FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Remanescente de Ducto Tireoglosso

Autor:

Rodrigo Antonio Brandão Neto

Médico Assistente da Disciplina de Emergências Clínicas do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

Última revisão: 14/07/2015

Comentários de assinantes: 0

Paciente de 13 anos, sexo masculino, começou a sentir uma nodulação na face anterior do pescoço há 10 dias com a seguinte imagem:

 

  

 

 

Paciente com cisto do remanescente do ducto tireoglosso, que é a anomalia congênita mais comum do pescoço, representando de 2-4% de todas as massas cervicais. A maioria ocorre na primeira década de vida, mas também pode ocorrer em adultos.

O lobo piramidal da tiroide é o remanescente mais comum do trato tireoglosso (50% da população). A alteração representa a persistência do trato durante o trajeto descendente da tireoide do foramen cecum para sua posição final no pescoço anterior. Normalmente, o ducto tireoglosso é obliterado no início da vida fetal.

Histologicamente é um cisto bem definido epitelizado, composto tanto por epitélio escamoso como respiratório. Algumas vezes podem existir ilhotas de tecido tireoidiano nas paredes do cisto. Este, por sua vez, é preenchido por material mucoso ou mucopurulento, dependendo se o cisto foi infectado ou não.

 

Tipos de cistos do ducto tireoglosso:

1- Infrahioide (65%, mais frequentemente encontrado na posição paramediana)

2- Suprahioide (aproximadamente 20%, na linha média)

3- Justahioide(15%)

4- Intralingual( 2%)

5- Variante Supraesternal (10% dos casos)

6- Intralaríngeo (muito raro)

  

Manifestam-se clinicamente como massas amolecidas e móveis. Quando infectados, podem se manifestar como massas enduradas associadas à disfagia, disfonia, drenagem de seios, febre e massa cervical que aumenta. Aparece com frequência após infecção das vias aéreas superiores. Pode haver obstrução de vias aéreas, especialmente no tipo sublingual. O sinal patognomônico é percebido quando o cisto se move com a protrusão da língua.

O Ultrassom é o padrão-ouro para o diagnóstico e  a Tomografia computadorizada é uma alternativa. A ultrassonografia pode diferenciar entre componentes císticos ou sólidos. A TC pode revelar lesão cística bem circunscrita, 2-4 cm de diâmetro com realce capsular pelo meio de contraste. A cintilografia de tireoide pode ser realizada para investigação de tecido tireoideiano funcionante nas paredes do cisto.

 

Diagnóstico diferencial

-Cisto Dermoide.

-Linfadenopatia.

-Cisto Sebáceo.

-Schwannomas

-Malformações linfáticas.

 

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal