FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Nova Droga para Tratamento de Doença Hepática Gordurosa Não-Alcoólica

Autor:

Lucas Santos Zambon

Doutorado pela Disciplina de Emergências Clínicas Faculdade de Medicina da USP; Médico e Especialista em Clínica Médica pelo HC-FMUSP; Diretor Científico do Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente (IBSP); Membro da Academia Brasileira de Medicina Hospitalar (ABMH); Assessor da Diretoria Médica do Hospital Samaritano de São Paulo.

Última revisão: 24/08/2015

Comentários de assinantes: 1

Contexto Clínico

A esteatose hepática (doença hepática gordurosa não-alcoólica) e a esteato-hepatite não-alcoólica (NASH) tem ganhando relevância no meio médico, pois são condições intrinsicamente ligadas a condições epidêmicas mundiais que são diabetes e obesidade. Sua importância se dá pela associação com morbidade e mortalidade hepática e cardiovascular.

Histologicamente, a esteatose hepática é caracterizada pela presença de infiltração de gordura no fígado. Em cerca de um a cada cinco casosé acompanhada por inflamação e lesão dos hepatócitos, definida como NASH, e consequente fibrose hepática. E apesar da alta prevalência dessas condições, nenhum tratamento seguro e eficaz está disponível atualmente, e depender apenas da adesão a modificações de estilo de vida é algo difícil.

O aramchol é uma molécula de lipídio sintético obtida pela conjugação de dois componentes naturais, ácido eólico (ácido bilar) e ácido araquídico (ácidos graxo saturado), através de uma ligação amida estável. O aramchol reduziu significativamente o conteúdo de gordura hepática em animais em um modelo de dieta rica em gordura. O aramchol inibe de 70% a 83% da atividade da estearoil coenzima A dessaturase 1 (SCD1).  A inibição da síntese de SCD1 diminui a síntese e aumenta a oxidação de ácidos gordos, o que resulta em menor armazenamento hepático de triglicéridos e ácidos graxos.

Apresentaremos a seguir um ensaio clínico com esta nova droga.

 

O Estudo

O presente estudo foi feito para investigar os efeitos do aramchol em um estudo de fase 2 de pacientes com doença hepática gordurosa não alcoólica (DHGNA). Para isso foi realizado um ensaio clínico controlado com placebo, randomizado, duplo-cego, de 60 pacientes com diagnóstico confirmado por biópsia de esteatose hepática (sendo seis com esteato-hepatite não-alcoólica) em 10 centros em Israel. Os pacientes receberam aramchol (100 ou 300 mg) ou placebo uma vez ao dia durante três meses (n = 20 / grupo).

O principal desfecho avaliado foi a diferença entre os grupos na mudança no conteúdo de gordura no fígado de acordo com a espectroscopia de ressonância magnética. Os desfechos secundários avaliados foram as diferenças entre os grupos nas alterações dos níveis de enzimas hepáticas, níveis de adiponectina, homeostase e função endotelial.

Quanto aos resultados, não houve eventos adversos graves nos 58 pacientes que completaram o estudo. Em três meses, o conteúdo de gordura no fígado diminuiu 12,57% ± 22,14% em pacientes que receberam 300 mg/dia aramchol, mas aumentou em 6,39% ± 36,27% no grupo placebo (P  = 0,02 para a diferença entre os grupos, ajustado para idade, sexo e índice de massa corporal). O teor de gordura no fígado diminuiu no grupo aramchol 100 mg em 2,89% ± 28,22%, mas esta variação não foi significativa (P  = 0,35), indicando uma relação dose-resposta (P = 0,01 para a tendência). Os pacientes dos grupos que receberam aramchol tiveram melhorias não significativas ao longo do tempo em função endotelial e níveis de alanina aminotransferase e adiponectina, mas notas de avaliação do modelo de homeostase não se alteraram. A adequação de uma dose diária única foi confirmada por análise farmacocinética.

 

Aplicações Práticas

Este ensaio clínico demonstrou que a administração de aramchol por três meses foi algo seguro e tolerável. Mas o resultado mais interessante é que na dose de 300mg/dia houve redução significativa do conteúdo de gordura no fígado em pacientes com esteatose hepática. A redução do teor de gordura no fígado ocorreu de um modo dose-dependente e foi associada com uma tendência de melhoria do metabolismo, o que indica que aramchol pode ser utilizado para o tratamento de esteatose hepática.

 

Bibliografia

Safadi R et al. The fatty acid-bile acid conjugate aramchol reduces liver fat content in patients with nonalcoholic fatty liver disease. Clin Gastroenterol Hepatol 2014 Dec; 12:2085. (link para o artigo em: http://dx.doi.org/10.1016/j.cgh.2014.04.038).

Comentários

Por: Ildemar Cavalcante Guedes em 17/08/2015 às 16:35:45

"Sessenta pacientes é um número muito pequeno de pacientes."

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal