue e outras amostras clínicas: serão utilizadas apenas para monitoramento da evolução clínica do paciente e/......

Ver Índice

28/06/2009

Revisões

Influenza A (H1N1) - Protocolo de Procedimentos - versão 5

...m do trato respiratório, para monitoramento da evolução clínica do paciente ou para diagnóstico diferencial. Amostras de secreção respiratória de casos suspeitos não devem ser processadas, em nenhuma hipótese, fora dos laboratórios de referência acima relacionados. • Os LACEN poderão processar amostras de sangue ou outras amostras clínicas que não sejam do trato respiratório para subsidiar o......

Ver Índice

10/09/2009

Biblioteca Livre

5 Vigilância Epidemiológica

... ou a outra forma de inoculação parenteral, porém não à transmissão natural pelo mosquito. A inoculação pode ser acidental ou deliberada e, nesse caso, pode ter objetivos terapêuticos ou de pesquisa. • Caso críptico: caso de malária diagnosticado em área com transmissão interrompida quando não se consegue comprovar o local de infecção. Para a manutenção da vigilância é necessário: 5.4 ......

Ver Índice

12/08/2009

Biblioteca Livre

Glossário

... ANTIGENICIDADE: capacidade de um agente, ou de fração do mesmo, estimular a formação de anticorpos. ANTÍGENO: porção ou produto de um agente biológico, capaz de estimular a formação de anticorpos específicos. ANTISSEPSIA: conjunto de medidas empregadas para impedir a proliferação microbiana. ANTITOXINA: anticorpos protetores que inativam proteínas solúveis tóxicas de bactérias. ANTRÓPICO: tud......

Ver Índice

Página:  de 208

Índice

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal