FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Nitrato em Insuficiência Cardíaca com Fração de Ejeção Preservada

Autor:

Lucas Santos Zambon

Doutorado pela Disciplina de Emergências Clínicas Faculdade de Medicina da USP; Médico e Especialista em Clínica Médica pelo HC-FMUSP; Diretor Científico do Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente (IBSP); Membro da Academia Brasileira de Medicina Hospitalar (ABMH); Assessor da Diretoria Médica do Hospital Samaritano de São Paulo.

Última revisão: 30/03/2016

Comentários de assinantes: 0

Contexto Clínico

Cerca de metade dos pacientes com insuficiência cardíaca (IC) tem fração de ejeção (FE) preservada. Ainda assim, tais pacientes sofrem com a intolerância para atividades físicas, o que gera um círculo vicioso de sedentarismo, descondicionamento físico e fragilidade. Em pacientes com FE baixa, os nitratos melhoram a tolerância a exercícios, e apesar dessas medicações também serem prescritas para pacientes com FE preservada, não se sabe se há algum benefício. Apresentamos um estudo que comparou o efeito de mononitrato de isosorbida, ou  placebo, diariamente sobre a atividade em portadores de IC com FE preservada.

 

O Estudo

Neste estudo multicêntrico, duplo-cego, cruzado estudo, 110 pacientes com insuficiência cardíaca e uma fração de ejeção preservada foram aleatoriamente designadas para uma de seis semanas no regime dose de escalada de mononitrato de isossorbida (de 30 mg para 60 mg a 120 mg uma vez por dia), ou placebo, com passagem subsequente do outro grupo durante seis semanas. O desfecho primário foi o nível de atividade diária, quantificado como a média de unidades no acelerômetro diariamente durante a fase de 120 mg, tal como avaliado por acelerômetros usado em pacientes. Os desfechos secundários incluíram horas de atividade por dia durante a fase de 120 mg, unidades de acelerômetro diárias durante os três regimes de dose, resultados de qualidade de vida, uma caminhada de seis minutos, e níveis de peptídeo natriurético cerebral N-terminal (proBNP).

No grupo que recebeu a dose de 120 mg de mononitrato de isossorbida, quando comparado com o grupo placebo, havia uma tendência não significativa para a redução da atividade diária (-381 unidades acelerómetro; IC95% -780 a 17; P = 0,06) e uma diminuição significativa em horas de atividade por dia (-0,30 horas; IC95% -0,55 a -0,05; P = 0,02). Durante todos os regimes de dosagem, a atividade no grupo de mononitrato de isossorbida foi menor do que no grupo placebo (-439 unidades acelerómetro; IC95%, -792 e -86; P = 0,02). Os níveis de atividade diminuíram progressivamente e de forma significativa com o aumento das doses de mononitrato de isossorbida (mas não placebo). Não houve significativas diferenças entre os grupos na distância de caminhada de seis minutos, índices de qualidade de vida, ou níveis de NT-proBNP.

 

Aplicações Práticas

Pacientes com insuficiência cardíaca e uma fração de ejeção preservada que receberam mononitrato de isossorbida ficaram menos ativos e não tiveram melhor qualidade de vida ou a capacidade de exercício submáximo do que os pacientes que receberam placebo. Sendo assim, não podemos recomendar que nitratos sejam usados de rotina nesse perfil de pacientes.

 

Referências

Redfield MM et al. Isosorbide Mononitrate in Heart Failure with Preserved Ejection Fraction. NEJM November 8, 2015DOI: 10.1056/NEJMoa1510774.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal